Clique e assine por apenas 6,90/mês

Os melhores restaurantes italianos de São Paulo

Confira os endereços da categoria que foram selecionados pelo guia COMER & BEBER 2019/2020

Por Arnaldo Lorençato, Helena Galante, Saulo Yassuda, Gabrielli Menezes - Atualizado em 3 Dec 2019, 16h35 - Publicado em 21 Sep 2018, 01h38

Mais uma vez, o Fasano faturou o prêmio de melhor restaurante italiano de São Paulo pelo guia COMER & BEBER 2019/2020. Permanece, assim, no seleto grupo de estabelecimentos avaliados com as cinco estrelas máximas atribuídas pela publicação.

Também se deram bem nos testes da equipe de críticos o Pettirosso Ristorante (2º lugar) e o Picchi (3º lugar). Saiba mais sobre esses e os outros italianos que merecem sua visita na capital paulista.

Aguzzo Cucina e Vino.
Uma rua tranquila de Pinheiros abriga o restaurante de esquina. Se parte do salão pode ser vista de fora através das paredes envidraçadas, a discrição no interior é mantida pelas mesas espaçadas, o que deixa os grupos à vontade para as conversas mais sigilosas. O menu apresenta clássicos italianos como o risoto amarelinho de açafrão, que é coberto por ragu de ossobuco (R$ 95,00). O tiramisu da sobremesa é preparado com bastante creme de queijo mascarpone (R$ 31,00). Ao lado do restaurante, uma pequena rotisseria vende alguns produtos da casa. Rua Simão Álvares, 325, Pinheiros, tel. 3083-7363.

Attimo Per Quattro.
Nem é novidade dizer que neste endereço do restaurateur Marcelo Fernandes tem outro chef. Desde a inauguração, sete anos atrás, passaram pela cozinha do Attimo outros cinco comandantes. O atual titular, que tem o posto de “chef residente” desde abril de 2019, é Fabio Aiello. Italiano nascido na Sicília e egresso do Gero, de Belo Horizonte, tem como parceira de fogão Taline Fernandes. O bom cardápio montado por ele traz uma diversidade de opções, entre elas a pizza margherita individual (R$ 39,00), de massa fina. Torça para encontrar o cappuccino de abóbora-cabotiá com creme de burrata, frutas vermelhas, pistache e um toque picante (R$ 32,39) oferecido como amuse-bouche. É uma delícia. Chamado de caciucco de frutos do mar (R$ 58,39), o cozido típico da Ligúria ganha uma versão preparada com camarão, polvo, lula e conchas grelhados e dispostos no molho de tomate fresco. Outro acerto é o tortelli de coe lho (R$ 75,39), de massa delicada e sabor intenso, que vem acompanhado de queijo straciatella para fazer um belo contraste. Serviço cortês conduzido por Jailson de Moura Barreto, ex-Tambouille. Rua Diogo Jácome, 341, Vila Nova Conceição, tel. 5054-9999. 

Bottega Bernacca.
Quando surgiu, em 2014, a casa tinha espírito de taberna, com vinho servido em copinhos de vidro e mais petiscos que pratos no cardápio. Atualmente com jeito acentuado de restaurante, a marca de Davide Bernacca atende em três endereços — o mais recente deles abertos na Rua Amauri —, com mais opções de pratos. As unidades são pequenas e aconchegantes, com salões escurinhos e velas sobre as mesas. De entrada, vai bem o chamado cipriani carpaccio (R$ 53,90), que traz fatias de filé-mignon cortadas de maneira mais rústica e temperadas com um pouco de molho de mostarda. O bom espaguete à amatriciana branca, com pancetta, cebola e vinho branco, é servido na mesa direto da panela (R$ 56,90). Bem doce, o tiramisu não vale os R$ 31,90 cobrados. Rua Padre João Manuel, 826, Jardim Paulista, tel. 3586-7103. Mais dois endereços. 

Ca’d’Oro.
A casa carrega o nome de um restaurante clássico que funcionou no mesmo endereço de 1953 e 2009. No cardápio, é a tradição que manda. O risoto de cogumelos porcini (R$ 75,00) é perfumado e servido com os grãos firmes. Oferecido apenas aos domingos, o bollito misto (R$ 115,00) é um cozido típico do norte da Itália. De modo teatral, o garçom fatia e serve na hora zampone, cotecchino, língua, costela, cupim, músculo, alcatra, picanha e galinha caipira com hortaliças cozidas. O consomê, resultado do cozimento, é trazido antes para abrir o apetite. Uma pena o serviço ser vez ou outra desatento. Rua Augusta, 129 (Hotel Ca’d’Oro), Consolação, tel. 3236-4300.

Casa Europa.
Charmoso, o endereço de esquina tem madeira até o teto e lâmpadas pendentes. Cozido no ponto, o fettuccine ao creme de leite, rúcula e limão-siciliano (R$ 55,00) fica ainda melhor com queijo parmesão ralado por cima para turbinar o sabor. Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 726, Jardim Paulistano, tel. 3063-5577.

Casa Santo Antônio.
Uma antiga escada em caracol recebe a atenção do público neste restaurante montado em uma antiga residência dos anos 60. O agradável ambiente tem ainda uma varanda e um quintal nos fundos. Massa em formato de tubo, o paccheri conta com a parceria de molho cacio e pepe (R$ 48,00). Peça para a atendente um “reforço” na pimenta-do-reino moída na hora para turbinar o sabor do prato. O leitão cozido em baixa temperatura vem quase se desmanchando ao lado de legumes e uma tira crocante de polenta (R$ 71,00). É pena a carne vir quase insossa, pouco auxiliada pelo molho que a acompanha. Ótimo para o desfecho, o tiramisu (R$ 22,00) chega à mesa em um prato com uma chave — o símbolo do restaurante — desenhada com chocolate em pó. Avenida João Carlos da Silva Borges, 764, Santo Amaro, tel. 4328-6205.

Così.
Este pequeno restaurante atrai um público da Santa Cecília menos afeito a agito. Da cozinha à mostra, a equipe orquestrada pelo chef Renato Carioni prepara receitas clássicas, como o risoto de cogumelo seco (R$ 61,00), rico no fungo e com cobertura de fonduta de parmesão e cebolinha picada. Essa receita tem resultado superior ao do capellini colorido de manjericão com vôngole e farofa de pão (R$ 71,00). Embora o conteúdo das conchinhas estivesse saboroso, faltou um caldo que agregasse sabor à massa. De sobremesa, a panacota de pistache com jeitão de musse, comedida no açúcar, é servida com sorvete e ganache de chocolate (R$ 29,00). Há que ficar atento ao serviço “vendedor”, que por vezes tenta empurrar alguns produtos da carta. Rua Barão de Tatuí, 302, Santa Cecília, tel. 3826-5088.

Des Cucina.
Um estouro de público desde a inauguração, a casa tem cozinha de Sergio França (ex -Italy e ex-La Vecchia Cucina) e comando da dupla Orestes Duarte e Luis Mendes, proprietária também do boteco Desembargador. Em versão salgada, o afrancesado profiterole recebe recheio de queijo brie (R$ 39,00). Para uma pedida mais italiana, a polenta tem a parceria de bacalhau mantecato (R$ 42,00), o pescado desfiado e feito com generosa quantidade de azeite. O tortelli chega à mesa com unidades recheadas de figo e de ricota defumada ao molho de manteiga e sálvia (R$ 56,00). Bom serviço de vinhos a cargo do sommelier Damião Santos. Rua Desembargador do Vale, 233, Perdizes, tel. 3872-0050.

Due Cuochi Cucina.
Desde o fim de 2018, o chef David Maurício é o novo titular da casa italiana dirigida por Ida Maria Frank. O polvo grelhado com purê de batata ganha aroma de ervas, molho de vinagre balsâmico mais caponata (R$ 42,00). A paleta de cordeiro se desmancha ao toque do garfo e vem assentada sobre cuscuz marroquino (R$ 104,00). Na seção de sobremesas, o tradicional tiramisu (R$ 33,00) é um pavê de biscoitos champanhe embebidos em café e montado com creme de queijo mascarpone. Rua Manuel Guedes, 93, Itaim Bibi, tel. 3078-8092. Mais dois endereços. 

Emiliano.
No térreo do hotel de mesmo nome, o Emiliano se notabilizou em 2018 por ser o endereço onde se saboreava o prato do ano, eleito na estreia dessa categoria em São Paulo. Era um tagliolini fresco banhado por bolonhesa de lagosta (R$ 110,00), criado pelo chef Andrea Montella, que deixou a casa em maio — o prato permanece no menu. O posto vago foi ocupado por Bruno Berdu, ex-7 Gastronomia, serviço de catering de Alex Atala. O titular faz receitas como o risoto de camarão, abóbora caramelada e alho-poró ao aroma de trufa (R$ 117,00). Rua Oscar Freire, 384 (Hotel Emiliano), Jardim Paulista,  tel. 3728-2020/2000.

Enosteria Vino e Cucina.
É o restaurante da loja de vinhos da World Wine na Vila Nova Conceição. Agrada a massa orecchiette, no formato de orelhinha, servida com um saboroso molho de linguiça e friarielli, verdura prima do brócolis. Custa R$ 46,00. Peça, a paleta de cordeiro laqueada, macia, é guarnecida de fregola, massa típica da Sardenha (R$ 79,00). Rua Jaques Félix, 626, Vila Nova Conceição, tel. 2774-1710.

Evvai.
Eleito chef revelação em 2018, o paulistano Luiz Filipe Souza, 30 anos, vem se mostrando um dos grandes talentos da gastronomia da capital. Tanto que uma receita criada por ele e que faz parte do menu degustação (R$ 369,00) estampa a capa desta edição COMER & BEBER como o prato do ano. Trata-se de uma originalíssima versão do cacciucco, uma sopa de frutos do mar típica da Toscana, reinterpretada como uma moqueca baiana. A extensa degustação contempla ainda pratos como o instigante bombom verde de abobrinha com bottarga, a ótima sfogliatella de tartare de atum com salame picante e um carbonara de pato com lâminas de massa folhada. Em pequenas porções, também chegam à mesa um creme de couve-flor que oculta um ovo e picles cobertos por uma telha negra de massa de manteiga, coberta por caviar; e o ravióli recheado de caldo de cogumelos de Santa Catarina com uma tira de língua cozida e espuma de queijos grana padano e Pardinho, que também poderia estar na capa da revista. De sobremesa, a cheesecake desmontada leva creme de queijo, telha rendada, dois biscoitos, creme de pistache e sorbet de mostarda de Cremona. Caso queira um prato do cardápio regular, a dica é o tagliatelle ao ragu de carnes bovina e suína com espuma de queijo Tulha (R$ 75,00), igualmente benfeito. Rua Joaquim Antunes, 108, Jardim Paulistano, tel. 3062-1160.

Vieira fatiada com suco de beterraba: pedida do Fasano Clayton Vieira/Veja SP

Fasano.
Mais mítico dos restaurantes italianos do Brasil, o Fasano tem uma centenária história com pequenas interrupções ao longo dos anos. O embrião do estabelecimento atual, que surgiu em 1990 e está às vésperas de completar três décadas, foi a extinta casa da Rua Amauri, conhecida por seus contemporâneos como Fasaninho. Foi nesse endereço que Rogério Fasano, escolhido a personalidade gastronômica do ano, deu os primeiros passos para se tornar um grande restaurateur. Sob a orientação segura do empresário, atualmente trabalha uma equipe afinada, tanto no salão quanto na cozinha. É nos bastidores e longe dos olhos do público que o chef Luca Gozzani segue o receituário clássico com devoção mas tomando algumas liberdades. A habilidade criativa do cozinheiro aflora em sugestões como a vieira fatiada com suco de beterraba, torrada crocante e creme de queijo de cabra, presente no menu degustação (R$ 360,00). Na companhia de uma polenta de cremosidade ideal, o duo de coxa e sobrecoxa de pato tem pele dourada e crocante que protege a carne macia e rica em sabor (R$ 182,00). Ainda melhor, o leitãozinho enrolado em uma pururuca divide o prato com feijão branco superperfumado com ervas (R$ 190,00). Rua Vitório Fasano, 88 (Hotel Fasano), Jardim Paulista, tel. 3062-4000 e 3896-4000.

Forneria San Paolo.
Se nas unidades do Itaim Bibi e do Shopping Pátio Higienóplis a casa atende em salões tradicionais, no Shopping JK Iguatemi o restaurante opera em uma “ilha” no meio do corredor. Concorridos, os endereços recebem público variado, o que inclui executivos e pais com crianças, fenômeno explicado pelo cardápio versátil. Há diferentes opções de sanduíches, muitos deles feitos com massa de pizza. A versão recheada de filé-mignon com tomate, palmito, queijos mussarela e parmesão mais rúcula (R$ 68,00) vale por uma refeição. Na seleção de massas, a lasanha com ragu de carne custa R$ 69,00. Rua Amauri, 319, Itaim Bibi, tel. 3078-0099/4888. Mais dois endereços.

Gero.
Se existe um restaurante com a fórmula do sucesso, esse lugar é o Gero. Versão bem mais informal do Fasano, ambos criados pelo restaurateur Rogério Fasano, a personalidade gastronômica do ano, o lugar bomba desde a abertura, 25 anos atrás. O motivo são os clássicos italianos que conquistaram uma legião de paulistanos dispostos a comer bem e gastar um pouco menos que na caríssima casa-mãe. São pedidas como o carpaccio de atum com limão-siciliano e hortelã (R$ 94,00) e o pappardelle ao ragu de pato (R$ 106,00). Durante a semana, o almoço executivo com entrada, prato e sobremesa custa R$ 136,00. Pode incluir sugestões como saltimbbocca alla romana com risoto de açafrão. Rua Haddock Lobo, 1629, Jardim Paulista, tel. 3064-0005.

Mondo Gastronômico.
No comando de uma empenhada equipe, o chef italiano Salvatore Loi faz algumas receitas aquilatadas em seu cardápio regular. Um exemplo é o polvo cozido no molho de tomate com polenta e um croquete quadrado de presunto cru (R$ 51,00). Ainda melhor, a costela de leitoa levemente empanada vem com batata-doce assada de casquinha crocante e compota de maçã verde aromatizada por tomilho (R$ 93,00). E há um doce que fica na memória do paladar: a esfera de açúcar recheada de creme de mascarpone e zabaione sobre brownie de chocolate (R$ 28,00), em bela apresentação. Essa mesma excelência está no menu executivo, o número 1 pela edição COMER & BEBER. Por 60 reais, o cliente pode encontrar pedidas como o tartare de atum coberto por burrata cremosa mais salada de folhas ao vinagrete de vinagre de vinho branco, azeite e mel. Na sequência, é possível escolher pratos como a tagliata em fatias grossas de filé-mignon com nhoque de batata dourado no azeite. O cuidado se repete na sobremesa, que pode ser uma delicada torta de creme de amêndoa com frutas vermelhas e sorvete. Rua Oscar Freire, 30, Jardim Paulista, tel. 3061-2787.

Nico Pasta & Basta.
A família do delegado Osvaldo “Nico” Gonçalves toca esta casa italiana mais a rede de pizzarias Sala Vip, a Hamburgueria do Nico e o Bar do Nico. Neste endereço agradável, o cardápio segue a linha clássica. De tempos em tempos, há novidades como o fusilli à massimo (R$ 56,00), inspirado por uma massa fresca que o restaurateur Massimo Ferrari fazia no extinto restaurante com seu nome e agora apresenta em eventos realizados no espaço Felice e Maria, na Vila Olímpia. O delicioso macarrão vem com molho de tomate e três tipos de linguiça fresca: toscana, bovina e artesanal. As sugestões incluem ainda um polvo ao sugo sobre polenta cremosa (R$ 89,00), que, embora muito saboroso, poderia ser menos cozido. O bom almoço executivo custa R$ 59,00. Rua Costa Aguiar, 1586, Ipiranga. tel. 2068-3000.

Nino Cucina.
Uma explosão de público desde a abertura, quatro anos atrás, esta casa do chef e sócio Rodolfo De Santis, o restaurateur do ano, foi o ponto de partida para ele espalhar outros cinco endereços pelo Itaim Bibi, fora outros dois endereços que estão para chegar. O que faz o Nino Cucina tão disputado pelo público? Uma cozinha benfeita e de pedidas tradicionais. Depois de pedir o antepasto da casa (R$ 28,00), composto de ragu de linguiça, salada de batata com pepino e berinjela em pedaços grandes ao forno com vinagre balsâmico e aliche, acompanhado de focaccia assada na hora, experimente massas como o bucatini com um untuoso molho à matriciana (R$ 54,00) ou o ótimo ossobuco com risoto à milanesa (R$ 75,00). Disputam o paladar de quem gosta de açúcar a torta quente de chocolate cremosa no centro com sorvete de leite (R$ 32,00) e o tiramisu com generosa quantidade de café (R$ 28,00). Rua Jerônimo da Veiga, 30, Itaim Bibi, tel. 3368-6863.

Nonno Ruggero.
O restaurante menos formal da grife Fasano atualmente atende apenas em seu endereço original, instalado no 1º piso do hotel da marca. O ambiente, que se abre para uma agradável varanda, é cenário para agradáveis almoços e jantares. Lá se saboreiam sugestões como o risoto de cogumelos porcini (R$ 118,00) e o salmão grelhado ao molho de alcaparra e limão (R$ 107,00) mais acompanhamento à escolha, caso do purê de batata. A torta caprese de chocolate e amêndoa (R$ 42,00) faz o arremate. Durante o dia, também é possível optar pelo bufê de antepastos e saladas, a R$ 109,00 por pessoa. Com uma massa ou um risoto, o preço sobe para R$ 149,00. Rua Vitório Fasano, 88 (Hotel Fasano), Jardim Paulista, tel. 3896- 4180.

Fregola sarda preparada com linguicinha: receita do Pettirosso Clayton Vieira/Veja SP

Pettirosso Ristorante.
Originalmente uma trattoria familiar, a casa teve uma evolução notável. O motivo do salto de qualidade reside na dedicação de Marco Renzetti, que, embora seja um cozinheiro intuitivo, faz um trabalho excepcional. Além de clássicos da Itália Meridional, em particular de Roma, onde nasceu, o chef cria as próprias receitas, uma delas destacada entre os dez pratos do ano. É o espaguete pettirosso (R$ 93,00), com massa perfeitamente cozida e banhada em molho bisque ao qual se acrescentam tomate, lagostim e camarões grandes e médios. Ainda nas massas, vai bem a fregola sarda preparada com linguicinha (R$ 77,00). O banquete pode incluir a mozzarela in carroza (R$ 31,00), assa da e não frita como no original na companhia de creme de burrata, rúcula, tomate confit doce e uma torrada na forma de uma renda fina. Sobremesa rara na cidade, a cassata siciliana ganha uma tentadora versão com calda e casca de laranja confitada (R$ 26,00). Alameda Lorena, 2155, Jardim Paulista, tel. 3062-5338/4531.

Espaguete negro de tinta de lula ao ragu de peixe e um camarão grelhado: prato do Picchi Clayton Vieira/Veja SP

Picchi.
Cada visita ao restaurante é uma surpresa. E das mais positivas. O chef Pier Paolo Picchi desenvolve um receituário cada vez mais refinado. Não fosse pela necessidade de um ou outro retoque discreto, seu restaurante estaria perto de levar as cinco estrelas máximas do COMER & BEBER. Com uma exagerada sobreposição de sabores, não chega a desagradar o tortelli recheado de mortadela, pistache e limão (R$ 84,00), que por cima do molho de manteiga triplo burro com migalhas crocantes recebe ainda uma pasta adocicada de pistache no azeite e um fio de molho rôti. Mas não atinge a harmonia do espaguete negro de tinta de lula ao ragu de peixe e vinho branco com um toque de bottarga, ovas de salmão e um camarão grelhado (R$ 127,00). Rua Oscar Freire, 533 (Hotel Regent Park), Jardim Paulista, tel. 3065-5560.

Piccolo.
Logo depois da abertura, em 2017, a casa, com cozinha orientada pelo sócio Marcelo Laskani, responsável pelo Più, e tocada pelo chef Marcelo Milani, ganhou o prêmio de melhor menu executivo da capital. No ano passado, foi ainda uma das três finalistas do prato ano. Parece, entretanto, que entrou numa rota de acomodação neste 2019. Alguns pratos não encantam mais como em um passado recente. Têm bons resultados o saltimbocca alla romana preparado em bocados de carne como se fosse um robisfe com gel de sálvia e croqueta de presunto cru (R$ 38,00) e o ravióli doppio alla rossini de vitelo e foie gras com purê de cenoura e cogumelo fresco (R$ 68,00). Rua dos Pinheiros, 266, Pinheiros, tel. 3571- 9169.

Piselli.
Chega aos quinze anos o restaurante que projetou Juscelino Pereira como empresário da gastronomia. Com base na culinária clássica que aprendeu nos longos anos em que trabalhou como maître – gerente para o Grupo Fasano, o restaurateur oferece um menu de resultados agradáveis. O começo pode ser o creme da leguminosa que dá nome à casa, uma sopinha verde de ervilha e reconfortante coroada por um camarão grande chapeado (R$ 59,00). O carré de cordeiro assado no forno a lenha seria ainda melhor se não viesse temperado com muito alecrim (R$ 139,00). A carne é servida acompanhada de um nhoque de batata de grande delicadeza no molho de manteiga e sálvia. Uma das melhores sobremesas é aquele doce indeciso que não é um sorvete nem uma musse, o chamado semifreddo de amaretto assentado sobre um biscoito e banhado por creme inglês de café (R$ 37,00). Rua Padre João Manuel, 1253, Jardim Paulista, tel. 3081- 6043.

Piselli Sud.
Em vez de ser uma simples filial do Piselli, o restaurante de Juscelino Pereira na entrada principal do Shopping Iguatemi tem um cardápio próprio e que mira a Itália do Sul. E também supera o original em estrelas do COMER & BEBER: são três lá e quatro no endereço caçula. O percurso meridional pode começar com a berinjela ao forno (R$ 49,00), uma parmigiana sequinha e sem gosto de fritura em bom molho de tomate. Só não dá para pular uma novidade: o tonno arabo (R$ 99,00), um dos dez pratos do ano. Trata-se de um atum em crosta de ervas, quase cru, com homus e babaganuche, preparado com notável delicadeza (R$ 99,00). Também do mar, o tagliolini nero di seppia vem com lula, abobrinha e bottarga (R$ 85,00). Valeria a pena diminuir um pouco a quantidade de azeite na receita. Entre os pratos de outras regiões da Itália nos quais vale a pena investir está a panacota de queijo de cabra com fios crocantes de casca de laranja- baía ao açafrão (R$ 35,00). Shopping Iguatemi, tel. 3031-5404.

Più.
Quem não chega cedo e já conhece a casa italiana já sabe: a espera é inevitável. A clientela assídua que disputa as mesas vai em busca das boas receitas de Marcelo Laskani. O chef arrisca-se com um bun chamado de bumnini, o pão chinês no formato de um sanduíche italiano, o panini, com recheio de siri-mole, alface- romana e maionese de yuzu, a fruta cítrica asiática rara na cidade (R$ 38,00). A costela bovina servida com purê de batata e queijos, cebola e farofa sai por R$ 78,00. Em dezembro de 2018, ganhou uma unidade igualmente concorrida no Shopping Iguatemi, mas com resultado um pouco abaixo da casa-mãe. Rua Ferreira de Araújo, 314, Pinheiros, tel. 3571-9169.

Ristorantino.
Endereço de culinária clássica encabeçado pelo empresário Ricardinho Trevisani, o Ristorantino é comandado no dia a dia por Henrique Schoendorfer. É o jovem chef quem faz as receitas, como a salada de lula levemente picante com bottarga, assim chamadas as ovas de tainha curadas, raladas na hora de servir (R$ 72,00). O capítulo de carnes inclui a paleta de leitão de pele bem morena e crocante ao saboroso molho do próprio porco, com endívia e purê de batata (R$ 99,00). Rua Doutor Melo Alves, 674, Jardim Paulista, tel. 3063-0977.

Santo Colomba.
De tão agradável, nem parece que este restaurante está instalado no térreo de um flat. As receitas são preparadas por um craque da culinária italiana em São Paulo, o mineiro José Alencar de Souza. O chef faz um ótimo trenette, massa que lembra um espaguete achatado, ao tomate e manjericão (R$ 56,00). Também é muito boa a rabada com polenta mole e muita cebolinha verde e fresca por cima (R$ 72,00). Se o apetite for maior, dá para pedir antes a berinjela ao forno em um par de fatias grossas com molho de tomate fresco manjericão, mussarela de búfala e parmesão (R$ 35,00). O tiramisu (R$ 28,00), levíssimo, tem um toque de avelã. Alameda Lorena, 1157 (Lorena Residence), Jardim Paulista, tel. 3061-3588.

Sensi.
Todo envidraçado, o salão é escurinho. É perfeitamente possível, no entanto, observar a equipe cozinhar atrás de uma bancada aberta e iluminada. De lá, são expedidas as receitas italianas clássicas selecionadas pelo chef Manuel Coelho. A refeição pode começar com os suppli al telefono (R$ 35,00, quatro unidades), bolinhos de arroz molhadinhos ao molho de tomate recheados com bastante mussarela de búfala. Um ragu de costela bovina cobre o nhoque de batata (R$ 63,00). O serviço precisa de ajustes. Rua Gabriele d’Annunzio, 1345, Campo Belo, tel. 2478-5099.

Serafina.
Nascida em Nova York, a rede tem coração italiano. Nas três unidades da cidade circulam sugestões ítalo-americanas pelos animados salões. Uma delas é o rigatoni ao ragu de carnes (R$ 49,00). Um belisco antes dos pratos, a cesta de focaccias salpicadas de ervas chega quentinha à mesa (R$ 19,00). Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 2041, Vila Olímpia, tel. 3849-0636. Mais dois endereços.

Supra di Mauro Maia.
Nesta casa onde a cozinha funciona como cartão de visitas até se chegar ao salão escondido nos fundos do imóvel, trabalham dois chefs: Mauro Maia, responsável pela criação das receitas, e Rodrigo Bizzo, encarregado da preparação. Tanto que os resultados são superiores quando Bizzo está no fogão. No abre-alas da refeição pode vir o carpaccio de polvo com legumes picadinhos, pontas de aspargo e pérolas de vinagre balsâmico (R$ 42,00) ou a ótima vieira crua ao azeite, limão siciliano e um toque de dry martini, cujo sabor quase desaparece pela excessiva adição de ovas de capelim e alga (R$ 41,90). O nhoque de batata ganha molho de linguiça toscana, vinho branco, alho, creme de leite, pasta de trufa branca e cogumelos porcini frescos (R$ 89,90), e o dourado confit de pato ao molho de Porto com uma gordurinha deliciosa sob a pele tem a companhia das guarnições cogumelo prataiolo e quiabos grelhados sem o mesmo brilho (R$ 84,00). O cannolo assado e rendado leva recheio de um creme de ricota leve com pistache nas bordas (R$ 29,90). É um dos melhores da cidade. Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 681, Itaim Bibi, tel. 3071-4473.

Tappo Trattoria.
É a casa italiana do chef Benny Novak, o mesmo do Ici Brasserie. Nesse endereço, as sugestões de entrada podem ser a salada de espinafre europeu, azedinha, maçã verde, nozes e parmesão (R$ 34,00) ou o inspirado creme brûlé de queijo pecorino (R$ 33,00). Caso o paladar peça uma massa fresca, o fusilli al ferretto alla norma (R$ 55,00) vem como a clássica combinação siciliana de molho de tomate, berinjela frita, ricota fresca e manjericão. O brasato de costela cozida no próprio molho, de sabor intenso, vem com polenta mole (R$ 79,00). Para finalizar, tiramisu (R$ 23,00). Rua da Consolação, 2967, Cerqueira César, tel. 3063-4864/4880.

Tatini.
A família Tatini é, tradicionalmente, de restaurateurs. Da atual geração, Thiago Tatini cuida do Casimiro, que funciona no Edifício Santos Augusta, enquanto o tio dele, Fabrizio, é o responsável pelo tradicional Tatini. Quase em extinção na cidade, garçons que finalizam os pratos no salão não faltam na casa. Em frente da clientela, que não hesita em registrar tudo com o celular, eles mexem e remexem o linguine dentro de uma enorme peça de queijo grana padano. Peça um pouco de pimenta-do-reino, que potencializa o molho cremoso (R$ 85,00). Outra receita clássica do local, e também preparada em frente à mesa, é o clássico estrogonofe de filé-mignon (R$ 110,00), com direito a arroz e batata palha feita na casa. Nem sempre os garçons acertam, é verdade. Pode acontecer, por exemplo, de sua salada ceasar (R$ 49,00), feita com folhas, bacon e croûtons, vir temperada com muito sal. Rua Batatais, 558 (Flat Saint Paul), Jardim Paulista, tel. 3885-7601.

Totò.
A casa, que tem uma agradável varanda envidraçada, fica em uma pequena rua de paralelepípedos. Para acompanhar as famosas caipirinhas servidas por lá, há petiscos como os croquetes parrudos de carne e linguiça (R$ 32,00, seis unidades). A seção dos pratos é dominada pelas massas. Cozido até ficar firme na medida certa, o tagliolini coberto de camarão, tomatinho e saborosas lascas de casca de abobrinha murchas no azeite custa R$ 67,00. No arremate, a zuppa inglese (R$ 17,00), pavê de biscoito champagne com cremes inglês e de chocolate pode vir inexplicavelmente morna de um lado e gelada de outro. Rua Doutor Sodré, 77, Vila Olímpia, tel. 3841-9067.

Trattoria.
Mesmo com um cardápio que acabou se desviando da proposta original de manter só pratos da Itália meridional, esta agradável casa da grife Fasano com uma área externa tem nas pedidas do sul a principal atração. Um exemplo é um prato típico da capital da Itália, o cordeiro alla romana, preparado com a carne desfiada e servido na companhia de batata ao alecrim (R$ 119,00). Com molho de tomate picante, o fusilli alla diavola está entre as opções de massas típicas da Campania (R$ 93,00). Ainda nesse capítulo dedicado aos macarrões, aparece o capelete in brodo (R$ 65,00), receita da região da Emilia-Romagna, ao norte do país. Sem descuidar dos vegetarianos, o cardápio inclui um carpaccio de beterraba (R$ 59,00). O creme de mascarpone com chocolate (R$ 55,00) é daqueles de deixar saudade. Rua Iguatemi, s/nº (entre a Rua Joaquim Floriano e a Avenida Horácio Lafer), Itaim Bibi, tel. 3167-3322.

Tre Bicchieri.
Segue como um dos melhores representantes italianos da cidade com cozinha defendida pelo chef Rodrigo Queiroz. Entre os cuidados do cozinheiro, está a renovação do cardápio. É uma atraçãonesse momento a vieira selada, quase fria, sobre fios de palmito pupunha e abobrinha marinados em azeite e ervas com zabaione salgado enfeitado com beterraba (R$ 35,00). Em versão de verão, a porchetta fria é para ser saboreada nessa temperatura e em fatias muito finas com pinhole (R$ 49,00). Uma receita que poderia ser trivial atinge a excelência. É o linguine seco no molho de sardinha com o peixe empanado, alcachofrinha fresca e o discreto toque de bottarga (R$ 97,00). Também agrada na mesma intensidade o duo de cordeiro (R$ 120,00), composto da paleta assada por seis horas e da costeleta malpassada na companhia de musseline e de batata rosti. Se a intenção for saborear um doce, uma ótima sobremesa, vá de suflê de chocolate belga tem bordas crocantes e interior quase líquido (R$ 51,00). Rua General Mena Barreto, 765, Itaim Bibi, tel. 3885-4004.

Vecchio Torino.
O casal Manoela e Giuseppe La Rosa fazem deste restaurante uma das glórias da gastronomia italiana em São Paulo. Inalterado praticamente desde a abertura, 25 anos atrás, o cardápio é uma coleção de clássicos da cozinha do país europeu. A fantasia de lasanha (R$ 94,00) compõe -se da massa fresca em camadas com recheio de espinafre e ragu à bolonhesa. Carne rara na cidade, o coelho com polenta, vez ou outra, pode vir com uma pitada de sal a mais (R$ 96,00). A dobradinha (R$ 98,00) certamente é uma das melhores da cidade, ou a melhor. Só não precisa estar salpicada de tanto queijo ralado. Rua Tavares Cabral, 119, Pinheiros, tel. 3816-0592/0560.

Vicolo Nostro.
É um charme só. Os salões do restaurante são unidos por uma viela de paralelepípedos repleta de verde, como se fosse uma vila italiana. A cozinha está sob a batuta do chef e sócio Cristiano Panizza. Salada simples, mas repleta de mimos, o mix de rúcula mais fatias finas de tomate ganha croûtons de polenta frita e disquinhos crocantes de parmesão (R$ 42,00). Primo do steak au poivre, os medalhões de filé-mignon envolvidos em tiras de presunto cru são cobertos por molho de pimenta-verde (R$ 110,00). Acompanha risoto de aspargo. No almoço durante a semana, faz sucesso o menu executivo (de R$ 73,00 a R$ 80,00). Rua Jataituba, 29, Brooklin, tel. 3360- 8557.

Vinheria Percussi.
Dupla afinada, a chef Silvia Percussi se ocupa da cozinha deste charmoso restaurante, enquanto o irmão Lamberto Percussi se encarrega do atendimento e da seleção de vinhos. Para um primeiro prato, a dica é escolher o tagliolini de abobrinha à mediterrânea (R$ 28,70). Vem com cubinhos de tomate, semente de girassol, pinhole e gergelim branco e negro. A polenta com um consistente creme de gorgonzola custa R$ 23,30. Com um arroz que faz ondinhas e aromatizado com açafrão de qualidade, o risoto à milanesa com ossobuco (R$ 95,30) poderia ter a carne mais macia. Dupla de cremosidade, o latte caffè (R$ 25,10) reúne um sedoso pudim de leite e um creme brûlé de café. Rua Cônego Eugênio Leite, 523, Pinheiros, tel. 3088-4920.

Zucco.
As mesas que ficam na varanda envidraçada e decorada com um jardim suspenso são banhadas de luz natural no turno do dia, quando a casa costuma receber um público que faz reuniões de negócios. No jantar, o clima é mais intimista. Por lá, é possível saborear sugestões como o ravióli de pato com molho da própria carne salpicado de macadâmia (R$ 79,00). Como as colheradas de queijo mascarpone colocado por cima se desfazem com o calor, quase não são sentidas no paladar. Das entradas quentes, chama atenção o fundo de alcachofra gratinado com creme de espinafre e camarão ao lado de molho de tomate e salada (R$ 46,00 a pequena e R$ 69,00 a grande). Durante a semana no almoço, ao pedir qualquer prato do cardápio, o cliente não paga pela entrada. Tem uma filial no MorumbiShopping (tel. 5181-1858). Rua Haddock Lobo, 1416, Jardim Paulista, tel. 3897-0666.

Publicidade