Os melhores bares para beber drinques em São Paulo

Confira os endereços da categoria que foram selecionados para o guia COMER & BEBER 2018/2019

O pequenino Apothek, em Pinheiros, foi premiado como o melhor bar para bebericar coquetéis em São Paulo pelo guia COMER & BEBER 2018/2019.

Saiba mais detalhes da casa e de outros endereços dedicado às misturas etílicas selecionados por Saulo Yassuda no roteiro abaixo.

Apothek

Um aviso para começar: altões, atenção. O pé-direito do Apothek, montado numa antiga garagem, não passa de 2 metros. Cuidado com a cabeça ao se dirigir ao balcão, que tem os bartenders Alexandre D’Agostino na direção e Lívio Poppovic na execução de drinques encorpados, alcoólicos e deliciosos. Um deles é o tuxedo (gim, vermute branco, maraschino e anis; R$ 35,00), variação do martíni, que ali ganha a adição de jerez. Potente, o amaro crazy mxfx (R$ 35,00), com os aperitivos Cynar 70 e Averna, tequila e single malt defumado, impacta pelo amargor. Levinho, o jardin des fleurs (R$ 35,00) agrega gim, calda de especiarias e vermute branco, mais saquê para perfumar. De fora, é difícil supor que este microbar de apenas 17 metros quadrados ofereça drinques tão esmerados — os melhores da cidade. Rua Oscar Freire, 2221, Pinheiros. Não tem telefone.

 Banqueta

O único bar de coquetelaria de Moema é um endereço certeiro para quem quer beber e não pagar uma fortuna por uma taça. Não tem bartender famoso nem ambiente requintado, mas agrada a quem quer tomar um drinque no bairro. Escolha sua banqueta alta de metal e vá de clássicos como o fitzgerald (R$ 26,00), misto de gim, limão–siciliano, açúcar e Angostura. O serigueijo (R$ 23,00), sugestão exclusiva, refresca com cachaça, seriguela, água de coco, açúcar e hortelã. A água filtrada, para ajudar a hidratar, é cortesia. Para forrar o estômago, pastelzinho de costela suína com toque de barbecue com Jack Daniel’s (R$ 23,00 a porção). Avenida Cotovia, 619, Moema, 4175-4606.

+ Confira mais endereços do guia VEJA COMER & BEBER 2018/2019 

 Bar do Jiquitaia

É um dos melhores bares da cidade para amantes de coquetéis e de boa comida. Resumido a um balcão para oito pessoas mais uma mesa grande para outras doze, o espaço fica no andar de cima do restaurante Jiquitaia. Contam pontos a recepção da sócia Carolina Corrêa Bastos, quase sempre lá, a hospitalidade do bartender Felipe Leite, que prepara as boas misturas, e o capricho dos drinques, servidos sem muita firula em taças de vidro fino, agradáveis no toque dos lábios. Vai bem o da terra (R$ 29,00), combinação de uísque irlandês, xarope de banana-da-terra defumada, limão e dry curaçao. Também instiga as papilas o espumoso mandasour (R$ 25,00). Quase um mate turbinado, leva cachaça, chá-mate, mel de mandaçaia e limão. Da cozinha, mande vir a tigela de dobradinha (R$ 22,00), cheia de sabor e sem gordura de sobra. O ceviche de camarão quente (R$ 21,00) traz o crustáceo sobre um espesso molho de pegada ácida. Rua Antônio Carlos, 268, Consolação, 3262-2366.

 Benzina

Habituado a agitar as coqueteleiras por quase dez anos em redutos de luxo na Suíça — entre eles o balcão do Hotel Mandarin Oriental, em Genebra —, o bartender Gabriel Santana retornou a São Paulo no ano passado. O paulistano, de 28 anos, tinha uma missão: cuidar do bar de drinques bons e baratos dos donos da rede Bullguer, onde o clima é de festinha, não há serviço de mesa e o sistema para fazer o pedido é um cartão pré-pago. Deu certo. Ele e a equipe mandam bem no preparo de um copo atrás do outro, em ritmo frenético — e sem perder o padrão. A galera vai bebendo gimtônica com limão-siciliano (R$ 20,00), velho fashion (cachaça envelhecida, xarope de mel e bitters; R$ 18,00), bloody mary (R$ 22,00) e uma fileira de outros drinques, todos balanceados e bem-apresentados. Se a tarefa de garimpar coquetéis de qualidade por menos de R$ 30,00 é espinhosa, saiba: os preços no Benzina dificilmente ultrapassam R$ 25,00. Rua Girassol, 396, Vila Madalena, ☎ 3031- 2008.

 Cava Bar

Escondido no subsolo de uma antiga residência, o pequeno bar tem iluminação baixa e trilha sonora bem escolhida. São poucos os lugares para se sentar, e os melhores deles estão atrás do balcão comandado pelo bartender Diego Almirante Carvalho. De sua mão saem clássicos bem preparados, como o hanky panky (R$ 26,00), de gim, vermute tinto e Fernet-Branca. Para uma sugestão nacional, o rabo de galo revisitado (R$ 26,00) é uma mistura de cachaça Claudionor, Cynar e vermute tinto. Na hora de petiscar, vá de ovo cozido com gema cremosa marinado em saquê e shoyu e servido com alga wa-kame e cogumelo shimeji (R$ 16,00). Rua Guarará, 565 (subsolo), Jardim Paulista. Não tem telefone.

 D.O.T. — Drinks & Other Things

Quem nota o balcãozinho no lobby do Hotel Sheraton não imagina que lá se bebe muito mais que uma cervejinha com uma porção de amendoim. Os drinques, executados com habilidade, são obras do bartender Ricardo Bassetto. O chamado somewhere in time (R$ 34,00), uma mistura vermelha de Campari, vinho sauvignon blanc, xarope de tangerina com raiz de coentro e óleo de gengibre, vem com um gelão e broto de agrião. Doce e amargo ao mesmo tempo, fica ainda melhor conforme vai se diluindo. Avenida das Nações Unidas, 12559 (Hotel Sheraton WTC), Brooklin, 3043-6000.

 Espaço Zebra

É um verdadeiro bar reservado. Para conseguir visitar o charmoso espaço da jornalista e bartender Néli Pereira, que inclui ateliê e galeria, é necessário mandar uma mensagem de WhatsApp (99281-2483) para garantir a entrada — o lugar funciona só de sexta e sábado. O apotecário (R$ 29,00), drinque de gim, gengibre, laranja, limão e manjericão, é servido em um copo com bastante gelo picado. Vale pedir ainda a versão do fitzgerald (gim com infusão de jambu, limão-siciliano e açúcar) que vem com uma pipeta com um pouquinho de cachaça de jambu. Custa R$ 29,00. O bolinho de carne (R$ 10,00) é a opção para petiscar. Rua Major Diogo, 327, Bela Vista, 3105-5171.

 Fel 

Escuro e acolhedor, este é um lugar certeiro para tomar coquetéis no centro. Instalado no Edifício Copan, o pequeno Fel recebe apenas 25 clientes por vez, que provam os drinques que a equipe da bartender Michelly Rossi prepara com competência. A carta é repleta daquelas receitas clássicas que há muito perderam o estrelato mas nem por isso deixam de ser instigantes. O blood and sand (R$ 35,00), de uísque, vermute tinto e licor de cereja, alcança um raro equilíbrio na proporção dos ingredientes e é servido com um pedaço de chocolate amargo. De paladar cítrico, o chicago (R$ 35,00) combina rum jamaicano, vinho do Porto, limão e clara. Avenida Ipiranga, 200, loja 69 (Edifício Copan), centro, ☎ 3237-2215.

 Frank Bar

Hóspedes do Hotel Maksoud Plaza e aficionados de coquetelaria se encontram no recanto do bartender Spencer Amereno Jr. O cara presta atenção a todas as etapas, desde a pré-produção dos insumos dos drinques, conferida a Adriana Teodoro, até a hospitalidade da equipe, cada vez mais afinada. As misturas etílicas se mostram ótimas. Numa xícara de chá com gelo, o orgeat punch (R$ 40,00) agrada pela combinação de brandy de jerez, vinho madeira, xarope de castanha-de-baru e limão-siciliano. O marshmallow que vem ao lado não deve ser dispensado. Mesmo com uma carta superelaborada à disposição, vale deixar espaço para um clássico. O manhattan (bourbon Woodford Reserve, vermute Carpano Classico, orange bitter; R$ 39,00) é o melhor da cidade. Rua São Carlos do Pinhal, 424 (Hotel Maksoud Plaza), Bela Vista, ☎ 3145-8000.

 Guarita

Jean Ponce é um dos mestres da coquetelaria nacional. Neste espaço escurinho, que ainda guarda resquícios do ateliê de mosaico que o ocupava — o chão de caquinhos, por exemplo —, ele é o guardião do balcão, que foi ampliado e tem uma carta exclusiva para quem se senta ali. Uma das ótimas sugestões, o sinestesia (R$ 31,00) junta vinho jerez, vermutes, tintura de cogumelo shiitake e bitter de cardamomo, e vem com uma formiga com sabor de capim-limão sobre o gelo. O encorpado cavaleiro (R$ 31,00), de rum envelhecido, cachaça Anísio Santiago, vermute, amaros e bitter de madeiras, é trazido sobre um livro: Código de um Cavaleiro, de Ethan Hawke. Outra boa pedida, esta servida em qualquer lugar do bar, é a deliciosa e premiada caipirinha (R$ 18,00). Sócio de Ponce, Greigor Caisley é o autor do menu de petiscos, do qual se destacam as pizzas individuais. Um dos sabores inusitados (e bons) mescla língua bovina com a conserva coreana kimchi (R$ 29,00). Rua Simão Álvares, 952, Pinheiros, 3360-3651.

 Guilhotina 

Se você quer beber um drinque de boa, sem muita pose, o lugar é aqui. A casa do talentoso Márcio Silva — um dos bartenders que ajudam a divulgar a coquetelaria nacional pelo mundo —, ao lado dos sócios Marcello Nazareth e Rafael Berçot, recebe um público animado e fã de coquetelaria. A equipe afiada no balcão manda bons coquetéis do cardápio, que tem todo um conceito inspirado na carta O Louco do Tarô, sem muitas “amarras”. Destaca-se entre as opções o un*fool*ish (uísque 12 anos, vermute tinto, licor Bénedictine mais infusão de pêssego e flor de sabugueiro; R$ 31,00), com um belo gelo translúcido. Complexo, o chamado metade cheio (R$ 31,00) leva gim aromatizado com óleo de castanha-do-pará, vermute branco, Fernet-Branca com café, mel de uruçu-amarela e pimenta baníua. Rua Costa Carvalho, 84, Pinheiros, 3031-0955.

 Le Jazz Petit Bar

Este minibar fica no quarteirão mais concorrido da Rua dos Pinheiros, quase ao lado do restaurante que o originou, o Le Jazz Brasserie. O Petit tem clientes próprios, mas também recebe gente que aguarda um lugar no bistrô vizinho ou que quer tomar um digestivo depois do jantar. Embora haja mesas na calçada, o balcão, com apenas nove banquetas, é dos mais atraentes. Dá para ver de perto a equipe do bartender Danty Monteiro, filho do mestre Derivan de Souza, preparar coquetéis como o clássico martinez (gim, vermute tinto, marasquino e bitter; R$ 36,00) e o rat pack manhattan (bourbon, licor Grand Marnier, vermutes tinto e seco mais bitter; R$ 39,00). Entre umas e outras, aposte no croquete de bacalhau desfiado e empanado servido com azeite de salsinha (R$ 15,00, quatro unidades). Rua dos Pi-nhei-ros, 262, Pinheiros, 2359-8141.

+ Confira mais endereços do guia VEJA COMER & BEBER 2018/2019 

 Majestic Drinks

Foi o segundo bar que o bartender Neto Oliveira abriu na cidade. Ele ficou conhecido quando trabalhava no Astor, quase em frente ao Majestic, e depois ao inaugurar o Boteco Paramount, em Pinheiros (com previsão de abertura para este mês). No espaço de clima descon – traído, quase de boteco, com boa parte do público na calçada, bebem-se drinques clássicos bem preparados, como o uísque sour (R$ 24,90). Da linha de ginstônicas, o saboroso tangin (R$ 22,90) é aromatizado com casca de tangerina e tem a taça lambuzada de geleia da fruta. Bem simples, a cozinha manda opções como o sanduba de calabresa no pão francês coberto por bas taaante queijo prato derretido (R$ 19,90). Rua Delfina, 130, Vila Madalena, ☎ 3031-3745.

 Must

A maioria dos visitantes que entram no hotel Tivoli Mofarrej vai direto ao 23º andar, rumo ao Seen, restaurante da cobertura que coleciona até duas horas de fila nos fins de semana. Mas o bar do lobby também merece atenção. O espaço, com teto de vidro, atrai um público bem–vestido que costuma se encontrar para curtir jazz — às quintas é cobrado um couvert artístico de R$ 60,00 — e, é claro, beber drinques bem preparados. Clássicos como o old fashioned (R$ 34,00) se saem tão bem quanto as criações da bartender consultora Jéssica Sanchez. O please don’t tell (R$ 34,00), de rum, xarope de grapefruit e redução de champanhe, agrada pela doçura em equilíbrio. Da lista de entradinhas, o steak tartare com fritas (R$ 59,00) é boa pedida. Vez ou outra, o serviço se mostra pouco atento. Alameda Santos, 1437 (Hotel Tivoli Mofarrej), Cerqueira César, 3146-5832.

 Negroni

Um ambiente bacana como o desta casa, com um balcão atraente e iluminação amena, tem seu ônus e seu bônus. Embora se trate de um espaço super-receptivo a casais, nem sempre se consegue ler bem o cardápio no breu. E a lanterna de celular pode quebrar o clima. Na hora de beber, os olhos se voltam para o clássico que dá nome ao bar (R$ 29,00), de gim, vermute tinto e bitter. A mistura ganha versões como o negroni thai (R$ 29,00), com a adição de rum, limão, laranja, maracujá, licor de amêndoa e muito gelo raspado. Há também clássicos como o equilibrado vieux carré (R$ 29,00), de conhaque, bourbon, vermute tinto, licor Bénédictine e bitters. O menu elenca boas pizzas feitas com massa de fermentação longa e tamanho individual, como a de berinjela assada, mussarela de búfala e pesto (R$ 31,00). Uma pena: o serviço nem sempre se mostra eficiente. Rua Padre Carvalho, 30, Pinheiros, 2337-4855.

 Olívio Bar

A rubrica da casa são os drinques chamativos e de apresentação divertida. Um deles é o docinho liberté (gim, rum aromatizado com coco, limão, abacaxi e licor de laranja; R$ 32,00), que chega numa gaiola. Tem também o moscow mule olívio (vodca, xarope de açúcar de palmeira e gengibre, ginger beer e espuma de limões; R$ 29,00), que recebe toque de baunilha e aparece com um recadinho acoplado. Quando bater a fome, vá de coxinha cremosa espetada com pimenta-biquinho (R$ 31,00, oito unidades). Rua Delfina, 196, Vila Madalena, 2372-6477.

 Sala da Sogra

A estrutura simples não chama atenção por fora nem por dentro. O teto é baixo e a fórmica marrom das mesas já tem os cantos lascados. Por outro lado, o cardápio surpreende com pedidas mais incrementadas que a de muitos botecos por aí. No endereço, o trivial pastelzinho ganha recheio de lagostim com cream cheese (R$ 39,00, oito unidades). Entre os drinques, há o refrescante pear lemongrass (R$ 25,00), que combina vodca, capim-santo, xarope de rapadura e suco de pera aos limões siciliano e taiti. Rua Luís Góis, 1150, Mirandópolis, 2389-5519.

 SubAstor

O que já era muito bom consegue ficar melhor. A nova carta de drinques de Fabio la Pietra surpreende. O italiano busca referência em ingredientes de regiões brasileiras para criar suas misturas. Complexo, o coquetel inspirado na Mata Atlântica tem o nome de cacau (R$ 33,00). Leva o líquido extraído do fruto, gim, cerveja witbier e solução salina. Do cerrado, o bacuri (R$ 33,00) traz polpa dessa fruta com o destilado genever, jerez e bitter de laranja. A lista de atrações inclui o caprichado menu de petiscos e o ambiente reformulado, com mais espaço para circular. Uma baixa: o bar sentiu a saída do bartender Rogério Souza, o Frajola, em julho. Ex-braço-direito do titular, ele preparava clássicos como poucos. Rua Delfina, 163 (entrada pelo Astor), Vila Madalena, ☎ 3815-1364.

+ Confira mais endereços do guia VEJA COMER & BEBER 2018/2019 

 Sylvester Bar

Depois de dezesseis anos na Cia. Tradicional de Comércio, onde passou pelos bares Astor e SubAstor, o bartender Rogério Souza, o Frajola, seguiu novo rumo. Montou, em Pinheiros, com dois sócios, o Sylvester Bar, que faz referência ao nome original, em inglês, do personagem Frajola, da Looney Tunes. Atrás do balcão, ele prepara criações que custam R$ 26,90 cada uma. Algumas levam hortaliças, caso do vegetable negroni, uma versão do clássico italiano (gim, Campari e vermute tinto) que troca o destilado por tequila com infusão de beterraba, o que garante uma nota terrosa ao drinque. Ainda mais baratos, os clássicos são bem preparados. Vai bem o hanky panky (R$ 25,90), com gim, vermute tinto e Fernet Branca. Rua Maria Carolina, 745, Pinheiros, ☎ 3034-1268.

 Terraço Itália

O bar, no centro do salão, tem piso rebaixado. Isso faz com que os barmen fiquem na mesma altura das pessoas sentadas nas cadeiras do balcão. As poltronas mais concorridas, no entanto, são as encostadas no vidro, coladinhas na estonteante vista da cidade. Não raro, os frequentadores pedem incessantemente aos atendentes para trocar de mesa, até conquistá–las. O uísque sour (R$ 46,00), embora carregado no açúcar, vai bem com a porção de arancini com pancetta (R$ 56,00). Avenida Ipiranga, 344, 41º andar (Edifício Itália), centro, 2189-2929.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s