Clique e assine por apenas 6,90/mês

Le Jazz Brasserie

(Desde 2009)

Tipos de Restaurantes: Franceses

VejaSP:

Endereço: Rua dos Pinheiros, 254 - Pinheiros - São Paulo - SP ver no mapa

Telefone: (11) 23598141

Horário:

segunda-feira 12:00 - 00:00

terça-feira 12:00 - 00:00

quarta-feira 12:00 - 00:00

quinta-feira 12:00 - 00:00

sexta-feira 12:00 - 01:00

sábado 12:00 - 01:00

domingo 12:00 - 00:00

Feriados das 12h30 à 0h.

Faixa de preço: De R$116,00 a R$175,00

Informações adicionais: Lugares/Capacidade total (46 lugares), Levar vinhos (permite) (R$ 30,00)

Resenha por Arnaldo Lorençato e Saulo Yassuda

Um case vitorioso na culinária francesa de São Paulo, o bistrô surgiu em 2009. Ao longo de uma década, tornou-se uma bem sucedida rede ao se multiplicar por quatro endereços, o último deles aberto em março de 2019 no Shopping Pátio Higienópolis. O chamariz para a clientela é o cardápio de clássicos montado pelo chef e sócio Chico Ferreira a preços razoáveis. Tanto que o prato mais pedido é o filé ao molho de mostarda com espinafre e fritas (R$ 68,50). Outro prato de grande saída é a tagine de cordeiro (R$ 55,00), um cozido do Marrocos preparado numa panela típica de tampa cônica e acompanhado de tabule de cuscuz, servido só às quintas. Antes, vá de calamar à la carbonara (R$ 47,00), uma deliciosa lula gratinada com creme de leite, gema de ovo caipira, parmesão e crocante de presunto cru que o chef copiou do cardápio da parisiense Brasserie Thoumieux. Com bela execução, o creme brûlé (R$ 23,00) aromatizado com muita baunilha em fava vem com uma casquinha dourada e fina de açúcar.

Informações checadas entre agosto e outubro de 2019.

    DERRAPADA FRANCESA

    Sempre que recebo uma sugestão sobre novos pratos em um restaurante, é um prazer sair para experimen tá- los — lembrando que de maneira anônima e com as contas pagas pela revista. O chef Chico Ferreira, da rede Le Jazz Brasserie, acaba de acrescentar quatro receitas ao menu, que provei na unidade inaugurada em junho de 2019 em Higienópolis. Cheguei pouco depois das 22h, quando o movimento está mais tranquilo. O jantar, entretanto, não foi agradável como em outras vezes. O começo, muito bom, foi com o delicioso alho-poró cozido no vapor ao vinagrete de mostarda de Dijon com ovo ralado (R$ 20,00). Em seguida, pedi o côte de bouef (R$ 156,00), um bistecão de contrafilé para dois que veio nadando em mioglobina, o líquido que sai da carne. O corte angus de qualidade merecia melhor apresentação, uma vez que até as bordas do prato estavam sujas. Pedi uma taça de vinho — pulem o tinto da casa, que é um português envazado em caixa longa-vida —, que chegou quando eu estava ter minando e depois de muita insistência minha. Pior foi ficar na mesa por vinte minutos com o que sobrou da carne até que alguém retirasse o prato e fizesse o pedido da sobremesa. Passaram-se mais quinze minutos esperando o doce, uma torta de maçã fria com sorvete (R$ 23,00). Foi minha noite de cliente invisível. 

    Informações checadas em dezembro de 2019

    Um case vitorioso na culinária francesa de São Paulo, o bistrô surgiu em 2009. Ao longo de uma década, tornou-se uma bem sucedida rede ao se multiplicar por quatro endereços, o último deles aberto em março de 2019 no Shopping Pátio Higienópolis. O chamariz para a clientela é o cardápio de clássicos montado pelo chef e sócio Chico Ferreira a preços razoáveis. Tanto que o prato mais pedido é o filé ao molho de mostarda com espinafre e fritas (R$ 68,50). Outro prato de grande saída é a tagine de cordeiro (R$ 55,00), um cozido do Marrocos preparado numa panela típica de tampa cônica e acompanhado de tabule de cuscuz, servido só às quintas. Antes, vá de calamar à la carbonara (R$ 47,00), uma deliciosa lula gratinada com creme de leite, gema de ovo caipira, parmesão e crocante de presunto cru que o chef copiou do cardápio da parisiense Brasserie Thoumieux. Com bela execução, o creme brûlé (R$ 23,00) aromatizado com muita baunilha em fava vem com uma casquinha dourada e fina de açúcar.

    Informações checadas entre agosto e outubro de 2019.