Frank (Desde 2015)

Tipos de Bares: Drinques
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars
Endereço: Alameda Campinas, 150 - Hotel Maksoud Plaza - Bela Vista - São Paulo - SP ver no mapa
Telefone: (11) 31458000
Horário:
segunda-feira
18:00 - 01:00
terça-feira
18:00 - 01:00
quarta-feira
18:00 - 01:00
quinta-feira
18:00 - 02:00
sexta-feira
18:00 - 02:00
sábado
18:00 - 02:00
domingo
18:00 - 00:00
payment

Formas de pagamento

Cartões de crédito: Visa, Mastercard, Diners e American Express
Cartões de débito: Visa Electron, Rede Shop e Maestro

check_circle

Informações adicionais

Estacionamento/Valet (R$ 26,00), Lugares/Capacidade total (30)

Resenha por Saulo Yassuda

A nova carta do Frank é bonita, ilustrada e cheia de informação — e de bebida boa também. Traz vinte drinques, que refletem o empenho do bartender Spencer Amereno Jr. no estudo da coquetelaria, e é dividida em seções. A primeira delas homenageia bartenders célebres do mundo, como Kazuo Uyeda, baseado em Tóquio. Receita do japonês, o pure love (foto; R$ 35,00) agrupa gim, shochu, limões taiti e galego, coalhada de framboesa mais açúcar de palma e é finalizado com espuma de gengibre, uma perfumada fatia de flor-de-lótus e um biscoito da sorte. Criada por Uyeda, a técnica hard shake, jeito de bater o drinque vigorosa e coreografadamente, faz a mistura ficar gelada e aveludada. Da linha autoral de Spencer, uma boa pedida é o smash (R$ 35,00). Com diferentes camadas de sabor, leva gim, vermute seco, xarope de salsão e hortelã, chutney de manga e limão. Se preferir tomar um clássico, o titular e sua equipe preparam sete versões de martíni com o gim inglês Plymouth todas as segundas, terças e quartas do mês.

Preços checados em novembro de 2017.

    Comer e beber

    • 2017 - Participante

      Drinques Comer & Beber .

      Boa parte do público aparece com a esperança de ver de perto o trabalho de Spencer Amereno Jr., considerado o bartender do ano em 2016. Ele e sua equipe, que tem nomes a se observar, como o talentoso José Ronaldo, expedem do balcão ótimos drinques. Recém-reformulada, a carta traz pedidas como o maverick negroni (R$ 35,00), com gim, vinho manzanilla, Amaro Lucano, chocolate bitters, infusão de castanha-do-pará e um toque de sal. Infelizmente, o serviço está longe do esperado para um bar de hotel cinco-estrelas — o espaço fica dentro do Maksoud Plaza. Os garçons podem, por descuido, não avisar algumas mesas sobre o encerramento do serviço, algo padrão, ou esquecer a caipirinha clássica (R$ 25,00) no balcão, o que faz com que ela chegue aguada. (Preços checados em setembro de 2017).

      Saulo Yassuda e Fábio Galib

    • 2016 - Vencedor

      Bares carta de drinques Comer & Beber .

      Para chegar à excelência do que mata a sede — etílica — da clientela, o barman Spencer Amereno Jr. trabalha como se fosse um chef de cozinha. Seleciona os melhores produtos e pensa com carinho na apresentação das criações e releituras de clássicos. À sua disposição, ele tem a estrutura da cozinha do Hotel Maksoud Plaza, onde fica o bar. Uma bartender-cozinheira o assiste no preparo de infusões, sucos e tinturas enquanto outro auxiliar o ajuda a esculpir o gelo, peça fundamental na coquetelaria. O resultado é encontrado no copo em delícias como o the crusher (R$ 33,00, o preço de todos os drinques), que junta brandye rum envelhecidos, vermute tinto e pimenta-da-jamaica. E esse é só um dos muitos componentes do banquete que se tem por lá. Líquido, no caso. (Preços checados em setembro/outubro de 2016.)

      Saulo Yassuda e Fábio Galib

    • 2016 - Vencedor

      Bares Bartender do ano Comer & Beber .

      Todos querem Spencer. Depois de conquistar um esquadrão de tietes etílicos pelos balcões por onde passou — o extinto MyNY Bar e o Isola —, o bartender fixou-se em 2015 no Frank. O bar do Hotel Maksoud Plaza, para o qual ninguém dava muita bola, sai da obscuridade com a vinda do profissional. Sua vasta lista de funções inclui, além de agitar as coqueteleiras, supervisionar as compras, treinar a brigada e cuidar de mídias sociais. O tempo ocioso ele utiliza para manter ligado o processo inventivo na cachola — anota todas as ideias de drinques em um documento de Word no celular. “Já estou criando a próxima carta”, afirma. Detalhe: faz apenas três meses que a lista atual foi lançada. Para dar conta das tarefas, treina a equipe até cada componente virar uma extensão do próprio titular. Ainda assim, há quem vá embora do endereço se o barman número 1 não estiver na bancada, sem saber o que está perdendo. Não é fácil ser Spencer. (Preços checados em setembro/outubro de 2016.)

      Saulo Yassuda e Fábio Galib

    • 2015 - Indicado

      Bares carta de drinques Comer & Beber .

      Spencer Amereno Jr. é um perfeccionista. O barman não mede esforços para encontrar a fórmula do drinque perfeito. Chegar mais cedo e esculpir pedras de gelo, por exemplo, tornou-se parte da rotina do paulistano. Após um ótimo trabalho no balcão do extinto MyNY Bar e, depois, no Isola — passagens que lhe renderam dois prêmios na edição VEJA COMER & BEBER —, o profissional está de endereço novo desde abril. Associou-se ao Hotel Maksoud Plaza e passou a ter a responsabilidade sobre o velho Batidas & Petiscos, no lobby. O ambiente meio caído foi quase todo preservado, mas ganhou nova vida nas mãos de Spencer, que tem autonomia para criar e comprar ingredientes e equipamentos. Da lista de deliciosas misturas, a maioria de clássicos resgatados, o mississippi punch (R$ 31,00), de armanhaque, rum, bourbon e limão-taiti, ganha refrescância com injeção de gás carbônico. Uma taça umedecida com absinto recebe a incrível mistura de gim, vermute tinto e bitter (pelo mesmo preço), receita de um antigo martíni. Ácido de “pegar” na garganta, o shrub #6 (R$ 33,00) é outra atração que merece palmas. Leva bourbon, limão-galego, bitter, toque de vinho madeira e shrub de framboesa, tipo de xarope avinagrado. (Preços checados em setembro/outubro de 2015).

      Saulo Yassuda

    • 2015 - Indicado

      Bares bar revelação Comer & Beber .

      Spencer Amereno Jr. é um perfeccionista. O barman não mede esforços para encontrar a fórmula do drinque perfeito. Chegar mais cedo e esculpir pedras de gelo, por exemplo, tornou-se parte da rotina do paulistano. Após um ótimo trabalho no balcão do extinto MyNY Bar e, depois, no Isola — passagens que lhe renderam dois prêmios na edição VEJA COMER & BEBER —, o profissional está de endereço novo desde abril. Associou-se ao Hotel Maksoud Plaza e passou a ter a responsabilidade sobre o velho Batidas & Petiscos, no lobby. O ambiente meio caído foi quase todo preservado, mas ganhou nova vida nas mãos de Spencer, que tem autonomia para criar e comprar ingredientes e equipamentos. Da lista de deliciosas misturas, a maioria de clássicos resgatados, o mississippi punch (R$ 31,00), de armanhaque, rum, bourbon e limão-taiti, ganha refrescância com injeção de gás carbônico. Uma taça umedecida com absinto recebe a incrível mistura de gim, vermute tinto e bitter (pelo mesmo preço), receita de um antigo martíni. Ácido de “pegar” na garganta, o shrub #6 (R$ 33,00) é outra atração que merece palmas. Leva bourbon, limão-galego, bitter, toque de vinho madeira e shrub de framboesa, tipo de xarope avinagrado. (Preços checados em setembro/outubro de 2015).

      Saulo Yassuda

    • 2015 - Indicado

      Bares barman do ano Comer & Beber .

      Spencer Amereno Jr. é um perfeccionista. O barman não mede esforços para encontrar a fórmula do drinque perfeito. Chegar mais cedo e esculpir pedras de gelo, por exemplo, tornou-se parte da rotina do paulistano. Após um ótimo trabalho no balcão do extinto MyNY Bar e, depois, no Isola — passagens que lhe renderam dois prêmios na edição VEJA COMER & BEBER —, o profissional está de endereço novo desde abril. Associou-se ao Hotel Maksoud Plaza e passou a ter a responsabilidade sobre o velho Batidas & Petiscos, no lobby. O ambiente meio caído foi quase todo preservado, mas ganhou nova vida nas mãos de Spencer, que tem autonomia para criar e comprar ingredientes e equipamentos. Da lista de deliciosas misturas, a maioria de clássicos resgatados, o mississippi punch (R$ 31,00), de armanhaque, rum, bourbon e limão-taiti, ganha refrescância com injeção de gás carbônico. Uma taça umedecida com absinto recebe a incrível mistura de gim, vermute tinto e bitter (pelo mesmo preço), receita de um antigo martíni. Ácido de “pegar” na garganta, o shrub #6 (R$ 33,00) é outra atração que merece palmas. Leva bourbon, limão-galego, bitter, toque de vinho madeira e shrub de framboesa, tipo de xarope avinagrado. (Preços checados em setembro/outubro de 2015).

      Saulo Yassuda

    Comentários
    Deixe um comentário

    Olá, ( log out )

    * A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s