Clique e assine com até 89% de desconto

Frank Bar

(Desde 2015)

Tipos de Bares: Drinques

VejaSP:

Endereço: Rua São Carlos do Pinhal, 424 - Hotel Maksoud Plaza - Bela Vista - São Paulo - SP ver no mapa

Telefone: (11) 31458000

Horário:

segunda-feira - Fechado

terça-feira - Fechado

quarta-feira - Fechado

quinta-feira 17:00 - 22:00

sexta-feira 17:00 - 22:00

sábado 17:00 - 22:00

domingo - Fechado

Informações adicionais: Acesso para deficientes, Lugares/Capacidade total (37), Levar vinhos (permite) (R$ 90,00)

Resenha por Saulo Yassuda

Após a saída do bartender Spencer Amereno Jr., que cuidava do bar desde a inauguração, ficou a pergunta: e agora? Será que a casa vai manter a qualidade? A resposta, felizmente, é sim (ainda que o hotel que sedia o estabelecimento esteja em recuperação judicial). A equipe, muito bem treinada pelo antigo titular, conseguiu manter o bar na elite da coquetelaria da capital, não só no atendimento hospitaleiro como na qualidade do que se bebe. No salão repaginado de leve no ano passado, são servidos coquetéis como o excepcional new world snapper (R$ 35,00), uma variação do clássico red snapper, com suco de tomate preparado ali mesmo, cachaça, gim, tucupi preto, pimenta-de-cheiro, molho inglês e sucos cítricos. A acidez da pedida provoca o paladar para mais um gole, temperado e levemente picante. Com espírito tropical, o nui nui (R$ 36,00) é uma composição geladinha e adocicada de rum e cachaça envelhecida em amburana, xarope de pimenta-da-jamaica, especiarias, cítricos e bitters. A margarita (R$ 42,00), grande clássico de tequila, pode ganhar uma excelente versão feita com o destilado aromatizado em óleo de coco. Os petiscos com jeito de boteco aparecem no cardápio. Um deles é o bolinho de bacalhau (R$ 39,00, seis unidades), com massa mais elástica e firme, quase de croquete.

Informações checadas entre outubro e novembro de 2020.

    Após a saída do bartender Spencer Amereno Jr., que cuidava do bar desde a inauguração, ficou a pergunta: e agora? Será que a casa vai manter a qualidade? A resposta, felizmente, é sim (ainda que o hotel que sedia o estabelecimento esteja em recuperação judicial). A equipe, muito bem treinada pelo antigo titular, conseguiu manter o bar na elite da coquetelaria da capital, não só no atendimento hospitaleiro como na qualidade do que se bebe. No salão repaginado de leve no ano passado, são servidos coquetéis como o excepcional new world snapper (R$ 35,00), uma variação do clássico red snapper, com suco de tomate preparado ali mesmo, cachaça, gim, tucupi preto, pimenta-de-cheiro, molho inglês e sucos cítricos. A acidez da pedida provoca o paladar para mais um gole, temperado e levemente picante. Com espírito tropical, o nui nui (R$ 36,00) é uma composição geladinha e adocicada de rum e cachaça envelhecida em amburana, xarope de pimenta-da-jamaica, especiarias, cítricos e bitters. A margarita (R$ 42,00), grande clássico de tequila, pode ganhar uma excelente versão feita com o destilado aromatizado em óleo de coco. Os petiscos com jeito de boteco aparecem no cardápio. Um deles é o bolinho de bacalhau (R$ 39,00, seis unidades), com massa mais elástica e firme, quase de croquete.

    Informações checadas entre outubro e novembro de 2020.