Roteiro

Restaurantes japoneses com balcões disputados

Aze Sushi, Jun Sakamoto e outros dez endereços com bancadas para assistir ao sushiman preparando os sushis e sashimis

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

Aze Sushi - em alta
Aze Sushi: lugares disputados diante do balcão (Foto: Fernando Moraes)

Assistir ao sushiman preparando sushis e sashimis é uma atração à parte. Em nossa seleção, conheça restaurantes japoneses cujos lugares mais disputados são diante do balcão:

+ ESPECIAL: avaliamos os melhores rodízios de comida japonesa

  • Japoneses

    Aizomê

    Alameda Fernão Cardim, 39, Jardim Paulista

    Tel: (11) 3251 5157

    VejaSP
    4 avaliações

    Ao se sentar numa das cadeiras ao redor do balcão e solicitar um menu degustação (R$ 210,00), não espere tanto das pedidas frias, ou melhor, geladas, no caso dos sashimis e sushis. Fatiados com antecedência e deixados no refrigerador, peixes como linguado, carapau e atum ficam quase sem gosto. Felizmente, o mesmo não se pode dizer das sugestões quentes, preparadas pela sócia Telma Shiraishi. Entre as delícias, aparecem ostra empanada e frita com molho tártaro e beterraba e entrecôte de wagyu servido bem malpassado na pedra quente com cogumelos. Sobremesas como a musse de matchá decorada com frutas vermelhas (R$ 26,00), a cargo da chef confeiteira Vivianne Wakuda valem a visita.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Japoneses

    Aze Sushi

    Rua Doutor Renato Pais de Barros, 769, Itaim Bibi

    Tel: (11) 3071 2047

    VejaSP
    11 avaliações

    Quando estreou três anos atrás, era um dos representantes orientais mais promissores da cidade. Hoje, caiu em uma certa acomodação. Num cenário moderninho que lembra mangás, os quadrinhos japoneses, há opções de inspiração mais caseira, como o nira tama (R$ 21,00), os ovos mexidos com o alho verdinho oriental. Molusco sempre marcante, a ostra perde um pouco de intensidade ao ser gratinada com maionese verde colorida por salsa crespa (R$ 22,00). Mais atraentes são as porções com cinco unidades de sashimi, tanto a de polvo (R$ 30,00) quanto a de olho-de-boi (R$ 35,00). Oferecidos em uma seleção especial individual com dez bolinhos, os sushis recebem coberturas como chutoro, atum, camarão, olho-de-boi, vieira, ovas de ouriço, cavalinha, carapau, serra e enrolado de atum (R$ 105,00). Quem quiser um par de ovas de massagô paga R$ 18,00. Dividida ao meio e na própria casca, a banana flambada tem a companhia de sorvete de creme (R$ 20,00). O sushiman também prepara degustações com preços de R$ 170,00, R$ 210,00 e R$ 270,00.

    Preços checados em 15 de julho de 2015.

    Saiba mais
  • Japoneses

    Aya Japanese Cuisine

    Avenida Pedroso de Morais, 141, Pinheiros

    Tel: (11) 3097 9856 ou (11) 3097 8071

    VejaSP
    7 avaliações

    Responsável pelos bons resultados, o sócio Juraci Pereira abriu em junho uma casa mais simples, o Niaya, no Jardim Paulistano. Aqui, uma das melhores maneiras de provar as sugestões é a degustação (R$ 182,00 por pessoa às segundas e R$ 264,00 nos demais dias). Inclui sushis de chutoro com ovas e flor de sal, barriga de salmão salpicada de raspas de limão e flor de sal, robalo corado por pimenta ralada com nabo mais sal do Himalaia e lula com conserva de yuzu e sal negro do Havaí, além de pratos quentes. Entusiasta de diversos tipos desal, o chef usa o condimento até numa sobremesa, a musse de chocolate (R$ 20,00). Ele está, porém, no limite do exagero, o que pode tirar o restaurante da linha de qualidade.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Japoneses

    Hamatyo

    Avenida Pedroso de Morais, 393, Pinheiros

    Tel: (11) 3813 1586

    VejaSP
    3 avaliações

    O ritual acontece todas as noites, com exceção dos domingos. No salão de apenas vinte lugares, o veterano Ryoichi Yoshida prepara somente porções de sashimis ou de sushis. Não são em conta. A seleção individual de bolinhos cobertos por peixes variados e com o nome da casa sai por R$ 200,00. Também é possível pedi-los em duplas. Se a vieira congelada importada do Canadá pode parecer sem graça, brilham peixes frescos como o robalo com shissô, o carapau, o olho-de-boi gordo e um pargo de aplaudir. De tempos em tempo,o itamae — como se fala chef em japonês— recebe até o bluefin, o atum-azul gigante congelado e importado de Twain.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Japoneses

    Jun Sakamoto

    Rua Lisboa, 55, Pinheiros

    Tel: (11) 3088 6019

    VejaSP
    5 avaliações

    Uma casa sem nome na fachada esconde o endereço mais caro e refinado da categoria. O clima de exclusividade é reforçado pelo modo de funcionamento: sempre com reserva, apenas oito pessoas são atendidas pelo próprio Jun Sakamoto a cada noite. A degustação (R$ 365,00) inclui dezesseis sushis, como o de vieira carnuda maçaricada de leve e finalizada com gotas de limão-siciliano e o de carapau ao gengibre. A combinação do arroz morno com um pouco (bem pouco) de shoyu fica uma delícia. Da cozinha, chegam pratos quentes, caso do ninho de ovo de codorna de gema mole com azeite trufado e alho-poró frito e do lámen no caldo delicado de peixe. Puro refinamento.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Japoneses

    Kinoshita

    Rua Jacques Félix, 405, Vila Nova Conceição

    Tel: (11) 3849 6940

    VejaSP
    2 avaliações

    Entre os expoentes da categoria, o restaurante comandado pelo chef Tsuyoshi Murakami oferece pequenos (e caros) bocados da culinária japonesa. Com dez fatias de atum, buri, salmão, namorado e serra, o sashimi matsu sai por R$ 74,00. Já a versão pequena de bem montados sushis, com nove unidades, custa R$ 89,00. Antes empanado na farinha panko e agora servido como um tempurá bem levinho, o ebi fry (R$ 76,00) traz deliciosos pedaços de camarão frito — a porção diminuta dá vontade de pedir bis. Sem acompanhamento incluso, a barriga de salmão marinada por três dias no missô (R$ 55,00) é finalizada por raspas de limão. Antigo no cardápio, o choco moti (R$ 30,00) é a melhor sobremesa. Trata-se de uma dupla de bolinhas à base de arroz recheadas de chocolate belga e servida com sorvete.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Japoneses

    Kosushi - Itaim Bibi

    Rua Viradouro, 139, Itaim Bibi

    Tel: (11) 3167 7272

    VejaSP
    4 avaliações

    Tem visual moderno esta dupla de casas frequentada por jovens e executivos. Por lá, provam-se sushis por unidade de peixes como serra (R$ 9,00) e robalo (R$ 14,00). Para quem gosta de pedidas empanadas, o hot roll de salmão é incrementado com cream cheese e cebolinha (R$ 33,00). O yakissoba de carne (R$ 38,00) figura na lista de opções quentes. No almoço durante a semana, um dos combos do menu executivo traz carpaccio de peixe branco, sete fatias de sashimi e tempurá (R$ 65,00). Finalize com a musse de chocolate (R$ 14,00).

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Japoneses

    Momotaro

    Rua Diogo Jácome, 591, Vila Nova Conceição

    5 avaliações
  • Japoneses

    Shin-Zushi

    Rua Afonso de Freitas, 169, Paraíso

    Tel: (11) 3889 8700

    VejaSP
    4 avaliações

    O tradicional e concorrido balcão está sentindo a distância do sushiman Ken Mizumoto, atualmente dedicado ao recém-inaugurado izakaya Yorimichi, também no Paraíso. No mesmo valor de R$ 280,00 desde o ano passado, a degustação deslizou na temperatura do chutoro, por exemplo. De tão gelado, quase não dava para sentir o sabor da gordura do peixe. Outros sushis, como os de barriga de olhete, carapau com gengibre ralado e serra, compensam, e muito. A cozinha expede ainda alguns quitutes quentes para entreter o paladar. Apesar de um tanto oleoso, o tempurá de milho faz uma graça ao explodir na boca. Para finalizar, um caldo de peixe bem suave com cogumelo, cebolinha e camarão.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Japoneses

    Sushiguen

    Rua Manoel da Nóbrega, 76, Cerqueira César

    Tel: (11) 3289 5566

    VejaSP
    5 avaliações

    Dividir a mesma galeria com o premiado concorrente Kan Suke (eleito o melhor da categoria em 2013, 2014 e neste ano) e continuar sempre cheio já é um bom sinal. Aqui, a proposta de serviço é menos ortodoxa. “Pode pôr wasabi no sushi?”, os garçons perguntam antes de trazer à mesa a dupla de bolinhos de arroz cobertos por fatias grandes de atum (R$ 24,00). É melhor dizer que sim: a quantidade da raiz-forte vem exata, nem a mais nem a menos. Na porção de trinta fatias de sashimi (R$ 120,00), a variedade de peixes contempla buri, carapau com gengibre e cebolinha ralados por cima, atum e salmão. Antes, não deixe de pedir a porção de guioza de carne bovina na massa fininha (R$ 22,00).

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Japoneses

    Shigueru

    Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 275, Itaim Bibi

    Tel: (11) 3079 2200

    VejaSP
    3 avaliações

    Tem o mérito de manter o padrão de atendimento e de cozinha quando a casa se encontra cheia ou mais tranquila. Se estiver com tempo, peça o sukiyaki (R$ 160,00), tradicional cozido de vegetais com cogumelos e carne. Ele é montado na mesa vagarosamente, respeitando a velocidade de cozimento de cada ingrediente. Só no jantar, a casa faz o ebi shinjo (R$ 35,00, seis unidades), uma porção de trouxinhas recheadas de camarão. O balcão frio capricha na quantidade de atum do temaki (R$ 25,00) e no corte dos sashimis no combinado simples (R$ 86,00).

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Japoneses

    Sushi Kiyo

    Rua Tutoia, 223, Paraíso

    Tel: (11) 3887 9148

    VejaSP
    1 avaliação

    Na ativa desde a década de 60, o sushiman Kiyomi Watanabe foi um dos primeiros a servir combinados na cidade. Vale subir alguns degraus de escada até o salão e pedir o seu. O mais simples traz quinze peças e custa R$ 75.00. Da linha de sugestões quentinhas, o tanuki udon vem com o macarrão no caldo mais lascas de massa de tempurá e cebolinha (R$ 38,00). Também agrada a anchova grelhada servida com arroz e missoshiru.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO