Publicidade

Postado em 19/07/2014 por Arnaldo Lorençato | 1 comentário

Bel Coelho volta com menus especiais do Clandestino

Bel Coelho: dois jantares especiais por mês em sua cozinha laboratório (Fotos: divulgação)

Bel Coelho: dois jantares especiais por mês em sua cozinha-laboratório (Fotos: divulgação)

Depois de pouco mais de um ano de ausência em um restaurante, a chef Bel Coelho está de volta. Ainda que apenas duas vezes por mês em noites especiais, os fãs dos pratos contemporâneos da cozinheira poderão matar a saudade.

+ O fechamento do Dui/Clandestino

+ Refeições memoráveis em 2012: Clandestino

+ Restaurante francês com cozinha de bistrô faz refeição completa a 34,50 reais

Bel inaugura os jantares do Clandestino, seu restaurante sazonal, em 2 de agosto, no pequeno espaço que ela montou em sua cozinha-laboratório na Vila Madalena. Fica na Rua Medeiros de Albuquerque, 97, e atende somente por reservas pelos telefones 2861-0010 e 96055-7700 com Fábio Moreira. O novo menu com o preço você confere no fim do post.

Salada brasileira: prato de abertura do menu especial em nove etapas

Salada brasileira: prato de abertura do menu especial em nove etapas

Para quem ainda não teve a oportunidade de provar a criatividade de Bel, conto um pouco de sua história na cozinha. Profissionalmente, ela começou com apenas 17 anos em um estágio com Laurent Suaudeau, um dos melhores chefs que o país já conheceu e hoje dono de uma escola de culinária com seu nome. Depois, também estagiou em restaurantes como o Fasano e o D.O.M.

+ Em vídeo: Joan Roca, o melhor chef do mundo em 2013, come pastel de feira

+ Joan Roca participa da premiação do Comer & Beber

“Com o Laurent, aprendi a disciplina, e com o Alex [Atala], a criatividade”, ela me disse pouco antes de receber o prêmio de chef revelação da edição especial “Comer & Beber” de VEJA SÃO PAULO em 2004. Nessa época, estava no extinto Sabuji, no Jardim Paulistano, depois de ter tido a primeira experiência-solo no comando dos fogões no Madelleine, outra casa de vida breve, aberta na Vila Madalena em 2003.

No antigo e memorável menu dos orixás: prato dedicado à Iemanjá de robalo grelhado com pérolas de leite de coco e capim-santo mais areia de coco (Foto: Sergio Coimbra)

Prato para Iemanjá no antigo e memorável menu dos orixás:  robalo com pérolas de leite de coco e capim-santo mais areia de coco  servido num espelho (Foto: Sergio Coimbra)

Em seguida, Bel pôs o pé no avião e morou na Europa entre 2005 e 2007. Bateu cartão trabalhando em restaurantes de países como Inglaterra, França, Portugal e Espanha. Um deles era justamente o conceituado El Celler de Can Roca, localizado na cidade espanhola de Girona, contemplado com três estrelas no Guia Michelin e considerado em 2013 o melhor do mundo pela revista inglesa Restaurant, que promove o ranking anual The World’s 50 Best.

+ 10 pizzarias com redondas de dar água na boca

+ 50 menus executivos por até 50 reais

Na volta, fez a abertura do Buddha Bar, do qual saiu para montar com outros sócios o Dui, no Jardim Paulista. Nessa casa inaugurada em 2009, criou no piso superior o Clandestino, com um menu servido apenas uma vez por semana. De todos os cardápios especiais lá preparados, nenhum superou o da terceira temporada, dedicado aos orixás. Era ótimo.

+ Ranking com os melhores rodízios de comida japonesa de São Paulo

+ Quer saber onde almoçar ou jantar? Veja a lista de restaurantes selecionados

+ Para bancar o chef: as receitas de VEJA SÃO PAULO

O Dui foi fechado em maio de 2013. De lá para cá, Bel gravou o programa sobre gastronomia brasileira L’Assiette Brésilienne para o canal franco-alemão Arte e para o TLC da Discovery, previsto para ser exibido no Brasil só em 2015  (assista ao trailer abaixo), teve um filho, o Francisco, hoje com três meses, e montou uma cozinha-laboratório na Vila Madalena.

É lá que ela servirá para apenas vinte pessoas o menu Clandestino nos dias 2 e 16, sempre às 20h. Tem nove etapas e custa 188 reais . Também pode ser harmonizado com vinhos, mas o preço ainda não está definido. Nesse retorno, Bel volta a reinterpretar a culinária brasileira de maneira muito pessoal.

A conferir.

Conheça o menu de reestreia do Clandestino por Bel Coelho.

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter.

Postado em 19/07/2014 por Tatiane Rosset | Comentários

Cardápio On Va Manger

RESTAURANTES / On Va Manger /  / foto: Fernando Moraes/VSP

Confira o cardápio, com preços, do restaurante On Va Manger, tema da minha crítica na revista desta semana.

+ Leia a crítica

CARDÁPIO

(Clique na imagem para ampliar)

 

 

 

 

 

 

 

 

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter.

Postado em 12/07/2014 por Arnaldo Lorençato | 7 comentários

Da massa ao hambúrguer: Apriori em mudança radical

Ambiente arrumado: nem parece uma lanchonete

Salão do restaurante italiano: transformado em hamburgueria e praticamente inalterado (Fotos: divulgação)

A transformação foi radical. Não no ambiente que continua parecido, mas no cardápio do extinto Apriori. No fim de maio, o chef e sócio Juliano Melo decidiu fechar o restaurante italiano. Um mês depois, o espaço voltou a funcionar como lanchonete. É o novo Apriori Hamburgueria.

+ Restaurante francês com cozinha de bistrô faz refeição completa a 34,50 reais

+ 10 pizzarias com redondas de dar água na boca

+ 50 menus executivos por até 50 reais

Conversei com Melo e ele contou que estava em uma encruzilhada e via a carreira de restauraterur perto do fim. “Tive que fazer essa mudança devido ao alto custo dos produtos que utilizava e principalmente por causa do movimento que caiu 40%, desde outubro do ano passado”, revela.

“Para piorar ainda mais a situação, comecei a trabalhar com uma administradora de cartões de crédito que repassava as vendas de crédito em cinco dias úteis. Mas a empresa disse que teve problemas de repasse. Resumindo, fiquei 45 dias comprando e vendendo sem receber nada de minhas vendas. Outras casas também tiveram esse mesmo problema”.

Brooklin burger: bacon e queijo

Brooklyn burger: uma das opções do cardápio com 200 gramas de carne

Em busca de salvar o negócio, Melo pensou primeiro em colocar o restaurante à venda.  Como não queria se deixar o ramo, mudou o conceito. “Os custos são mais baixos e não dependendo muito de insumos importados”, explica. Depois disso, o trabalhou em parceria com um chapeiro em testes.

+ Conheça o restaurante com a mais bela vista de São Paulo

+ Descubra cinco restaurantes mundo afora com visuais de ofuscar a retina

+ Helena Rizzo, do Maní, é a melhor chef do mundo

“Nosso primeiro menu é composto de três burguers tradicionais mais dois hot-dogs. Os especiais são sete por enquanto”, descreve. Um desses sanduíches é o brooklyn burger, um bife de 200 gramas de carne com queijo cheddar inglês, tomate confitado, bacon e maionese de raiz-forte  a R$ 29,00.

+ Ranking com os melhores rodízios de comida japonesa de São Paulo

+ Quer saber onde almoçar ou jantar? Veja a lista de restaurantes selecionados

+ Para bancar o chef: as receitas de VEJA SÃO PAULO

O projeto de Melo é colocar novos lanches a cada mês e substituir o de menos saída a cada três meses.

A conferir.

Ambiente arrumado: nem parece uma lanchonete

Clique e conheça o cardápio com preços da Apriori Hamburgueria.

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter.

Postado em 12/07/2014 por Arnaldo Lorençato | Comentários

Cardápio Antiquarius Grill

LO3D5251

Confira o cardápio, com preços, do restaurante Antiquarius Grill, tema da minha crítica na revista desta semana.

+ Leia a crítica

CARTA DE VINHOS

(Clique na imagem para ampliar)

012

(Clique na imagem para ampliar)

 

 

 

 

 

 

 

 

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter.

Postado em 10/07/2014 por Arnaldo Lorençato | 29 comentários

10 lugares para saborear pizzas campeãs e 1 decepção

Design: Rafael Fujiwara

Design: Rafael Fujiwara

Como tem acontecido por estratégias marqueteiras com vários tipos de pratos, a pizza ganhou um dia só para ela e desde 1985 aqui em São Paulo. É 10 de julho.

 + Restaurante francês com cozinha de bistrô faz refeição completa a 34,50 reais

+ 50 menus executivos por até 50 reais

+ Ranking com os melhores rodízios de comida japonesa de São Paulo

Para mim, todo dia é dia de pizza. Sou fã incondicional da receita italiana feita com massa coberta por diferentes tipos de ingredientes. A espessura pode variar de fina a grossa, não importa. É preciso que tenha bons ingredientes e saia do forno assada com precisão. Também não dispenso as variações como o calzone.

Pensando nisso, elaborei uma lista com 10 pizzarias que você não deve perder em São Paulo. No final, aponto também 1 decepção.

+ Conheça o restaurante com a mais bela vista de São Paulo

+ Descubra cinco restaurantes mundo afora com visuais de ofuscar a retina

Em ordem alfabética, seguem a dezena de casas para manter na agenda. Aliás, nem é necessário agenda. Basta consultar o aplicativo de VEJA SÃO PAULO para consultar esses e muitos outros endereços. Com a vantagem de ser de graça.

Bráz

Escarola crua na cobertura: recente acréscimo ao cardápio (Foto: Tadeu Brunelli)

Escarola crua na cobertura: recente acréscimo ao cardápio (Foto: Tadeu Brunelli)

Com três endereços, é a mais premiada da categoria. Já venceu oito vezes a edição especial “Comer & Beber”. Sempre há uma novidade rondando o cardápio. A mais recente deles é a cobertura de  escarola. O uso da hortaliça nem seria novidade não fosse a forma original de apresentá-la. A verdura fresca e cortada em tiras bem finas aparece sobre mussarela com cubos de pancetta tostada e um fio de azeite aromatizado com alho.

+ Helena Rizzo, do Maní, é a melhor chef do mundo

+ Quer saber onde almoçar ou jantar? Veja a lista de restaurantes selecionados

+ Para bancar o chef: as receitas de VEJA SÃO PAULO

Castelões

Meio a meio: calabresa e margherita no discão de bordas largas (Foto: Mário Rodrigues)

Meio a meio: calabresa e margherita no discão de bordas largas (Foto: Mário Rodrigues)

Embora seja a mais antiga pizzaria da cidade, não envelheceu. Seu cardápio continua com ofertas primorosas, em especial as coberturas clássicas. Se estiver na dúvida entre a margherita e a calabresa, peça uma meio a meio. Aliás, ali não se faz três terços. Para quem gosta de calabresa com mussarela, a dica é o discão de borda largas com o nome da casa. Claro que é preciso lembrar que a Castelões não dispõe de serviço que o paulistano adora, como estacionamento, e a rua onde fica desde a fundação no Brás, é bem deserta à noite.

Dona Firmina

Minho: combinação de musssarela enfeitada por paio crocante ao pesto de couve (Foto: Mario Rodrigues)

Minho: combinação de musssarela enfeitada por paio crocante ao pesto de couve (Foto: Mario Rodrigues)

Itália e Portugal convivem em perfeita harmonia nesta casa de bonito salão. Entre as misturas que mais chamam a atenção encontram-se a minho, feita de fatias de paio tostadas com pesto de couve sobre mussarela, e a serra da estrela, que traz um marcante queijo de ovelha salpicado de nozes.

Graça di Napolli

Versão com o nome da casa: cream cheese, queijo gruyère, alcachofra, azeitona preta e tomate (Foto: Fernando Moraes)

Versão com o nome da casa: cream cheese, queijo gruyère, alcachofra, azeitona preta e tomate (Foto: Fernando Moraes)

Sorte de quem mora em Santana e região. A Zona Norte ganhou uma das melhores pizzaria da cidade no Dia dos Namorados. As receitas são do consultor Sudário Silva e a execução está nas mãos de uma equipe afinada. Sobre a massa leve de bordas largas, surgem coberturas preparadas sem aquele excesso enjoativo de ingredientes. Não se limita a oferecer sugestões tradicionais como a romana. Vai também de novidades entre elas a graça di napolli (cream cheese, queijo gruyère, alcachofrinha, pasta de alcachofra, azeitona preta, tomatinho, parmesão e salsinha).

I Vitelloni

Combinação diferentona: queijo brie, endívia e aspargo fresco borrifados por azeite de trufa (Foto: Bruno Bernardi)

Combinação diferentona: queijo brie, endívia e aspargo fresco borrifados por azeite de trufa (Foto: Bruno Bernardi)

Pois é, o fundador Hamilton Mello, o Mellão, vendeu a casa e o novo proprietário demorou a admitir a saída do homem que ajudou a revolucionar o mundo da pizza paulistana com coberturas para lá de inusitadas. Mantém a qualidade e continua um endereço obrigatório. Uma das versões se traduz por queijo brie, endívia e aspargo fresco borrifados por azeite de trufa.

Pizza Bros.(Moema)

Criação do chef Marco Renzetti: atum de qualidade com azeitona preta, feijão-branco e cebola (Foto: Tadeu Brunelli)

Criação do chef Marco Renzetti: atum, azeitona preta, feijão-branco e cebola (Foto: Tadeu Brunelli)

Embora já tenha enfrentado problemas pontuais de irregularidade de resultados, a casa de Franco Ravioli atravessa um de seus melhores momentos, em particular a unidade de Moema, que acaba de ser reformada. As coberturas fixas como a calabresa, vieram se somar cinco sugestões temporárias até 3 de agosto. Foram elaboradas pelos chefs Adriano Kanashiro, do Momotaro, Sandra Valéria Silva, do Bistro da Sara, e Tássia Magalhães, do Pomodori, além do próprio Ravioli. O quarto convidado, Marco Renzetti, da Osteria del Pettirosso, cantina número 1 da cidade pela edição especial “Comer & Beber”,  apresenta uma deliciosa combinação, que surpreende pela ousadia:  atum de qualidade com azeitona preta, cebola e, pasmem, feijão-branco.

Pizzaria Nacional

Record: molho de tomate, queijo taleggio, linguiça fresca picante, cogumelo-de-paris e alecrim (Foto: Lucas Lima)

Record: molho de tomate, queijo taleggio, linguiça fresca picante, cogumelo-de-paris e alecrim (Foto: Lucas Lima)

Segue o estilo antiguinho na decoração e nos nomes dados às coberturas. Com matérias-primas de qualidade, assa pedidas como  a bossa nova (berinjela, creme de queijo de cabra, mussarela e manjericão) e a record (queijo taleggio, linguiça fresca picante, cogumelo-de-paris e alecrim). Das sugestões clássicas, a marinara  é uma deliciosa receita de inspiração napolitana feita com molho de tomate, alho cru em lascas e um toque de azeite.

Ritto

Pedida clássica: margherita na massa média, bem espessa (Foto: Mario Rodrigues)

Pedida clássica: margherita na massa média, bem espessa (Foto: Mario Rodrigues)

Na seleção de pizzas criadas sob a supervisão do proprietário Luiz Massella cabe até uma versão em estilo grego na forma de uma canoa. Chamada de pernili, recebe uma mistura de queijos, presunto cozido picado e tomate seco. Para quem não quer fugir do forma plana, vale escalar a margherita.

Sala Vip

Na massa fina feito biscoito: gorgonzola com azeitona preta (Foto: Ricardo D'Angelo)

Na massa fina feito biscoito: gorgonzola com azeitona preta (Foto: Ricardo D’Angelo)

Em dois endereços, acerta no estilo de massa fina difundido em São Paulo por casas veteranas como a Monte Verde e a Camelo. Entre as coberturas clássicas, a gorgonzola sobre molho de tomate vem adornada apenas com azeitona preta. Além da clássica massa feita de farinha de trigo, o proprietário e delegado de polícia Osvaldo “Nico” Gonçalves pediu a chef Marina Lepore, do restaurante Nico Pasta & Basta, para elaborar junto com o pizzaiolo Antonio Soares da Silva misturas de farinhas de mandioca, tapioca e arroz, amido de milho, ovo, fermento, azeite, açúcar e sal, sem nenhum grama de glúten.

Vica Pota

Espanhola: mussarela recoberta por presunto cru depois de assada (Foto: Mario Rodrigues)

Espanhola: mussarela recoberta por presunto cru depois de assada (Foto: Mario Rodrigues)

É comandada por ex-funcionários da Camelo, entre eles o sócio Antonio Augusto Silva Ferreira. Por isso, não estranhe se encontrar semelhança entre o estilo de massa fina feito um biscoito. Pelo menos uma vez por ano tem pintado novidade no cardápio. Uma delas é a espanhola, de mussarela recoberta por presunto cru depois de assada. Antes, vai muito bem a casquinha de pizza temperada com limão e pimenta.

A decepção

Fui duas vezes à Leggera, em Perdizes. Como nas pizzarias de Nápoles, só podem ser saboreadas versões individuais. As coincidências com a pizzas que provei na bela e frenética cidade do sul da Itália acabam aí. Em nada lembra os ótimos discos encontrados em casas como a Lombardi, a Mattozzi e a Sorbillo, com suas enormes filas na porta. Em vez de massa macia, ou morbida, como dizem os italianos, em ambas experiência na Leggera achei o resultado molenga, quase borrachudo. Também não me convenceram coberturas, em especial a margherita com um molho de tomate ácido.

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter.

Postado em 05/07/2014 por Arnaldo Lorençato | 7 comentários

Qual o melhor fettuccine alfredo: de Roma ou de SP?

Fettuccine alfredo em Roma: receita original copiada no mundo todo (Foto: Arnaldo Lorençato)

Fettuccine alfredo, em Roma: receita original copiada no mundo todo (Foto: Arnaldo Lorençato)

É quase uma lenda gastronômica e um dos mais autênticos símbolos culinários de Roma. Estou falando do fettuccine all’afredo ou fettuccine alfredo, inventado na capital italiana.

+ Aprenda a fazer o fettuccine alfredo na versão do chef Marco Renzetti, da Osteria del Pettirosso

+ Restaurante francês com cozinha de bistrô faz refeição completa a 34,50 reais

Provei a versão original, servida no restaurante Alfredo, na capital italiana, onde o molho foi criado, e aqui em São Paulo, a criada em homenagem à original com o nome de fettuccine imperiale pelo chef Marco Renzetti, na Osteria del Pettirosso, cantina número 1 na edição 2013 do “Comer & Beber”. O veredito revelo já, já.

Antes, contarei um pouco da história da receita.

Como uma simples mistura de manteiga, parmesão e água para banhar a massa de fios longos, planos e estreitos se tornou tão famosa, correu o mundo e invadiu tantos cardápios? A resposta não poderia ser mais glamourosa.

+ Conheça o restaurante com a mais bela vista de São Paulo

+ Descubra cinco restaurantes mundo afora com visuais de ofuscar a retina

Bastou uma visita do casal sensação de Hollywood, Mary Pickford e Douglas Fairbanks, durante uma viagem em 1927.

O casal de astros hollywoodianos do cinema mudo Mary Pickford e Douglas Fairbanks: talhares de ouro (Foto: Arnaldo Lorençato)

O casal de astros hollywoodianos do cinema mudo Mary Pickford e Douglas Fairbanks: talhares de ouro (Foto: reprodução)

Astros do cinema mudo, Pickford e Fairbanks teriam visitado o restaurante Alfredo, que na época ficava na Via della Scrofa — a inauguração foi mais de duas décadas antes na Piazza Rosa. De tão encantados com o prato, presentearam o proprietário Alfredo Di Lelio com um garfo e uma colher de ouro.

Talhares preciosos para saborear o macarrão. Pronto. Foi adicionado o ingrediente necessário para gerar o mito e virar objeto do desejo.

+ Helena Rizzo, do Maní, é a melhor chef do mundo

+ 50 menus executivos por até 50 reais

A II Guerra Mundial trouxe consequências danosas para o negócio de Di Lelio, que acabou por passar o restaurante com seu nome, em 1943, aos funcionários do estabelecimento. Só em 1950, o restaurateur tornou-se novamente o dono, agora fixado na Piazza Augusto Imperatore, 30, onde permanece até hoje. Atualmente, possui franquias internacionais, duas delas no Brasil, uma em Salvador e outra no Rio de Janeiro.

Alfredo Di Lelio: criador de uma das receitas mais copiadas do mundo (Reprodução: Arnaldo Lorençato)

Alfredo Di Lelio: criador de uma das receitas mais copiadas do mundo (Reprodução: Arnaldo Lorençato)

A sede romana ocupa um salão gigante no centro histórico da Cidade Eterna, é decorada com fotos de muitas das celebridades de outras eras que ocuparam suas mesas, entre elas beldades como a princesa Grace Kelly e a atriz Elizabeth Taylor, além dos craques Pelé e Falcão.

Há torcida a favor e contra o fettuccine alfredo. Os detratores costumam dizer que essa não seria uma invenção. Di Lelio teria apenas feito uma reelaboração do clássico al triplo burro, ou três vezes manteiga.

+ Ranking com os melhores rodízios de comida japonesa de São Paulo

Sou do time dos que torcem a favor. Gosto dessa versão simples e cheia de sabor. Aliás, não só eu, mas uma legião nos quatro cantos do planeta, já que o molho foi copiado à exaustão.

Já publiquei no blog a versão do chef Marco Renzetti, que você confere aqui. Se não der certo ao tentar fazer em casa essa mistura rápida, mágica e um pouco trabalhosa — nem pense em desanimar. É frequente errar na primeira vez de preparar o molho.

Fachada do restaurante na Piazza Augusto Imperatore: desde 1950 nesse endereço (Foto: Arnaldo Lorençato)

Fachada do restaurante na Piazza Augusto Imperatore: desde 1950 nesse endereço (Foto: Arnaldo Lorençato)

Bem, você deve estar se perguntado: já que o Lorençato foi tão longe para provar o prato e compará-lo com o da Osteria del Pettirosso, o que ele achou?

Ambos são bons. Em Roma, a massa é delicada, porém, muito mais mole do que eu gostaria e do que seria ideal — sim, na Itália também tem massa mole. O molho, porém, é imbatível. Mesmo com o garçom no piloto automático de tanto preparar para incontáveis turistas como pode ser visto no vídeo, ele vem fluído e ao mesmo tempo viscoso, impregna no macarrão.

Em São Paulo, Renzentti, na Osteria del Pettirosso, acerta no cozimento, o macarrão fresco vem al dente  como eu gosto.  O molho é muito bom, mas em Roma é ainda melhor.

Terminamos em empate. Placar 1 X 1.

+ Quer saber onde almoçar ou jantar? Veja a lista de restaurantes selecionados

+ Para bancar o chef: as receitas de VEJA SÃO PAULO

Para terminar, só gostaria de lembrar uma coisa, como faço em São Paulo, em Roma também paguei a conta e fui lá como qualquer cliente. A diferença é que fotografei tudo e aproveitei as benesses do celular para gravar a visita em vídeo.

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter.

Postado em 05/07/2014 por Arnaldo Lorençato | Comentários

Cardápio Graça di Napolli

RESTAURANTES // Graca Di Napoli Pizzaria Gourmet /  / foto: Fernando Moraes/VSP

Confira o cardápio, com preços, do restaurante Graça di Napolli, tema da minha crítica na revista desta semana.

+ Leia a crítica

MENU

(Clique na imagem para ampliar)

Carta de VINHOS

(Clique na imagem para ampliar)

CARTA de CERVEJAS

(Clique na imagem para ampliar)

CARTA DE AZEITES

(Clique na imagem para ampliar)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter.

Postado em 27/06/2014 por Arnaldo Lorençato | Comentários

Pizza Bros. de Moema está com novo visual

Novo visual: fachada com com mesas ao ar livre (Fotos: Franco Ravioli)

Novo visual: fachada mais rústica com tijolos à vista (Fotos: Franco Ravioli)

Foi uma reforma quase silenciosa, terminada no dia 23, a última segunda. Depois de mais de trinta dias, a unidade de de Moema da Pizza Bros. ganhou novo visual, da fachada ao salão. “Custou o dobro do que o normal porque era feita apenas entre meia-noite e 8 da manhã”, conta o sócio Franco Ravioli, que calcula ter desembolsado 180.000 reais na remodelação. “Valeu a pena, porque tínhamos uma equipe muito boa que executou o projeto da arquiteta Juliana Fabrizzi.” Essa condição especial permitiu que a casa  funcionasse normalmente todos os dias.

+ Edu Guedes abre filial da sorveteria Stuppendo

+ Príncipe Harry saboreia a caponata de casca de banana verde em Cubatão

+ 50 menus executivos por até 50 reais

O próximo passo de Ravioli é repaginar a unidade de Higienópolis. “Embora fosse mais antiga e precisasse mais de uma atualização, a casa da Praça Vilaboim tem três pavimentos e demoraria mais tempo para ficar pronta”, explica o restaurateur.

Detalhes do salão: lustres e quadros coloridíssimos

Detalhes do salão: lustres e quadros coloridíssimos 

Para celebrar a mudança em Moema, Ravioli promove seu festival anual com coberturas de pizzas desenvolvidas por chefs convidados nos dois endereços entre 4 de julho a 3 de agosto.  Neste ano, são quatro os cozinheiros participantes.

+ Conheça o restaurante com a mais bela vista de São Paulo

+ Descubra cinco restaurantes mundo afora com visuais de ofuscar a retina

+ Helena Rizzo, do Maní, é a melhor chef do mundo

Forno: visto de todos os pontos do salão

Forno: visto de todos os pontos do salão

Marco Renzetti, da Osteria del Pettirosso, premiada pelo especial “Comer & Beber” 2013-2014 de VEJA SÃO PAULO como a melhor cantina da cidade, desenvolveu uma composição de queijo mussarela , atum , feijão-branco , cebola e tomatinho confitado. Títular do Momotaro, Adriano Kanashiro apresenta uma versão de cogumelo shimeji, tomatinho assado, raspas de parmesão e limão-siciliano. Dona do Bistro da Sara, Sandra Valéria combina pimentão, cebola e tomate grelhado, cogumelo-de-paris, agrião e parmesão.

Criação do chef Marco Renzetti, da Osteria del Pettirosso, a cantina número 1 da cidade: atração do festival (Foto: Tadeu Brunelli)

Criação do chef Marco Renzetti, da Osteria del Pettirosso, a cantina número 1 da cidade: atração do festival (Foto: Tadeu Brunelli)

A jovem Tássia Magalhães, sócia e responsável pelos fogões do Pomodori, reúne salpicada de provolone, burrata, rúcula e limão-siciliano. Ravioli também faz a sua com queijo stracchino, rosbife caseiro, tomate , rúcula e um toque de molho tártaro. No tamanho pequeno, casa uma delas sai por 49,90 reais e, no grande 69,90 reais.

+ Ranking com os melhores rodízios de comida japonesa de São Paulo

+ Quer saber onde almoçar ou jantar? Veja a lista de restaurantes selecionados

+ Para bancar o chef: as receitas de VEJA SÃO PAULO

A conferir.

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter.

Postado em 27/06/2014 por Arnaldo Lorençato | Comentários

Cardápio Makanudo

RESTAURANTE MAKANUDO

Confira o cardápio, com preços, do restaurante Makanudo, tema da minha crítica na revista desta semana.

+ Leia a crítica

CARDAPIO

(Clique na imagem para ampliar)

 

 

 

 

 

 

 

 

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter.

Postado em 25/06/2014 por Arnaldo Lorençato | Comentários

Especializada em petiscos latinos, lanchonete Maíz é novidade em Pinheiros

Torres: comida de rua latino-americana ao lado do Suri, em Pinheiros (Foto: divulgação)

Torres: comida de rua latino-americana ao lado do Suri, em Pinheiros (Foto: divulgação)

O chef Dagoberto Torres ficou conhecido pelo jeitão zen com que se posta atrás do balcão do Suri Ceviche Bar, em Pinheiros, e vai preparando especialidades andinas. Não é um sushiman, mas é craque em picar e temperar pescados. Com esses ingredientes, a sugestão de maior saída é justamente o ceviche, que inclusive dá nome ao restaurante.

+ Edu Guedes abre filial da sorveteria Stuppendo

+ Príncipe Harry saboreia a caponata de casca de banana verde em Cubatão

Agora, o cozinheiro entra firme no ramo dos petiscos típicos de seu país natal, a Colômbia, e outros países latinos-americanos. Depois de ter aberto a lanchonete Sabores de Mi Tierra – hoje de propriedade de sua tia, Magdalena Torres – pôs para funcionar o Maíz, desde o dia 23 de junho. Quase todas as receitas da lanchonete tem o milho como inspiração e são comidas de rua.

Salão visto da fachada: Maíz ocupado por uma festa de apresentação no dia 18

Salão visto da fachada: Maíz ocupado por uma festa de apresentação no dia 18 (Foto: Arnaldo Lorençato)

Colada ao Suri, a nova casa fica na Rua Mateus Grou, 472, Pinheiros (tel. 3034-1451) é minúscula, completamente informal e opera em sistema de auto-atendimento das seis da tarde à meia-noite. Descobri o lugar por acaso ao jantar no Suri no dia 18. Véspera chuvosa de feriado, foi a data escolhida para uma festa de apresentação aos amigos do chef. Quando perguntei do que se tratava a uma das garçonetes, recebi para provar uma empanada de milho recheada de carne. Nada de forno neste caso. É feita em fritura por imersão e é uma prima-hermana no pastel de angu mineiro.

Empanada de milho recheada de carne: prima-hermana no pastel de angu mineiro

Empanada de milho recheada de carne com guacamole: prima-hermana do pastel de angu mineiro  (Foto: Arnaldo Lorençato)

Outras das especialidades é a arepa, uma espécie de pãozinho redondo de massa de milho com diferentes recheios, como pernil, frango e carne-louca. Também estão no cardápio os tacos, a mandioca rosti e o chicharrón de porco (barriga de porco ao forno e não frita como se faz tradicionalmente) com batatas salgadas e salsa verde. Os preços dos salgados variam de 6 reais a 14 reais com uma grande vantagem: estavam com 10% o dia 27 de junho, quando terminou o soft opening. O desconto valia também para as bebidas.

+ Conheça o restaurante com a mais bela vista de São Paulo

+ Descubra cinco restaurantes mundo afora com visuais de ofuscar a retina

+ Helena Rizzo, do Maní, é a melhor chef do mundo

“A partir de 22 de julho, logo depois da Copa, abriremos do meio-dia à meia-noite”, adianta Torres. Também será ampliado o cardápio com piqueteaderos, muito comuns nas ruas de Bogotá. São nacos de carne de boi, frango ou porco previamente assado e picados servido com cubos de mandioca ou batata. “Aos fins de semana, teremos também frango assado em um girarrosto [frango de televisão de cachorro] que trouxemos da Colômbia”, arremata.

+ 50 menus executivos por até 50 reais

+ Ranking com os melhores rodízios de comida japonesa de São Paulo

+ Quer saber onde almoçar ou jantar? Veja a lista de restaurantes selecionados

+ Para bancar o chef: as receitas de VEJA SÃO PAULO

A conferir.

* Atualizado em 30 de junho de 2014

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter.

Publicidade

Publicidade

Publicidade