Clique e assine por apenas 5,90/mês

Onde comer e beber em Santana

Confira os melhores endereços do bairro, visitados e avaliados pelos críticos do guia COMER & BEBER

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 11 mar 2019, 16h55 - Publicado em 17 dez 2010, 17h47

Entre as ruas de Santana, um dos bairros mais antigos e tradicionais da Zona Norte, é possível encontrar boas pizzas, restaurantes japoneses e até casas de receitas armênias e chinesas.

Confira a lista de restaurantes da região selecionados pela equipe de gastronomia de VEJA COMER & BEBER.

Bolinho basco: feito de bochecha bovina, foi eleito o melhor petisco de bar por Veja COMER & BEBER 2018 Bruno Geraldi/Veja SP

Bar do Luiz Fernandes. Embora não fique exatamente dentro do perímetro do bairro, mas no vizinho Mandaqui, o boteco recebe aqueles que querem provar o melhor petisco da cidade pela última edição de VEJA COMER & BEBER. Trata-se do delicioso bolinho basco, composto de bochecha bovina desfiada envolta por uma camada de massa de batata.

Casa Garabed. Um bom lugar para provar receitas armênias. As esfihas, douradas no forno a lenha, podem ser abertas e ter cobertura de cordeiro com pinhole, ou fechadas, com recheios como verdura ou carne bovina (R$ 8,40, aberta ou fechada). 

Dhaigo. Casa tradicional para os fãs de rodízios japoneses, pode servir niguiri de polvo com arroz e enrolado de salmão com camarão. O shimeji na chapa vem soltando fumaça. Na ala dos fritos, peça o guioza de porco crocante. 

Continua após a publicidade
Dhaigo - Santana
Dhaigo: opção de rodízio japonês em Santana Mario Rodrigues/Veja SP

Dona Florinda. As receitas portuguesas figuram no cardápio da casa, que não perde a alma brasileira. Na entrada, pode-se provar o tradicional bolinho de bacalhau, bem lusitano, e também os de mandioquinha com carne-seca. Peça o bacalhau à dona dê, com a posta empanada e frita no azeite com batatas cozidas e brócolis.

Graça di Napolli. Neste sucesso na Zona Norte, as pizzas podem ser cobertas com cream cheese, queijo gruyère, pasta de alcachofra, azeitona, tomate sweet grape, parmesão e salsinha, combinação da casa. O clássico sabor de frango com catupiry também cai bem.

Hou. Represente da culinária chinesa, é um restaurante bom e barato. É possível provar uma boa porção de guioza vegetariano recheado de abobrinha, cenoura, cogumelo shiitake e macarrão de feijão-verde assado. Para dividir, peça o four kingdom no ninho, composto de camarão, lula e carnes de frango, porco e boi ao molho de ostra e shoyu sobre um cesto feito de batata ralada crocante.

Guioza no vapor: recheado de vegetais no Hou Ligia Skowronski/Veja SP

Jullia. As pizzas do espaço podem ter a massa fina ou média, e receber boas coberturas como a originale (R$ 86,00), de mussarela de búfala e queijo brie mais uma fatia de presunto cru. Para adoçar o paladar, há uma mistura de sorvete de creme com brigadeiro mole e farofa de wafer.

Nosu. Outro representante de pedidas japonesas no bairro, apresenta pedidas à la carte, como uma versão de “risotinho de foie gras” com atum maçaricado servido sobre uma folha de alga crocante. Para dividir, peça o combinado tradicional, que inclui bolinhos de arroz com polvo, lula, vieira, atum e salmão, entre outros peixes do dia.

Continua após a publicidade
Publicidade