Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 29 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Prévia do MasterChef com duelos e até repescagem

A prévia se encerra hoje (21) com os nomes dos 21 finalistas, que tentam o título de melhor cozinheiro amador

Por Arnaldo Lorençato Atualizado em 21 mar 2017, 19h26 - Publicado em 21 mar 2017, 18h25

Em comum, eles querem o avental para ingressar para a cozinha mais desejada por amadores do Brasil. A prévia que se encerra hoje lembra ainda mais uma edição regular do programa com finalista, com o trio de chefs Paola Carosella (Arturito e La Guapa Empanadas), Erick Jacquin (Tartar & Co e Le Bife) e Henrique Fogaça (Sal Gastronomia, JamileAdmiral’s Place e Cão Véiotestando os candidatos.

Nesta noite, os participantes têm como alvo um dos 17 lugares remanescentes. Ou seja, apenas quatro foram ocupados até agora. Não faltam oportunidades, mas haja coração e frieza. Só esse equilíbrio culinário pode ajudar na conquista.

Só para lembrar, no episódio da semana passada uma das cozinheiras chamou a atenção por sua semelhança com outra concorrente que fez bonito na segunda temporada. Lembram-se da Sabrina Kanai que seguiu em frente mesmo depois que descobriu estar grávida? Levei um susto.  Não, não estou falando da gravidez. Parecia que Sabrina tinha mandado um clone de nome Michele. Tão simpática quanto sua antecessora, ela já cativou boa parte dos telespectadores.

Prosseguem as provas na forma de duelos, que devem deixar os combatentes muito nervosos. No teaser mostrado no fim do programa anterior, uma das cozinheiras desastras deixar cair uma forminha com molho ou algo parecido e Fogaça berra para um dos inscritos se ele não que entregar o avental, antes mesmo do término da prova.

Os testes do programada de logo mais incluem a preparação de comida caipira e receitas com carne de caça, mais especificamente de javali. Haverá um embate com pratos da culinária regional, típica do Nordeste e do Pará. Entra no ringue o baião de dois contra o vatapá.

Também estão no menu da competição embates da massa fresca, da torta de maçã, do picadinho clássico e de preparações apenas com ingredientes crus, a chamada raw food. Haverá ainda ovos pochês que grudam na escumadeira e cortes na mandolina que podem ferir.

Um dos maiores problemas dos amadores, que nunca afligiu os profissionais da temporada anterior de MasterChef, é o tempo. Muito deles empratarão a comida no último segundo. Dizem que é de passar mal.

Para felicidade dos participantes que mais se destacaram, nesta noite haverá a repescagem de um dos melhores. É uma inovação na prova de seleção que salvará da bacia de descarte carne boa. Ops! Um pretendente a cozinheiro talentoso. Resta esperar.

Continua após a publicidade

Publicidade