Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Restaurantes que funcionam sem intervalo

Confira 8 endereços bacanas que servem boas receitas mesmo durante a tarde, entre o almoço e o jantar

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 26 jul 2018, 16h32 - Publicado em 30 mar 2012, 17h17

A tarde já está quase terminando quando você se dá conta de que ainda não almoçou. Em muitas cidades do Brasil, a solução seria engolir um lanche qualquer pelo caminho. Os paulistanos, com mais sorte, contam com restaurantes bacanas para matar a fome fora de hora. Diversos endereços funcionam direto, sem intervalo, e servem boas receitas mesmo durante a tarde.

Confira abaixo uma seleção para ajudar você a saber aonde ir quando o horário do almoço já passou e o do jantar ainda está longe de chegar. Há opções dos mais variados tipos de cozinha, é só escolher!

Acrópoles: ponto de encontro de fãs da culinária grega, a casa com jeito de boteco apresenta receitas como a mussaká (R$ 32,00), fatias de berinjela e batata entremeadas de carne moída e cobertas de molho bechamel.

Bio — Comer Saudável: o endereço é uma parceria do chef Alex Atala com sócios do Frutaria São Paulo. Vá de pirarucu, servido com purê de açaí, quiabo na brasa e arroz vermelho (R$ 58,00).

Brasserie Victória: tradicional, o estabelecimento oferece um farto rodízio de receitas libanesas por R$ 96,00. A seleção inclui pedidas como o charutinho de folha de uva e o famoso quibe cru.

Continua após a publicidade

Le Jazz Brasserie: com clientela fiel, é um concorrido bistrô. A versão do turnedô à rossini (R$ 69,50) é feita com carne de porco coberta por uma fatia de foie gras, vinho do Porto e purê de batata.

Quibe cru: parte do rodízio do Brasserie Victória Marcos Briquet/Divulgação

Mestiço: a casa de cozinha variada não sai de moda. Fazem sucesso as cestinhas tailandesas de massa crocante com frango e milho ao tempero de especiarias (R$ 36,00, sete unidades).

Mocotó: sempre concorrido, o restaurante do chef Rodrigo Oliveira serve preparos bem brasileiros, como a carne de sol na chapa (R$ 54,90) e o caldo de mocotó (R$ 34,90).

Pasquale: o chef Pasquale Nigro, nascido na Puglia, expede clássicos italianos no almoço e jantar. Têm boa saída o espaguete à carbonara (R$ 48,00) e a paleta de cordeiro com polenta (R$ 69,00).

Zena Caffè: o chef-celebridade Carlos Bertolazzi é o mentor das receitas da trattoria moderna. É quase impossível pular o nhoque ao molho de tomate fresco, manjericão e queijo stracchino (R$ 54,00).

Cestinha de frango: entradinha do Mestiço Clayton Vieira/Veja SP
Continua após a publicidade
Publicidade