Brasserie Victória (Desde 1947)

Tipos de Restaurantes: Árabes
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars
Endereço: Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 545 - Itaim Bibi - São Paulo - SP ver no mapa
Telefone: (11) 30408897
Horário:
segunda-feira
12:00 - 15:30
terça-feira
12:00 - 22:30
quarta-feira
12:00 - 22:30
quinta-feira
12:00 - 22:30
sexta-feira
12:00 - 23:00
sábado
12:00 - 23:00
domingo
12:00 - 22:00
Feriados das 12h às 22h
payment

Formas de pagamento

Cartões de crédito: Visa, Mastercard, Diners e American Express
Cartões de dédito: Visa Electron, Rede Shop e Maestro

check_circle

Informações adicionais

Entrega em domicílio ((11) 38498449), Estacionamento/Valet (R$ 15,00), Acesso para deficientes, Lugares/Capacidade total (180), Levar vinhos (permite) (R$ 40,00)

Resenha por Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

Ideais para os dias quentes, a coalhada temperada com alho e hortelã mais pedaços de pepino (R$ 20,60) é das mais refrescantes. Caso o apetite não seja muito grande, não peça um prato principal, fique só na esfiha aberta de ricota (R$ 6,90) para acompanhar. O farto rodízio típico (R$ 92,00), oferecido no salão principal, inclui pedidas como charutinho de folha de uva e quibe cru.

Preços checados em setembro/outubro de 2017.

    QUIBE CRU DOS BONS

    Seja no rodízio de especialidades (R$ 92,00), seja à la carte, o quibe cru (R$ 34,00) é o melhor da cidade. Vem na forma de uma massa rosada de trigo e patinho com uma quantidade exuberante de hortelã.

    Preços checados em março de 2017.

    Comer e beber

    • 2017 - Participante

      Restaurantes Árabes Comer & Beber .

      Ideais para os dias quentes, a coalhada temperada com alho e hortelã mais pedaços de pepino (R$ 20,60) é das mais refrescantes. Caso o apetite não seja muito grande, não peça um prato principal, fique só na esfiha aberta de ricota (R$ 6,90) para acompanhar. O farto rodízio típico (R$ 92,00), oferecido no salão principal, inclui pedidas como charutinho de folha de uva e quibe cru. (Preços checados em setembro/outubro de 2017.)

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2016 - Participante

      Restaurantes árabes Comer & Beber .

      Especializado no rodízio típico (R$ 92,00), o restaurante quase setentão e sempre movimentado mantém um salão lateral onde é possível pedir alguns pratos e salgados. Ao contrário da opção existente em outras casas do gênero, aqui não há um trio de pastas. Para escolher só uma, fique na sedosa porção de homus (R$ 19,00 a pequena). Com sabor marcante de zátar, a esfiha manaich leva ainda queijo mussarela e vem em dois tamanhos (R$ 8,80 e R$ 30,00). Bem ácido, o kibe labaine chega à mesa frito e mergulhado em coalhada (R$ 26,80). (Preços checados em setembro/outubro de 2016.)

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2015 - Participante

      Restaurantes árabes Comer & Beber .

      Nos dias quentes, especialmente propícios para provar algumas receitas árabes mais leves, as filas são longas. Espremido no hall entre a lanchonete rápida, à esquerda, e o salão principal, onde se serve o rodízio (R$ 81,00), o jeito é encostar no balcão e beber uma limonada caprichada no gelo (R$ 7,00) para refrescar. Uma vez acomodado, não deixe de pedir o quibe cru (R$ 30,00) de patinho servido com hortelã e cebola em meias-luas, para você mesmo picar, caso prefira. A receita é da fundadora que dá nome à casa, Victória Feres (1896-1991). Nem sempre as esfihas de carne (R$ 6,50) e queijo (R$ 7,40) fechadas chegam tão quentinhas. Melhor ficar no quibe frito (R$8,50), recheado de carne moída bem soltinha. Para acompanhar e ficar na linha, uma porção de salada tabule (R$ 23,00) basta. Quem não abre mão da sustância pode pedir ainda uma porção de charutinhos de folha de uva (R$ 30,00) e arroz com macarrão cabelo de anjo (R$ 19,00). (Preços checados em setembro/outubro de 2015).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2014 - Participante

      Restaurantes árabes Comer & Beber .

      Na entrada, fica uma sala mais parecida com um lanchonete e destina-se a refeições expressas. Ali, é possível experimentar todo o cardápio, incluindo pedidas como a esfiha de palmito na massa folhada (R$ 7,60) e o ótimo quibe cru (R$ 29,00, para dois), cartão de visitas da casa e receita da fundadora, Victória Feres (1894-1991). Rica em ervas, a cafta (R$ 13,00) vai da grelha para a mesa exalando aroma tentador. Nem todos os itens causam o mesmo entusiasmo. Evite a coalhada seca (R$ 23,00), por vezes ácida demais, e o massudo quibe de bandeja (R$ 7,70). Mas, como recomendam as gentis atendentes, quem deseja saborear o menu completo deve optar pelo rodízio (R$ 81,00), servido num salão bem mais jeitoso. Embora não seja exatamente barato, proporciona um apetitoso panorama da culinária árabe. (Preços checados em setembro/outubro de 2014).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2013 - Participante

      Restaurantes árabes Comer & Beber .

      O mais antigo representante árabe na cidade tem um funcionamento peculiar. Quem quiser fazer pedidos à la carte deverá ocupar o salão da entrada, que lembra uma lanchonete. O ambiente maior e mais confortável nos fundos é reservado apenas para o serviço do caro rodízio típico (R$ 72,00). Em qualquer um dos recintos, o melhor dos pratos continua sendo o ótimo quibe cru (R$ 26,50, para dois), receita da fundadora da casa, Victória Feres, já falecida. Também vale provar o babaganuche de gostinho defumado (R$ 21,50), a densa coalhada seca (R$ 21,50), o homus cremoso (R$ 21,50), as esfihas folhadas (R$ 6,90), os charutos de repolho (R$ 22,50) e de folha de uva (R$ 23,00) e a abobrinha recheada (R$ 14,00), além da cafta (R$ 12,00). A massa folhada recheada de pistache (R$ 6,40) está entre as boas sobremesas. (Preços checados em setembro/outubro de 2013).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2012 - Participante

      Restaurantes Árabes Comer & Beber .

      Eis o endereço certo para saborear um dos melhores quibes crus da cidade. Há porção preparada com equilíbrio de carne e trigo. Trata-se de uma antiga receita de família, legada por Victória Feres, fundadora do restaurante, que originalmente ficava na região da Rua 25 de Março. É feita apenas com patinho moído na hora e valorizado pela presença da hortelã e da cebola. Outras boas receitas dessa matriarca libanesa repetidas por seus descendentes são cafta, quibe de bandeja e ataif de nata. Há também rodízio de especialidades.

      Veja SP

    • 2011 - Participante

      Restaurantes Árabes Comer & Beber .

      Estabelecimento faz parte da edição Comer & Beber 2011/2012

      Veja SP

    • 2010 - Participante

      Restaurantes Árabes Comer & Beber .

      Estabelecimento faz parte da edição Comer & Beber 2010/2011

      Veja SP

    Comentários
    Deixe um comentário

    Olá, ( log out )

    * A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s