Um rio bem diferente do que vemos agora

Muito diferente do  rio que conhecemos hoje, o Pinheiros nos tempos coloniais era chamado de Jurubatuba (lugar com muitas palmeiras jerivás, em tupi). Recebeu o nome atual em 1560, pelos jesuítas que criaram um loteamento indígena e o batizaram por causa da grande quantidade de araucárias na direção do Caminho de Pinheiros (que posteriormente abriria espaço para […]

Data da foto: 1936 Leito do Rio Pinheiros, fotografia do livro "Transformações Urbanas: São Paulo 1893-1940", da Fundação Energia e Saneamento.

Leito do Rio Pinheiros em 1936, no livro Transformações Urbanas: São Paulo 1893-1940, da Fundação Energia e Saneamento

Muito diferente do  rio que conhecemos hoje, o Pinheiros nos tempos coloniais era chamado de Jurubatuba (lugar com muitas palmeiras jerivás, em tupi). Recebeu o nome atual em 1560, pelos jesuítas que criaram um loteamento indígena e o batizaram por causa da grande quantidade de araucárias na direção do Caminho de Pinheiros (que posteriormente abriria espaço para a Rua da Consolação).

Já imaginou o Anhangabaú sem o Viaduto do Chá?

Com o tempo, pontes foram construídas  para facilitar o acesso às margens opostas do rio e, no início do século XX, a paisagem começou a se transformar para receber as novas levas de imigrantes, italianos e japoneses em sua maioria, que se instalaram às margens do Pinheiros. A partir de 1940, deu-se o início das obras de retificação do curso d’água, com o intuito de canalizar o fluxo fluvial – assim, diminuindo as inundações na região – para a represa Billings e, também, a construção de vias expressas de tráfego (confira seu aspecto original no vídeo abaixo).

Data da foto: 2013 Rio Pinheiros na altura da ponte Cidade Jardim.

Rio Pinheiros na altura da ponte Cidade Jardim, em 2013

Confira abaixo o documentário Rio Pinheiros – Sua História e Perspectivas publicado originalmente em PLANETA SUSTENTÁVEL, que apresenta a trajetória do rio mais famoso da capital paulista.

Por Gabriel Bentley

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s