Imagem Blog

Memória Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Uma viagem no tempo às décadas passadas por meio de suas histórias, costumes e curiosidades.
Continua após publicidade

Fundação no Ipiranga planeja escola de música em mansão onde viveu o maestro Furio Franceschini

Local é tombado; Funsai completa 125 anos

Por Humberto Abdo
26 nov 2021, 06h00

Na Zona Sul da cidade, um projeto que nasceu como orfanato para garotas acaba de completar 125 anos com estrutura para crianças, adolescentes e idosos, além de planos para uma nova unidade. Criada no século XIX, a atual Fundação Nossa Senhora Auxiliadora do Ipiranga (Funsai) surgiu a partir de uma promessa feita pelo conde Vicente de Azevedo.

“A família vivia em situação nababesca e tinha terras em Lorena, mas a coisa virou quando o pai foi assassinado”, narra Carlos Eduardo Franceschini Vecchio, atual presidente da organização. “A mãe se viu com todos os bens presos, mal tendo como alimentar os filhos e costurando para fora. Na época, Vicente falou que, se conseguisse um patrimônio, faria alguma coisa pelos órfãos. e foi o que ele fez.”

+Assine a Vejinha a partir de 6,90.

Imagem mostra busto de bronze sobre mármore.
Conde José Vicente de Azevedo: fundador do casarão. (Arquivo Funsai/Reprodução)

Desde o início da empreitada, o advogado e filantropo paulista acreditava na longevidade de sua iniciativa, tanto que deixou instruções para determinar como a festa de 100 anos deveria ser organizada. “Nunca vi alguém agendar um evento com um século de antecedência”, diverte-se Carlos. “E ele separou até o dinheiro! Só não serviu por causa da inflação.”

Vinte e cinco anos mais tarde, o sucesso da instituição não será celebrado com banquete nem com espetáculo pirotécnico, como na festa centenária, mas com a promessa de construir o Liceu de Artes Musicais Furio Franceschini na antiga residência do maestro italiano, tombada pelo Patrimônio Histórico assim como a primeira unidade.

O espaço será usado para aulas musicais voltadas a jovens em situação vulnerável. “Convenci o conselho a comprar a casa, que estava detonada e com vários processos. Como sou advogado, posso cuidar da parte jurídica, enquanto ela é reformada para abrir as portas em 2022, no bicentenário da independência do Brasil”, antecipa.

Continua após a publicidade

+Assine a Vejinha a partir de 6,90.

Publicado em VEJA São Paulo de 01 de dezembro de 2021, edição nº 2766

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Para curtir o melhor de São Paulo!
Receba VEJA e VEJA SP impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.