Treze sorvetes que deixaram saudade

Eles estiveram presentes na infância de muita gente; confira

No Brasil desde 1941, a Kibon tornou-se sinônimo de sorvete em nosso país, e seus primeiros lançamentos, Eskibon e Chicabon permanecem sendo fabricados até hoje. Outros sorvetes, no entanto, principalmente picolés, tiveram uma vida mais curta, sendo sucesso por algum tempo e depois sumindo do mercado.

O mesmo aconteceu com suas maiores concorrentes antigamente, a Yopa e a Gelato, que também tiveram enormes sucessos de venda em alguns dos produtos, que depois foram descontinuados. Nos anos 70, a Nestlé, dona da marca Yopa, comprou a Gelato,  e seu maior sucesso, o Cornetto, acabou sendo relançado pela Kibon muito tempo depois, com formatos e sabores diferentes do original.

Relembre abaixo alguns sorvetes dessas três marcas que estiveram presentes na nossa infância.

 

  • Picolé Fura Bolo

Sucesso da Gelato nos anos 80 e 90.

 (Reprodução/Veja SP)

 

 

  • Comics Yopa

Lançado do final dos anos 90.

 (Reprodução/Veja SP)

 

 

  • Copa de Ouro Yopa

Feito para concorrer com o Cornetto, ele vinha embrulhado em papel dourado.

 (Reprodução/Veja SP)

 

 

  • Frutilly Kidupla Kibon

Nos anos 90, o tradicional Frutilly ganhou uma variação que ficou à venda por pouco tempo.

 (Reprodução/Veja SP)

 

 

  • Gira Gira Yopa

Lançado em 1995, quando a Yopa já assinava Yopa-Nestlé

 (Reprodução/Veja SP)

 

 

  • Kid Banana Yopa

O picolé de banana com casquinha de chocolate dividia opiniões nos anos 80. Uns adoravam, outros odiavam.

 (Reprodução/Veja SP)

 

 

  • Tubarão Gelato

Picolé azul com sabor de Tutti-Frutti que a criançada adorava.

 (Reprodução/Veja SP)

 

 

  • Puxa! Gelato

Sorvete de copinho que vinha com chiclete no fundo.

 (Reprodução/Veja SP)

 

 

  • Pimpão Kibon

Picolé em forma de uma cabeça de palhaço lançado pela Kibon em 1984.

 (Reprodução/Veja SP)

 

 

  • Minduim Gelato

Era como uma paçoca gelada, e foi lançado na década de 80.

 (Reprodução/Veja SP)

 

 

  • Concorde Yopa

Início dos anos 80, em formato de avião/foguete.

 (Reprodução/Veja SP)

 

 

  • Gol Gelato

Sorvete de baunilha dentro de uma embalagem plástica em forma de bola de futebol

 

  • Disco Gelato

Uma enorme bolacha recheada, cujo recheio era sorvete.

Disco e Gol, da Gelato

Disco e Gol, da Gelato (Reprodução/Veja SP)

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Wagner Godoy

    Essa história está mal contada. A Nestlé nunca comprou a Gelato. O que aconteceu é que, nos anos 80, a Unilever, dona da Gelato, e Nestlé, dona da Yopa, se uniram e criaram uma empresa (Insol) para produzir conjuntamente as duas marcas – que continuaram pertencendo a elas. Isso deu economia de escala na produção dos sorvetes Gelato e Yopa, mas não conseguiu ameaçar a campeã do mercado, Kibon. A Kibon foi comprada pela Unilever no final dos anos 90, e com isso a Insol ficou com a Nestlé (que extinguiu a empresa e a tornou uma divisão interna). As marcas e produtos que eram da Gelato continuaram com a Unilever, e depois alguns produtos passaram a ser produzidos com a marca Kibon.

  2. Catia Garcia

    que peninha não existirem mais, eram muito divertidos

  3. hahaha Darmi um corneto, corneto mio…