Clique e assine com até 89% de desconto
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 28 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Conheça o bartender campeão Spencer Amereno Jr

O profissional, três vezes premiado pela edição Veja Comer & Beber, é um craque das coqueteleiras

Por Arnaldo Lorençato 23 Maio 2017, 21h12

Quem é fã de drinques e mora em São Paulo, certamente já ouviu falar de Spencer Amereno Jr. Ele é fera das coqueteleiras e comanda o Frank Bar, no lobby do hotel Maksoud Plaza. Na mais recente edição de Veja Comer & Beber, o profissional foi duplamente premiado. Levou mais um título de bartender do ano e sua carta de coquetéis foi a vencedora no especial de gastronomia mais respeitado da capital.

Não é a primeira vez que seu talento é reconhecido. Antes de se fixar no Frank em 2015, ele passou extinto MyNY Bar e pelo Isola, instalado na entrada do restaurante Tre, no Shopping JK Iguatemi. Nesses dois endereços foi igualmente reconhecido como barman do ano e autor da melhor carta de drinques da cidade.

Negroni : um dos muitos clássicos feitos com competência por Amereno Jr Divulgação/Veja SP

O que faz o trabalho desse paulistano tão especial é acertar na composição de clássicos, como a caipirinha e o bloody mary (ambos incluídos nesse episódio do MasterChef Brasil), assim como coquetéis autorais. De maneira premonitória, meu colega Saulo Yassuda diz no texto que escreveu para o Comer & Beber sobre o trabalho de Amereno Jr : “esse é só um dos muitos componentes do banquete que se tem por lá. Líquido, no caso”, ao se referir ao drinque the crusher, uma composição de brandy e rum envelhecidos, vermute tinto e pimenta-da-jamaica.

Na linha criativa, ele também apresenta aos competidores CMT, mistura de manzanilla, água tônica da casa, bitters, folha de shissô, cajuína, galanga, uma variação do gengibre. Para ficar mais refrescante, antes de mandar ao cliente, injeta gás carbônico. Quem quiser conhecer esse coquetel cheio de bolinhas e outros drinques, pode encostar no balcão do Frank. Mas é preciso torcer para encontrar o titular por lá.

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade