Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 29 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Ruella, um dos bistrôs mais charmosos de SP, fecha por tempo indeterminado

"Para não falir e poder aguentar a reabertura, parei tudo. Tive de demitir todos meus amados colaboradores" diz a chef e sócia Danielle Dahoui

Por Arnaldo Lorençato 23 mar 2021, 16h06

Na coleção de mensagens tristes que tenho recebido com frequência ultimamente, a mais recente é de Danielle Dahoui. A chef e restauratrice acaba de me avisar por WhatsApp que fechou, nessa segunda (22) o Ruella Bistrô, um dos restaurantes mais charmosos da capital. Localizada numa viela em um pedaço da cidade chamado por uns de Itaim Bibi e por outros de Vila Olímpia, a casa sempre chamou a atenção pela atmosfera acolhedora, perfeita para ir a dois.

Na mensagem, diz Dahoui:

“Não sei se você viu, mas fechei o Ruella por tempo indeterminado e demiti todos meus amados colaboradores. Acho que vc também não sabe? Mas não sou só chef e restauratrice. Cuido de tudo dentro dos meus restaurantes, principalmente de RH, compras e administrativo… Delivery não cobre nem 30% dos custos. Na verdade, é um tiro no pé e, a longo prazo, só faz as dívidas aumentarem. Um coisa é ter uma estrutura só para delivery e outra é a de um restaurante. Por isso, a conta não fecha. E pra não falir e poder aguentar a reabertura, parei tudo. Ou seja, lindão, ainda vamos ver muitos falirem… muito, muito triste.”

Risoto de Pato - Ruella
Arroz de pato: o desejo por um dos pratos mais disputados do cardápio precisará esperar até setembro Divulgação/Divulgação

No caso do Ruella, o funcionamento fazia sentido, em especial, no jantar. É um lugar com clima romântico, luz de velas e uma decoração personalíssima. Por isso, nunca se dedicou aos almoços. Com o fechamento, Dahoui teve de dispensar 15 funcionários.

Para se ter uma uma ideia, a última vez que estive no Ruella foi em 7 de outubro do ano passado — nesse período, a entrada de clientes era limitada até as 21h. Era numa quarta-feira que poderia ser sem maiores predicados em outros lugares. Não no Ruella. Assisti a um pedido de casamento, com trilha sonora especial para o momento. O jovem noivo, nervoso, de joelhos para entregar a aliança, e a mocinha emocionada e cheia de lágrimas com o sim. A garota saiu de lá carregando um urso de pelúcia gigante, que apareceu do nada pelas mãos da equipe do salão.

Continua após a publicidade

Na mesa ao lado da minha, tinha um casal que não parava de comer e fotografar. O motivo? Nenhuma glutonaria. A dupla estava fazendo a escolha dos pratos para o casório no restaurante, que seria celebrado no mês seguinte e para pouquíssimos famialiares. Isso em uma fase mais branda da pandemia.

Agora, é esperar pelo retorno. “Se pudermos voltar a abrir até setembro de 2021, continuaremos por mais 25 anos”, assegura Danielle Dahoui, que inaugurou o Ruella em 1996.

Valeu pela visita! Para me seguir nas redes sociais, é só clicar em:
Facebook: Arnaldo Lorençato

Instagram: @alorencato
Twitter: @alorencato

Para enviar um email, escreva para arnaldo.lorencato@abril.com.br

Caderno de receitas:
+ Fettuccine alfredo como se faz em Roma

  • Continua após a publicidade
    Publicidade