Bares e restaurantes para curtir na semana da Parada LGBT

Confira uma seleção de endereços onde o público costuma aparecer para bebericar, comer e paquerar

Uma das maiores capitais do mundo, São Paulo está repleta de opções para o público LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros).

São bares, baladas e restaurantes dedicados ao público, como a lanchonete Castro Burger, ou que naturalmente acabam atraindo essa galera, como o bar Igrejinha.

Confira o roteiro.

Buraco: espaço banhado de rosa

BARES

Balcão. Aqui quem domina é o enorme balcão de 25 metros que ziguezagueia no salão, ocupado por um público adulto, por volta dos 40 anos. O chope da cervejaria paulista Dr. Chopp custa R$ 7,50 e há também drinques, como a caipirosca (de vodca) de lima-da-pérsia (R$ 22,00). Para comer, vá de sanduíche de pasta de gorgonzola, rosbife e pepino em conserva na ciabatta (R$ 32,00). Rua Doutor Melo Alves, 150, Jardim Paulista, tel. (11) 3063-6091.

Bar de Cima. O bar-balada ocupa os dois últimos andares do prédio onde fica o restaurante Chez Oscar e, a depender da noite, DJs tocam hits de indie e pop que entretêm a galera de 20 e poucos anos, inclusive o público gay. Há cervejas e drinques para curtir a noite. A Stella Artois long neck sai por R$ 11,00 e o watermelon martini, que mistura vodca importada, melancia e limão, R$ 39,00. Rua Oscar Freire, 1128, Jardim Paulista, tel. (11) 3081-2966.

Buraco. “Hoje sim”, diz um grande neon visto da rua quando a casa está aberta — às vezes, ele diz “hoje não” mesmo com o lugar operando. É preciso subir alguns degraus até chegar ao pequeno salão, no 1º andar de um prédio. O espaço, escurinho e com alguma iluminação rosa, acolhe um público misto. O drinque que dá nome a casa é feito de gim infusionado com gengibre, limão-siciliano, xarope de açúcar, chai masala e manjericão (R$ 25,00). Rua Doutor Cesário Mota Júnior, 281, Vila Buarque, tel. (11) 3221-3321.

Void: o misto de bar e loja na região do Largo da Batata

Void: o misto de bar e loja na região do Largo da Batata (Bruno Geraldi/Veja SP)

Caracol. Queridinho do público LGBT, mas também frequentado por muitos héteros, o bar tem a música como um dos (muitos) pontos altos. A cada dia de funcionamento, o espaço recebe um convidado, que comanda o pickup analógico com sets de vinil. A pista de dança costuma ferver de gente com perfil eclético, acima dos 25 anos, após as 21h, quando as luzes se suavizam. Para beber, o drinque french 76 (R$ 35,00) é agradável e fácil de beber. Rua Jaguaribe, 76, Vila Buarque, tel. (11) 4117-9877.

Igrejinha. A decoração desse pequeno bar é repleta de santinhos, oratórios e fitinhas do Senhor do Bonfim. Costuma atrair o público fervido do Baixo Augusta, que aparece para bebericar cervejas (a Heineken long neck custa R$ 12,00) ou drinques como o aquiles, feito com gim importado, limão-siciliano, pepino e alecrim (R$ 32,80). Rua Fernando de Albuquerque, 302, Consolação, tel. (11) 2769-8794.

Lekitsch. Colado na Praça Roosevelt, o lugar atrai o variado público que circula pela região para fazer o “esquenta”. Bolinhos de beterraba ao alho (R$ 26,00, doze unidades) e de arroz com queijo gorgonzola (R$ 30,90, doze unidades) fazem boa companhia para as cervejas em garrafa de 600 mililitros (Eisenbahn, R$ 12,90). Praça Franklin Roosevelt, 142, Consolação, tel. (11) 3120-2384.

Void.  O bar, que engloba uma loja, fica no meio do fervo do Largo da Batata e está sempre cheio de jovens de 20 e poucos anos de todos os tipos e looks. O ar descolado do ambiente proporciona um clima muito livre. Não há hostess nem fila para fazer comanda, muito menos garçom retirando pedidos. Na entrada, um balcão abastece a galera com cervejas ou coquetéis preparados com rapidez. Tem também uma unidade no centro. Rua Martim Carrasco, 56, Pinheiros.

UP Cozinha & Bar. O bar é composto de três pequenos pisos, separados por lances de escada. O mais agradável, e por isso o mais concorrido, é o último deles, uma espécie de rooftop com luzinhas e algumas mesas ao ar livre. A freguesia mescla gays e héteros, animados por cervejas (Heineken, R$ 14,90 a de 600 mililitros) e também drinques como o campari tônica (R$ 29,00). Rua Antônio Carlos, 395-A, Consolação, tel. (11) 2659-1367

RESTAURANTES

Balcão do restaurante Spot Spot: bom restaurante para paquerar

Spot: bom restaurante para paquerar (Fernando Moraes/Veja SP)

Mestiço. Com vinte anos, esse restaurante é adorado pelo público LGBT acima dos 30 anos, que aproveitam petiscos como os krathong-thong, cestinhas tailandesas de massa crocante recheadas de frango e milho ao tempero de especiarias (R$ 39,00, sete unidades). Entre os pratos principais, destaca-se o curry de camarão servido com arroz de jasmim (R$ 83,00). Rua Fernando de Albuquerque, 277, Consolação, tel. (11) 3256-3165.

Ritz. A unidade do Jardim Paulista é um clássico entre o público gay masculino. Após cruzar a porta giratória vermelha, você poderá encontrar pedidas como a salada de cuscuz marroquino (R$ 62,00, a grande) e o linguini com camarão e abobrinha (R$ 80,00, o grande). Para beber, o drinque martinez leva gim, vermute tinto, licor de marasquino e Angostura (R$ 30,00). Alameda Franca, 1088, Jardim Paulista, tel. (11) 3062-5830.

Spot. Um agito só, a casa recebe moças e rapazes, gays e héteros, que exercem a troca de olhares. Algumas opções aliam leveza e sabor, como a posta alta de atum ao molho oriental (R$ 72,00). Para a sobremesa, escolha o suflê de doce de leite acompanhado de sorvete do mesmo sabor (R$ 36,00). Alameda Ministro Rocha Azevedo, 72, Cerqueira César, tel. (11) 3283-0946 e (11) 3284-6131.

Tavares. O restaurante é bem instalado em um antigo casarão e que passou por uma recente reforma. Entra as opções de prato, o picadinho com arroz, farofa, quiabo e banana-prata crua custa R$ 55,00. A casa é procurada por muitos casais e turmas gays. Rua da Consolação, 3212, Jardim Paulista, tel. (11) 3064-0970.

Tavares: casarão antigo abriga restaurante

Tavares: casarão antigo abriga restaurante (Otávio Vasconcelos de Azevedo/Divulgação)

COMIDINHAS

Bella Paulista. Recentemente reformada, a padaria funciona 24 horas por dia e está sempre cheia. Na madrugada, recebe o público jovem vindo de diferentes baladas da cidade, mas principalmente do Baixo Augusta, onde há sempre um grande público LGBT. Experimente o sanduíche batizado de pompeia, que pode vir na ciabatta, na baguete de parmesão, multigrãos ou no pão sírio. Leva filé-mignon, queijo suíço, mix de cogumelos e cebola caramelada (R$ 39,00). Rua Haddock Lobo, 354, Cerqueira César, tel. (11) 3214-3347.

Castro Burger. O nome da casa é uma referência ao famoso bairro LGBT de São Francisco, nos Estados Unidos, e acolhe especialmente este público. O carro-chefe leva o nome da casa e leva hambúrguer de 160 gramas, pancetta, queijo prato, cebola crocante com páprica, alface e maionese de alho (R$ 29,90) que pode ser acompanhado da batata rústica com alecrim, alho confitado, bacon e maionese de ervas (R$ 22,90). Para beber, o drinque poderosa mistura gim, tequila, vodca, licor de laranja e suco de limão em um copo com borda de açúcar colorido (R$ 23,90). Rua Joaquim Távora, 1517, Vila Mariana, tel. (11) 5083-1142.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s