Comida

Restaurantes para conhecer na região do Brás

Predisente, Casa Líbano, Cantiga Gigio, entre outras opções para matar a fome no bairro

Por: Redação VEJA SÃO PAULO

Presidente
Bacalhau ao alho e óleo com brócolis e batata do Presidente: individual e para quatro pessoas (Foto: Mario Rodrigues)

Depois de fazer boas compras no Brás, nada melhor do que matar a fome em restaurantes espalhados por toda a região. O Carlinhos Restaurante do armênio Missak Yaroussalian, apelidado de Carlinhos (falecido em janeiro de 2013), oferece o arais (R$ 11,80), um sanduíche de fatias de pão sírio entremeadas de cafta. Atração mais famosa, a picanha fatiada pode ser pedida em versão para dois por R$ 69,80 (400 gramas). 

No Presidente, uma das donas fica na porta todos os dias para receber a clientela. Não espere encontrar outra receita que não seja bacalhau. Uma das opções mais saborosas e mais leves chama-se bacalhau à portuguesa (R$ 95,00). Trata-se de uma posta alta branquinha, cozida até ficar bem macia, depois de plenamente dessalgada.

Confira outras opções de restaurantes na região:

  • Cozinha variada

    Carlinhos Restaurante

    Rua Rio Bonito, 1641, Pari

    Tel: (11) 3315 9474

    VejaSP
    2 avaliações

    Quem toma conta desta tradicional casa do Pari são os irmãos Fabio (cozinha) e Fernando (salão), filhos do fundador Missak Yaroussalian, o Carlinhos, morto em 2013. Embora seja bem variado, o cardápio apresenta algumas receitas armênias, país de origem dos avós dos proprietários. O apetitoso bastrmá (R$ 36,80) compõe-se de lâminas carne bovina passadas pela chapa com manteiga. Também pode ser saboreado na companhia de dois ovos fritos de quatro gemas moles (R$ 48,80), bons para comer com pão (R$ 1,00). Outra sugestão, o arais vem na forma de um sanduíche de carne de cafta espalhada no pão sírio tostado (R$ 18,80). Há ainda picanha fatiada (R$ 94,80), famosa entre os clientes, em porção para duas pessoas e guarnecida de arroz e farofa.

    Preços checados em 25 de maio de 2016.

    Saiba mais
  • Portugueses

    Presidente

    Rua Visconde De Parnaíba, 2438, Brás

    Tel: (11) 2292 8683

    VejaSP
    1 avaliação

    Duas restrições que valem o aviso: o restauranteabre só para o almoço e não aceita pagamentocom cartões, apenas dinheiro ou cheque.Topa seguir adiante mesmo assim? Entãoprepare-se para uma posta de bacalhau altafrita em alho e óleo memorável, servida combatatas coradas e brócolis (R$ 118,00 a porçãopara duas pessoas). Só é preciso maneirarantes na quantidade de bolinhos de bacalhau(R$ 4,00 a unidade) para não perder o apetitecedo demais. Para a sobremesa, o pudim nacalda bem clarinha (R$ 10,00) supera os doces típicos portugueses.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Árabes

    Casa Líbano

    Rua Barão de Ladário, 831, Pari

    Tel: (11) 3313 0289

    VejaSP
    5 avaliações

    Depois de se transformar no restaurante japonês Hibashi Sushi, a Casa Líbano está de volta. Os proprietários decidiram conciliar, no mesmo salão, sashimi e esfiha. No almoço, o rodízio árabe (R$ 56,90) conta com coalhada azedinha e tabule bem fresco. Aos sábados e domingos, custa R$ 74,90, mas inclui sobremesa.

    Preços checados em 14 de novembro de 2016.

    Saiba mais
  • Cantina / Trattoria

    Cantina Gigio - Brás

    Rua do Gasômetro, 254, Brás

    Tel: (11) 3228 2045 ou (11) 3326 5340

    VejaSP
    4 avaliações

    Raro ver alguém aqui comendo sozinho. Explica-se: os pratos são tão fartos que meia porção é um exagero mesmo para os casais. Sorte das famílias grandes e dos grupos de amigos numerosos, que dividem as massas regadas a muito molho. Uma delas é o espaguete all’arrabiatta, feito de tomate e pimenta vermelha (R$ 93,50 em Pinheiros; R$ 104,00 no Brás). Mais cremoso, o ravióli de ricota aos quatro queijos sai por R$ 125,50 e R$ 148,00, respectivamente.

    Preços checados em 26 de abril de 2016.

    Saiba mais
  • Peixes e frutos do mar

    Cantina do Marinheiro - Brás

    Avenida Alcântara Machado, 552, Brás

    Tel: (11) 3207 6125 ou (11) 2507 6739

    1 avaliação

Fonte: VEJA SÃO PAULO