Roteiro

Restaurantes que funcionam sem intervalo

Confira 16 endereços bacanas que servem boas receitas mesmo durante a tarde, entre o almoço e o jantar

Por: Veja São Paulo (colaborou Gabriel Gama) - Atualizado em

A tarde já está quase terminando quando você se dá conta de que ainda não almoçou. Em muitas cidades do Brasil, a solução seria engolir um lanche qualquer pelo caminho. Os paulistanos, com mais sorte, contam com restaurantes bacanas para matar a fome fora de hora. Diversos endereços funcionam direto, sem intervalo, e servem boas receitas mesmo durante a tarde.

Confira abaixo uma seleção para ajudar você a saber aonde ir quando o horário do almoço já passou e o do jantar ainda está longe de chegar. Há opções dos mais variados tipos de cozinha, de árabe a feijoada. É só escolher!

A Figueira Rubaiyat 02
A Figueira Rubaiyat: boa opção para os dias de calor (Foto: Mario Rodrigues)

A Figueira Rubaiyat: dono de um dos ambientes mais belos da cidade, está quase sempre com as portas abertas. Só descansa de madrugada, depois da 0h, quando encerra o expediente. Uma das sugestões de prato principal são os camarões assados no forno a lenha. Servidos em uma panela de barro, recebem a companhia de risotinho de queijo mascarpone ao limão-siciliano.

A Galeteria Assada: a especialidade da casa é o galeto, como o nome entrega. Servido em fartas quantidades, fica em cartaz diariamente das 11h à 23h30, exceto aos domingos, quando fecha às 21h. Uma porção de galeto inteira pode ganhar a companhia de purê de batata e creme de milho. 

Almanara: as duas unidades de rua, no centro e no Jardim Paulista, funcionam sem intervalos desde as 11h30. Comece pelo trio de pastas, composto de coalhada seca, homus e babagabuche. Quibe cru, esfiha de carne, e kafta, podem vir na sequência. O endereço da Rua Basílio da Gama propõe também rodízio.

Mocotó
Mocotó: carne-de-sol na chapa com manteiga de garrafa (Foto: Fernando Moraes)

América: os hambúrgueres são a grande atração da rede, que conta com seis unidades espalhadas pela cidade, todas funcionando das 11h à 0h. Para saborear em pequenos bocados, o texas vem na forma de um suculento bifão de 200 gramas de carne moída assentado sobre pão australiano e umedecido por molho adocicado de ketchup. Acompanham a pedida relishes de milho e pepino, batatas fritas e gostosas onion rings. Todos os dias no almoço, monta bufê de saladas, que pode ser combinado a um grelhado. 

Consulado Mineiro: na matriz da Praça Benedido Calixto, não existe hora certa para saborear receitas típicas das Gerais. Todos os dias, com exceção de segunda, quando a casa fecha, vai do almoço ao jantar sem pausa. Como filas ali são quase regra, recompense a espera bebericando uma caipirinha de tangerina preparada com a cachaça do barril. Faz ótima companhia aos pequeninos pastéis de carne-seca e requeijão. 

Fogo de Chão: eleito o melhor rodízio de carnes pelo especial “Comer & Beber”, oferece cortes de primeira o dia todo, das 12h à 0h, e aos domingos, até as 22h30. Os garçons circulam pelo salão com picanha, paleta de cordeiro, fraldinha e bife ancho, entre muitas outras sugestões. O preço de R$ 122,00 por pessoa dá direito também ao bufê de frios e aos acompanhamentos. Horário válido para as unidades de Moema e Vila Olímpia.

Le Vin Bistro: tem ambiente e cardápio inspirados nos bistrôs franceses. Não faltam nas endereços da rede sopa de cebola gratinada ou a porção de mexilhões com batata frita, para abrir o apetite. Depois, dá para ficar só na saladinha de rúcula e cuscuz marroquino com salmão defumado ou partir para algo mais substancioso, como o ravióli recheado de espinafre e ricota na manteiga de sálvia. As três unidades da rede, nos Jardins, no Itaim Bibi e em Higienópolis, funcionam sem intervalo.

Pasquale
Pasquale: ravióli de camarão ao molho de vinho branco e limão (Foto: Mario Rodrigues)

Mocotó: de ambiente simples e cardápio nordestino, o restaurante da Zona Norte funciona de segunda a sábado, das 12h as 23h, o chef Rodrigo Oliveira prepara receitas brasileiras bem gostosas e com preços que não assustam. Basta provar o torresmo grande e carnudo, que vai à mesa cortado em pedaços.Também comprovam quanto vale a visita os outros petiscos e entradinhas, entre eles o feijão-de-corda no caldo com linguiça defumada, maxixe e quiabo. Aos domingos, funciona das 11h30 às 17h.

Mestiço: a clientela na área de espera sempre badalada inclui desde os cinquentões que viram o nascimento do restaurante até uma moçada animada em busca de delícias meio baianas, meio tailandesas. Depois da porção de cogumelos shiitake e paris ao molho cremoso com castanha-de-caju, para comer junto de torradinhas, o camarão phuket levemente picante com arroz de jasmim e o curry vegetariano de tofu acompanhado do mesmo arroz são algumas das opções. Às segundas e aos domingos, funciona das 11h45 à 0h. De terça a quinta, até a 1h. Às sextas e sábados, fica aberto até as 2h.

Pasquale: É um prazer ver o chef Pasquale Nigro correndo entre a cozinha e o salão. O italiano de Minervino Murge, na Puglia, não se acomoda. Seu entusiasmo se reflete em massas bem executadas com o clássico napolitano espaguete à putanesca, reforçado vez ou outra pela adição de colatura de aliche, a essência extraída vagarosamente da conserva do peixe. A casa funciona de segunda às 18h até 0h. De terça a sabado, das 12h às 0h. Aos domingos, das 12h às 17h. 

Zena Caffè - Lasanha tocco
Especialidade do Zena Caffè: lasanha tocco di funzi (Foto: Fernando Moraes)

Ramona: A casa passou a funcionar das 12h à 0h, às segundas e terças; até as 2h, de quarta a sexta; e das 12h30 às 2h, aos sábados. Aos domingos, as portas estão fechadas. 

Santo Grão: as unidades Itaim e Jardim Paulista abrem para o café da manhã e só fecham à noite. Todas as casas oferecem grãos procedentes de diferentes regiões produtoras, bem como variados métodos de extração. Para ficar no básico, peça o expresso feito com o blend da casa mais intenso, tirado em uma máquina La Cimbali toda modernosa. Se a ideia é aguçar os sentidos, há a degustação de um mesmo café passado na Hario e na aeropress — acredite, as diferenças de aroma e sabor são bem evidentes. Para acompanhar, vistos os quitutes cintilam sobre o balcão. 

Serafina: originária de uma rede de Nova York, tem duas unidades na capital, nos Jardins e no Itaim. Oferecido como acompanhamento do filé-mignon grelhado no ponto, bem rosado no centro, o risoto de parmesão ultracremoso custa. Apenas na unidade do Itaim Bibi, o almoço executivo ganha horário estendido, até as 16h.

Zena Caffè: as duas unidades do restaurantes de Carlos Bertolazzi funcionam todos os dias sem intervalo, das 12h até de madrugada. Entre suas receitas, as focaccias, sanduíches assados na hora, recebem recheio de berinjela, abobrinha e tomate com queijo stracchino. Ainda melhores do que elas são as massas como o tagliatelle com um parrudo ragu de cordeiro e o caramelle de caprino, com massa de beterraba recheada de queijo de cabra na manteiga e sálvia.

Lanchonete da Cidade - Shopping Cidade Jardim
Lanchonete da Cidade: endereço do Shopping Cidade Jardim  (Foto: Divulgação)

RESTAURANTES BACANAS EM SHOPPINGS

Forneria San Paolo: Os panini são as atrações. Montada na massa de pizza, o cliente pode escolher e saborear a receita de linguiça calabresa moída, mussarela e espinafre. Há ainda doze opções de massa. O ravióli de queijo brie na manteiga vem com pinhole, rúcula e tomate seco também consta no cardápio.  

Lanchonete da Cidade: entre as várias opções de bons sandubas, há o chilli bombom, cujo disco de carne é posto sobre uma crosta de queijo parmesão, mais chili de carne por cima, jalapeños e creme de cheddar. Para acompanhar, nada como uma porção de batatas cortadas em palitos mais grossos, fritas e acompanhadas de alho e alecrim. O endereço do Shopping Cidade Jardim funciona sem intervalo entre almoço e jantar. 

+ Mais lugares bacanas para comer e beber dentro de shoppings

Fonte: VEJA SÃO PAULO