Clique e assine por apenas 6,90/mês

Conheça sobremesas que levam cumaru, a baunilha amazônica

Restaurantes na capital utilizam a semente do fruto para aromatizar e dar mais sabor aos doces

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 10 Jan 2020, 07h00 - Publicado em 10 Jan 2020, 06h00

Separamos quatro pedidas que ganham mais graça com o uso do cumaru. Confira.

PUDIM OU PANACOTA?
Aromático, o cumaru é um fruto brasileiro cuja semente enriquece o sabor de sobremesas se usado na medida certa, sem exagero. No cardápio do Sal Gastronomia, o chef Henrique Fogaça coloca a especiaria na boa panacota, aqui chamada de pudim (R$ 24,00). A pedida é servida num prato fundo junto de calda de frutas vermelhas. Rua Minas Gerais, 352 (Galeria Vermelho), Higienópolis, tel. 3151- 3085; Shopping Cidade Jardim, tel. 3198-9505. $$

Panacota aromatizada: pedida do Sal Gastronomia Ricardo D'Angelo/Veja SP

DOCE À FRANCESA
Chef revelação pelo COMER & BEBER, Cesar Costa serve no Corrutela uma ótima versão da clássica île flottante francesa, um dos melhores pratos de 2019. Trata-se de um creme inglês perfumado por sementes de cumaru e colorido de azul com jenipapo fermentado por até sete dias em sal e soro de coalhada. Por baixo da mistura, vai uma massa sablée clássica transformada em farofinha crocante misturada a caramelo e, sobre ela, delicados merengues cozidos em leite também aromatizado por cumaru. Custa R$ 27,00. Rua Medeiros de Albuquerque, 256, Vila Madalena, tel. 3032-2443. $$

Creme brûlé aromatizado com cumaru: do franco-italiano Parigi Arnaldo Lorençato/Veja SP

NO CLÁSSICO
Endereço sob duas bandeiras — França e Itália —, o Parigi, do Grupo Fasano, é comandado pelo chef Eric Berland. Do lado francês, aparece um saboroso coq au vin (R$ 134,00) na companhia de tagliolini. A terrine de foie gras (R$ 141,00) está entre as caras sugestões de entrada. Um sopro de brasilidade aparece no clássico creme brûlé (R$ 44,00), agora aromatizado com cumaru. Rua Amauri, 275, Itaim Bibi, tel. 3167-1575. $$$

Dalva e Dito: a musse de chocolate vem perfumada com a semente Ricardo D'Angelo/Divulgação

EM DOSE DUPLA
Dedicado a pedidas clássicas brasileiras, o Dalva e Dito, de Alex Atala, não dispensa o uso de cumaru em suas sobremesas. Uma opção é a musse de chocolate perfumada com a semente e servida com farofinha de castanha-de-caju (R$ 25,00). A outra consiste numa torta de chocolate com toque discreto da especiaria mais sorbet de frutas vermelhas (R$ 29,00), que ganha pontos por ter pouco açúcar. Rua Padre João Manuel, 1115, Jardim Paulista, tel. 3068-4444. $$$

Publicidade