Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 29 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Ritmo de reabertura: sete endereços gastronômicos imperdíveis na cidade

Restaurantes, bares e casas de comidinhas abertas durante a pandemia que merecem uma visita

Por Arnaldo Lorençato, Saulo Yassuda, Gabriela Del'Moro Atualizado em 26 ago 2021, 22h30 - Publicado em 27 ago 2021, 06h00

Separamos abaixo novidades gastronômicas inauguradas durante a pandemia que merecem a visita. Confira.

Moma
Como era de se esperar, nem bem abriu as portas no mês de julho, em Pinheiros, a primeira filial do Moma Modern Mamma Osteria tem filas. Como se trata de uma unidade planejada antes da pandemia, o projeto sofreu várias alterações enquanto o imóvel era construído no mesmo endereço de uma antiga oficina. Além do pé-direito de 6 metros e do teto retrátil na entrada e no salão atrás do bar, reproduz-se o mesmo esquema da matriz: há mesas na calçada, aqui com capacidade de acomodar até doze pessoas. Com todos esses cuidados, a clientela que for à trattoria moderninha poderá saborear com um pouco mais de tranquilidade pratos da dupla Paulo Barros e Salvatore Loi, como o polpettone recheado de muçarela de búfala grelhado no carvão com bauletti de creme de sêmola aos molhos de tomate e de carne (R$ 74,00). Rua Ferreira de Araújo, 342, Pinheiros, tel. 99199-6383 (também WhatsApp). Instagram: @modernmammaosteria

Fachada do Camélia Òdòdó, pintada em cor avermelhada. Na calçada, algumas mesas estão espalhadas. À frente, uma grande árvore faz sombra no ambiente
Camélia Òdòdó: primeiro restaurante de Bela Gil na capital Ligia Skowronski/Veja SP

Camélia Òdòdó
Com DNA vegetariano, quase integralmente vegano, o Camélia Òdòdó é um charme só. Tem portas de vidro que se abrem completamente, deixando o salão ventilado, mesas ao ar livre protegidas por um toldo e ainda degraus na área externa que funcionam como arquibancada para a espera. Esse é o cenário do trio de restaurante, café e bar de estreia da chef Bela Gil, conhecida nacionalmente pelos programas que apresenta no canal pago GNT. Neste lugar que dá para passar horas, a refeição pode começar com uma deliciosa porção de salgadinhos (R$ 32,00 com seis). Imbatível entre eles, a coxinha tem recheio de jaca. Há ainda croquete de painço e quibe de abóbora e bertalha. Da Bahia, de onde vem a cozinheira, ela prepara, somente às sextas, o bobó de cogumelo shimeji no creme de aipim ao leite de coco caseiro e azeite de dendê com farofa de dendê e arroz agroecológico com bertalha (R$ 47,00). Rua Girassol, 451B, Vila Madalena, tel. 3815-0767. Tem acessibilidade. Instagram: @camelia_ododo.

Miró Gastronomia
Oculto em cima de uma oficina mecânica de carros de luxo, o Miró Gastronomia marca a estreia para valer do chef Dalton Rangel, conhecido pelos programas de TV. No menu variado criado por ele, há receitas de várias bandeiras, como as papas bravas (R$ 32,00 a porção), batatas picantes à espanhola feitas apenas das cascas besuntadas de aïoli e molho de pimenta. Carne da moda, o beef wellington (R$ 98,00) é o filé-mignon rosado num embrulho de massa folhada com presunto cru italiano e duxelle, os cogumelos picadinhos transformados em quase uma pasta, acompanhados de purê de batata e molho rôti ao vinho do Porto.  Alameda Lorena, 2101, Jardim Paulista, tel. 4780-9802. mirogastronomia.com.br.

Drinque vermelho em copo de vidro sobre bandeja de preta em cima de mesa prata.
Sazerac: drinque merece ser provado em uma visita ao Santana Bar Clayton Vieira/Veja SP

Santana Bar
Cansou de dar uma de bartender em casa? No Santana Bar, aberto em novembro, é possível matar a saudade e bebericar drinques impecáveis e usufruir um ambiente hospitaleiro. A experiência é proposta pelo sócio Gabriel Santana (ex-Benzina), que serve coquetéis no salão e na varanda aberta. Merecem ser provados, entre tantos outros, o sazerac (bourbon, conhaque, xarope de açúcar, bitter Peychaud’s e borrifada de absinto, R$ 52,00) e o daiquiri de banana (rum, limão, licor de banana e xarope da fruta com camomila; R$ 42,00). Rua Joaquim Antunes, 1026, Pinheiros, tel. 99631-1026. @_santanabar.

Chef Giovanni Renê posa finalizando prato a sua frente na cozinha do Davo.
Giovanni Renê: chef é responsável pelas criações do Davo Cozinha Clayton Vieira/Veja SP

Davo Cozinha
Uma das melhores surpresas neste período pandêmico, o restaurante Davo Cozinha é o território de Giovanni Renê, conhecido por ter sido escudeiro de Erick Jacquin no YouTube. O chef, que estreia em carreira-solo, acerta ao mixar técnicas francesa e espanhola com matérias-primas brasileiras e asiáticas. Por trás do curioso nome galolina (R$ 21,00) esconde-se uma carolina de fígado de galinha com vinagre balsâmico, açaí de Manaus e sal de anchova. A dobradinha (R$ 28,00) é o bucho bovino cozido na laranja e gim ao molho de ostras, vôngole e baunilha do cerrado com picles de cebola. Rua dos Pinheiros, 448, Pinheiros, tel. 2737-1527.  davocozinha.com.

Continua após a publicidade

Locale Caffè
Mais um endereço que abriu durante a pandemia, o Locale Caffè é uma cafeteria com pizzas, sanduíches e coquetéis, que funcionava bem por delivery. Mas, desde fevereiro, começou a valer a pena também sair de casa para uma visita. É que o bartender premiado Márcio Silva deu um up no bar local. Formou uma equipe afiada, dedicada ao bom atendimento, e criou uma lista de drinques caprichados, a maioria servida apenas lá. Fazem a alegria do público clássicos como o bellini (prosecco e purê de pêssego; R$ 35,00) e criações como o fiore (rum envelhecido, licor Saint Germain, vinho riesling, camomila, melissa e cítricos; R$ 35,00). Rua Manuel Guedes, 349, Itaim Bibi, tel. 94140-4371. localecaffe.com.br.

Salão da Crime Pastry SHop, com vitrine de doces à esquerda, mesa branca quadrada ao centro e prateleiras de madeira no fundo à direita.
Crime Pastry Shop: doceria foi aberta em dezembro Ji Hee Kim/Divulgação

Crime Pastry Shop
Você pode até ter comido muito doce na quarentena. Mas possivelmente teve poucas chances de provar sobremesas mais elaboradas, como as feitas pelo confeiteiro Rafael Protti, que montou em dezembro a Crime Pastry Shop. Em uma agradável área arejada, saboreiam-se tortas fresquinhas, como a de limão com massa de amêndoa, creme da fruta e merengue (R$ 22,00 a fatia), e um ótimo mil-folhas de creme inglês com queijo mascarpone (R$ 22,00). Rua Simão Álvares, 1031, Pinheiros, tel. 3031-9929.  Instagram: @crimepastryshop.

Assine a Vejinha a partir de 8,90 mensais

Valeu pela visita! Para me seguir nas redes sociais, é só clicar em:
Facebook: Arnaldo Lorençato

Instagram: @alorencato
Twitter: @alorencato

Para enviar um email, escreva para arnaldo.lorencato@abril.com.br

Caderno de receitas:
+ Fettuccine alfredo como se faz em Roma

Continua após a publicidade
Publicidade