Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Comidas do Brasil todo sem sair de São Paulo

Especialidades de diferentes estados são preparadas por restaurantes paulistanos. Confira onde encontrar por aqui os sabores do Brasil 

Por Veja São Paulo Atualizado em 1 jun 2017, 16h54 - Publicado em 28 abr 2015, 19h13

Não é necessário sair de São Paulo para poder experimentar a riqueza da culinária brasileira. Mesmo sem a praia das capitais litorâneos ou o clima do sertão nordestino, dá para sentir aqui o gostinho de receitas típicas, ainda que adaptadas vez ou outra devido à disponibilidade de ingredientes ou ao gosto do chef.

Para tomar um tacacá em Belém do Pará, no Norte, e emendar num churrasco em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, por exemplo, seria preciso percorrer mais 4 000 quilômetros. Em território paulistano, porém, basta dar um pulo no Amazônia, na Bela Vista, e depois a uma das lojas da rede Fogo de Chão.

Confira abaixo uma seleção com outros bons restaurantes brasileiros na cidade: 

Bahia – Consulado da Bahia

Nem só de acarajé vive a Bahia – ou essa casa localizada em Pinheiros. Uma moqueca mista de pescada-amarela e camarão temperada com azeite de dendê (R$ 130,00, para duas pessoas) chega à mesa fumegante. Como manda a tradição baiana, arroz, pirão e farofa acompanham.

Ceará – Colher de Pau

O restaurante tem suas raízes em Fortaleza e traz para a Rua Doutor Mario Ferraz os sabores de lá, beeem carregados no creme de leite. O peixe à delícia é feito com pescada-amarela, molho branco, banana frita. Achou pesado? Pois saiba que a receita ainda vai ao forno com requeijão ou mussarela (R$ 111,90, para duas pessoas). Para incrementar a receita com camarão, o preço sobe para R$ 178,20. 

Continua após a publicidade

Espírito Santo – Badejo

A moqueca de badejo com camarão-rosa (R$ 184,00, para duas pessoas) não abre mão da característica capixaba: no lugar do leite de coco e do dendê baiano, usa urucum e azeite de oliva. Os acompanhamentos são pirão, feito com o caldo do cozido, arroz branco e farofa de banana-da-terra.

Goiás – Rancho Goiano


Rancho Goiano
Rancho Goiano

Para provar o empadão goiano, é necessário encomendá-lo ou esperar pelo menos uma hora no salão até o prato ficar pronto. Uma massa espessa vem recheada de costelinha de porco, frango desfiado, linguiça, ovo, mandioca, azeitona e guariroba, um tipo de palmito amargo (R$ 115,00). O prato serve facilmente duas pessoas e pode ganhar o acompanhamento de arroz de pequi (R$ 135,00). Mais goiano, impossível.

Interior de São Paulo – Attimo

O chef Jefferson Rueda define sua cozinha como ítalo-caipira. Em outras palavras, os sabores da Itália se misturam com as adaptações feitas por imigrantes no interior do estado. O estilo é notado em pratos como o arroz de forno feito com galinha d’angola desfiada, milho verde e queijo meia cura (R$ 89,00).

+ Um passeio pela culinária latino-americana em São Paulo 

Mato Grosso e Mato Grosso do Sul – Sobaria

Pelo nome, nem parece um restaurante brasileiro. Afinal, Sobaria seria um lugar especializado em soba da ilha de Okinawa, em vez de do macarrão japonês de trigo-sarraceno entra na receita o de trigo branco. A massa está entre as muitas influências estrangeiras encontradas na região. Pouco conhecidas na cidade, essa e outras receitas do Centro-Oeste podem ser apreciadas na casa. Um dos exemplos é o pintado ao forno com molho de urucum (R$ 48,00), servido com arroz, vinagrete, farofa e mandioca cozida. Outra opção é a sopa paraguaia (R$ 27,00), na realidade uma torta.

Minas Gerais – Consulado Mineiro


Consulado Mineiro - Vaca atolada
Consulado Mineiro – Vaca atolada

O restaurante, que possui três unidades em São Paulo, oferece com especialidade mineira a vaca atolada. O prato é feito com cozido de costela de boi com mandioca, tomate e cheiro-verde. Couve, feijão e arroz branco são os acompanhamentos (R$ 79,50). 

Pará – Amazônia

Em Belém, o tacacá se mostra um sucesso na happy hour. A sopa paraense de tucupi (caldo extraído da mandioca-brava) com goma de mandioca, jambu (verdura também conhecida como agrião-do-pará e de sensação anestésica) e camarão seco pode ser pedida aqui como entrada (R$ 19,00). Depois, uma opção para dividir é o pato no tucupi, acompanhado de arroz (R$ 82,00). 

Paraíba – Empório Nordestino

Especializado em churrasco ao estilo da Paraíba, serve carne de sol (R$ 75,00, para três pessoas) e contrafilé com cobertura de queijo coalho derretido na brasa (R$ 85,00, para duas pessoas). Feijão tropeiro, arroz, vinagrete, paçoca (salgada, claro) e macaxeira frita deixam a pedida ainda mais paraibana.

+ Conheça os melhores restaurantes brasileiros segundo a VEJA COMER & BEBER 2014

Paraná – Tordesilhas

Cozinheira intuitiva, Mara Salles coloca diferentes faces culinárias do país no cardápio de seu restaurante. Resgata, por exemplo, clássicos de diferentes regiões, em cuja preparação procura manter-se fiel às receitas originais. É o caso do barreado (R$ 65,00), suculento cozido de carnes típico do litoral do Paraná, que demanda 14 horas de panela. Um pirão é feito com o caldo da carne e farofa, o prato chega à mesa com banana-da-terra grelhada.

Pernambuco – Esquina Mocotó 

Esquina Mocotó
Esquina Mocotó

Vencedor na categoria de melhor brasileiro pela VEJA COMER & BEBER 2014, serve às quartas-feiras, no menu executivo (R$ 39,80), a feijoada pernambucana. Feita com feijão mulatinho, leva legumes como maxixe e quiabo e é acompanhada de arroz e farofa. É também possível encontrá-la em alguns sábados por R$ 89,90, para duas pessoas. Quem quiser se arriscar pode fazer a receita  do chef do ano Rodrigo Oliveira em casa.

Rio de Janeiro – Aconchego Carioca


Bolinho de feijoada do Aconchego Carioca
Bolinho de feijoada do Aconchego Carioca

Rio de Janeiro é sinônimo de uma porção de bolinhos. Aqui em São Paulo, a filial do bar carioca prepara quatro unidades de bolinhos de feijoada, acompanhados de torresmo e uma batida de limão por R$ 22,00. 

+ Onze restaurantes de São Paulo ganham estrelas Michelin

Rio Grande do Sul – Fogo de Chão

A rede de restaurantes serve o rodízio de carnes por R$ 116,00. Entre as opções de corte, a mais gaúcha, digamos assim,  é a costela feita no fogo de chão, assada por doze horas em uma grelha com carvão. 

Santa Catarina – Amadeus

Especializada em peixes e frutos do mar, a casa comandada pela chef Bella Masano recebe ostras frescas diretamente de um culitvo próprio em Santa Catarina. Fresca, a unidade sai por R$ 5,00 e tem gosto de praia. Na companhia de melância e pequenos cubos de bacon, a porção com quatro unidades custa R$ 26,00.  

Sertão Nordestino – Galinhada do Bahia

Bem bem simples, o espaço parece um boteco nordestino – tanto no jeito do salão, instalado dentro de uma vila mal pavimentada (mulheres, esqueçam o salto alto), quanto nas pedidas do cardápio. A buchada de bode faz parte do bufê servido no restaurante por R$ 60,00 durante a semana e R$ 70,00 aos sábados, domingos e feriados. O prato pode ser consumido com batata doce, maxixe e feijão.  

  

Continua após a publicidade

Publicidade