Clique e assine por apenas 5,90/mês

Márcio Silva é o Bartender do Ano por VEJA COMER & BEBER

Com quinze anos de experiência na Europa, o sócio do Guilhotina arrasa no próprio balcão

Por Saulo Yassuda - 25 set 2017, 19h37

No Guilhotina, Márcio Silva pode relaxar. Pela primeira vez, o paranaense criado em São Paulo toca, desde dezembro, o próprio balcão e tem carta branca dos sócios, Marcello Nazareth e Rafael Berçot, para criar. O resultado? Venceu o prêmio de melhor carta de drinques nesta edição.

Mas nem todos os dias são de banho de espuma (ainda que em uma estação de bar, como na foto). A rotina inclui participar de reuniões, revisar pedidos, treinar a equipe…

Ex-lutador de tae kwon do, Silva abandonou o tatame ao se machucar em uma competição em Londres, em 1994. Resolveu ficar por lá. Começou a lavar taças em bares badalados e acabou por chacoalhar as coqueteleiras em países como Inglaterra e Espanha nos quinze anos de Europa.

“Sou um bartender gringo que fala português fluentemente”, brinca. Voltou para São Paulo, em 2009, com uma missão: comandar o ótimo SubAstor, então estreante. Entre idas e vindas do exterior fez — e faz até hoje — consultorias em estabelecimentos daqui. A lista é grande, porém é no Guilhotina onde ele se mostra mais à vontade.

No meio da badalação, o ato de pedir um dry martini lá vira uma discussão divertida com o freguês sobre a proporção de gim e vermute no clássico. Coisa de especialista.

 

Continua após a publicidade
Publicidade