Clique e assine com até 89% de desconto
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 28 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Cozinha do Lorençato convida Luiz Eduardo Fernandes

À frente do Bar do Luiz Fernandes, fundado pelos pais, Idalina e Luiz Fernandes, empresário revela segredos dos 50 anos do boteco mais famoso da Zona Norte

Por Arnaldo Lorençato Atualizado em 3 jul 2020, 08h07 - Publicado em 3 jul 2020, 08h00

O Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, está que é só petisco. Nada difícil de entender. O convidado do episódio #56 é Luiz Eduardo Fernandes, o Edu, que junto com os pais, Luiz e Idalina Fernandes, comanda o melhor boteco da Zona Norte, o Bar do Luiz Fernandes.

O público que costumava baixar por lá, de todos os cantos da cidade para curtir os salgadinhos criados por dona Idalina, uma fofa. O mais famoso deles lembra uma almôndega sequinha. “Minha mãe e minha avó começaram a fazer o bolinho de carne e fritavam num fogareiro junto do balcão. E aí pegou. Foi assim que começou o Bar do Luiz Fernandes”, conta Edu.

Minha mãe e minha avó começaram a fazer o bolinho de carne e fritavam num fogareiro junto do balcão. E aí pegou. Foi assim que começou o Bar do Luiz Fernandes

Luiz Eduardo Fernandes, do Bar do Luiz Fernandes

Até se virar um barzinho para atender a vizinha cinquenta anos atrás, o lugar era uma venda familiar que andava mal das finanças. “Cinquenta anos é uma data muito esperada. Ter um negócio com essa idade numa cidade como São Paulo e continuar de pé depois de tanto tempo é muito difícil”, garante o empresário do alto de sua longa experiência.

Edu: “Não é pela cerveja que as pessoas vêm aqui, mas por causa da nossa comida” Arnaldo Lorençato/Divulgação

Ele sabe também a importância da ótima seleção de acepipes. Tanto que um deles, o bolinho basco, feito de bochecha bovina e inspirado em uma receita espanhola, foi premiado como o melhor petisco da cidade por VEJA SÃO PAULO COMER & BEBER 2018. “A bebida representa 60% do meu faturamento. Porém, não é pela cerveja que as pessoas vêm aqui, mas por causa da nossa comida, sempre preparada com muito carinho”, diz Edu.

Cinquenta anos é uma data muito esperada. Ter um negócio com essa idade numa cidade como São Paulo e continuar de pé depois de tanto tempo é muito difícil

Luiz Eduardo Fernandes, do Bar do Luiz Fernandes

Originalmente prevista para maio, mês da fundação do Bar do Luiz Fernandes, a festa foi adiada, mas deve rolar assim que possível. Talvez em novembro. “Queremos comemorar o aniversário de cinquenta anos, mas terá de ser uma coisa responsável. Não dá para reunir 4.000 pessoas no meio de uma pandemia”, assegura.

Queremos comemorar o aniversário de cinquenta anos, mas terá de ser uma coisa responsável. Não dá para reunir 4.000 pessoas no meio de uma pandemia

Luiz Eduardo Fernandes, do Bar do Luiz Fernandes

Bom de prosa, Edu teve tempo ainda de responder quem é o cliente ideal: “O melhor tipo de freguês é o que faz do bar o quintal da sua casa. O pior é aquele que quer privilégios. Todo mundo é igual.”

Continua após a publicidade

Para ouvir esse papo derramado de gostosuras, dá o play no YouTube, no Spotify, no Deezer ou aqui:

 

Assine a Vejinha a partir de 6,90 mensais

Valeu pela visita! Para me seguir nas redes sociais, é só clicar em:
Facebook: Arnaldo Lorençato

Instagram: @alorencato
Twitter: @alorencato

Para enviar um email, escreva para arnaldo.lorencato@abril.com.br

Caderno de receitas:                               
+ Fettuccine alfredo como se faz em Roma

  • Continua após a publicidade
    Publicidade