Especiais

Cervejas: elas são - mesmo - especiais

Conheça mais sobre a entrada definitiva das cervejas especiais na vida do paulistano e onde ir para degustá-las

Por: Monique Paoletti - Atualizado em

Anhanguera: só produtos de microcervejarias brasileiras
Anhanguera: só produtos de microcervejarias brasileiras (Foto: Mario Rodrigues)

Foi-se o tempo em que sentar-se em uma mesa de bar e pedir por uma cervejinha era um desejo prontamente atendido. Hoje, aquela loirinha gelada, límpida, quase padrão, tem de conviver com um harém de rótulos importados e nacionais, conhecidos como cervejas especiais.

Elas chegaram timidamente ao país há cerca de 10 anos e tomaram seu espaço rapidamente. “Hoje, o Brasil é o quarto maior mercado do mundo em exportação de cervejas especiais. Fica atrás da China, Estados Unidos e Alemanha” diz Marcelo Stein, diretor da importadora Bier & Wein. E, se elas fazem tanto sucesso atualmente, boa parte do crédito vai para a Erdinger (feita de trigo, com a coloração meio turva e servida em um copo comprido de 500ml) que atiçou a curiosidade dos clientes por uma cultura cervejeira. “Isso aconteceu com vinhos, queijos, azeites, ou seja, com a gastronomia em geral. E a cerveja especial, que é uma bebida gourmet, não poderia ficar de fora” diz Edu Passarelli, especialista em cervejas e proprietário do bar Melograno, com cerca de 150 rótulos dedicado à bebida.

E haja curiosidade para começar a entender dos mais de 120 diferentes estilos que as cervejas podem oferecer. Com uma gama tão grande de aromas, as harmonizações são tão poderosas que até restaurantes como o Emiliano, Carlota e o irlandês Mulligan incrementaram suas cartas etílicas com rótulos variados. “Gosto muito das harmonizações mais intensas, como as que juntam carnes de sabor acentuado e cervejas mais complexas. Cordeiro com cerveja dubbel é um bom exemplo”, diz Passarelli.

O incentivo do crescimento do mercado cervejeiro foi tanto que importadoras e estabelecimentos investiram no lançamento de suas cervejas de marca própria, como a Uno – com aroma de romã, do Melograno – e a Paulistânia – da importadora Bier & Wein. “A cerveja exclusiva traz holofotes e reputação ao estabelecimento e ainda procura criar fidelização com seus clientes. A dificuldade pode estar na criação e execução desta cerveja exclusiva porque produzi-las com excelência e repetibilidade exige profissionalismo”, diz a mestre cervejeira Cilene Saorin. Porém, de tantos rótulos criados pela especialista, a cerveja perfeita ainda é um ideal “A cerveja perfeita seria aquela que traz sorrisos a quem bebe. E atenção: sem excessos, sorrisos por se dar conta que tem sentidos aguçados também e que está vivo” completa a expert.

Na prática

Se você quer aprender sobre cervejas especiais, passe para a parte mais gostosa do assunto: a degustação. A mestre cervejeira, Cilene Saorin, escolheu 6 estilos – que são bem diferentes entre si – para apresentar a diversidade e a versatilidade gastronômica das cervejas.

Bohemian Pilsener – De lúpulo acentuado, este estilo de cerveja foi o primeiro a ser fabricado na cidade de Pilsen, região da Bohemia, na República Tcheca em 1842, por isso o nome.

Witbier – Uma das cervejas mais famosas deste estilo é belga de trigo, Hoegaarden. Sua cor é amarela-palha – bem clarinha em relação as demais – e no sabor, apresenta um toque de especiarias.

Rauchbier – O malte deste tipo de cerveja é seco através da queima de madeira – que produz fumaça. Por isso, o sabor defumado é uma das características desta cerveja de baixa fermentação (lager)

India Pale Ale – A IPA, uma das queridinhas dos ingleses e possui um amargor extra por causa da alta concentração de lúpulo. Antigamente, para a cerveja suportar as viagens entre a Índia e Inglaterra, era acrescentado este ingrediente por causa de sua ação bactericida natural.

Robust Porter – Também possui bastante concentração de lúpulo e possui aroma tostado. É uma cerveja forte, de coloração marrom que pode variar do médio ao escuro.

Bière Brut – Parece champanhe, mas é cerveja. São feitas através do modo champenoise (quando o fermento é removido da garrafa), envelhecidas em cave e seu sabor é delicado.

 

  • Drinques

    Emiliano - Bar

    Rua Oscar Freire, 384, Cerqueira César

    Tel: (11) 3068 4390

    VejaSP
    1 avaliação

    Embora se localize no meio do caminho entre o lobby e o restaurante do Emiliano, o bar do hotel de luxo tem brilho próprio. Do início da manhã até o fim da noite, é possível pintar no lugar e pedir um champanhe do caprichado arsenal. São cerca de oitenta opções, dispostas desde o ano passado em uma adega exclusiva para 340 garrafas. Na ala dos drinques, duas novidades: o bloody mary com infusão de pimenta e o gim-tônica ao aroma de alecrim (R$ 36,00 cada um). A cozinha, assumida em novembro pelo italiano Andrea Montella, também apresenta mudanças. Bolinho clássico, o arancino ganha o formato de um pequeno e crocante cilindro de risoto de açafrão com cobertura de ragu de linguiça (R$ 40,00). Outra estreia, que pesa no bolso mas nunca no paladar, a tábua de queijos nacionais vem junto de mel trufado (R$ 78,00).

    Preços checados em 19 de julho de 2016.

    Saiba mais
  • Chope e cerveja

    Tortula

    Avenida Santo Amaro, 4371, Brooklin Paulista

    Sem avaliação
  • Cervejas especiais

    Melograno

    Rua Aspicuelta, 436, Vila Madalena

    5 avaliações

    A agitadíssima Rua Aspicuelta, apinhada de botecos que não ligam taaanto para a qualidade do chope ou da cerveja, abriga este bar dedicado aos rótulos especiais. Vencedor de três prêmios “Comer & Beber”, o endereço continua firme em sua categoria. A carta de 160 rótulos foi criada pela bier-sommelier Cilene Saorin ao lado do especialista americano Randy Mosher. Vem organizada por estilo. Duas boas pedidas: a escura Traquair Jacobite Ale (R$ 25,00; 355 mililitros), da Escócia. No forno a lenha são preparados bons petiscos, como os crostinis de queijo brie e mel (R$ 21,00). A casa passou a abrir para o almoço durante a semana, quando serve menu executivo (preços entre R$ 28,00 e R$ 45,00).

    Preços checados em 19 de agosto de 2015.

    Saiba mais
  • Chope e cerveja

    Frangó

    Largo da Matriz de Nossa Senhora do Ó, 168, Freguesia Do Ó

    Tel: (11) 3932 4818

    VejaSP
    21 avaliações

    Lá no alto da Freguesia do Ó, este bar de quase trinta anos foi um dos primeiros da cidade a se dedicar às cervejas especiais. Pesada e cheia de páginas, a carta traz 430 rótulos catalogados, como o alcoólico St. Feuillien Grand Cru (R$ 42,00, 330 mililitros), da Bélgica. Gelada da casa, a american pale ale produzida pela Colorado sai a R$ 22,00 (600 mililitros). O menu, célebre pela coxinha (R$ 5,00), ganhou um sopro de renovação com receitas do chef Marcelo Corrêa Bastos (Jiquitaia), entre elas o beirute de cupim (R$ 28,00).

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Chope e cerveja

    Anhanguera

    Rua Aspicuelta, 595, Vila Madalena

    Sem avaliação
  • Chope e cerveja

    Asterix

    Alameda Joaquim Eugênio de Lima, 573, Jardim Paulista

    Tel: (11) 3368 5610

    4 avaliações

    Releve o ambiente sem graça. O que vale é o menu de cervejas, com cerca de 250 rótulos. Entre elas estão a mineira Wäls Petroleum, de estilo russian imperial stout, e as belgas Delirium Tremens e Kwak.

    Saiba mais
  • Bares variados

    Barthô

    Rua Caiubi, 1249, Perdizes

    2 avaliações
  • Bares variados

    Salommão

    Avenida Angélica, 2435, Santa Cecília

    Sem avaliação
  • Cozinha contemporânea

    Carlota

    Rua Sergipe, 753, Higienópolis

    Tel: (11) 3661 8670

    VejaSP
    13 avaliações

    Chega à maioridade um dos pioneiros da culinária contemporânea na cidade. Ao longo de 21 anos, a chef Carla Pernambuco vem mantendo acesa a chama da inquietação em seu charmoso restaurante. Entre as mais recentes receitas criadas por ela, encontra-se o clássico creme brûlé em versão salgada de queijo de cabra e parmesão com brioche (R$ 39,00). O peito de pato ganha molho de laranja kinkan, risoto de rúcula com mostarda de Dijon e queijo da Serra da Canastra (R$ 79,00), enquanto o filé-mignon wellignton vem com espinafre e cogumelos trifollati (R$ 73,00). Especialista na arte do açúcar, a cozinheira ataca com a tarte tatin de figos com panacota de canela e laranja (R$ 28,00).

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Pubs

    Drake´s

    Rua Tucambira, 163, Pinheiros

    Sem avaliação
  • Cozinha variada

    Mulligan

    Rua Bela Cintra, 1579, Consolação

    Sem avaliação

Fonte: VEJA SÃO PAULO