Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Eficácia geral da CoronaVac ficou abaixo dos 60%, diz site

Imunizante ultrapassou a porcentagem mínima recomendada pela Anvisa e OMS e é eficaz

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 11 jan 2021, 17h27 - Publicado em 11 jan 2021, 17h26

A eficácia geral da CoronaVac ficou abaixo dos 60%, mas ainda acima da taxa mínima recomendada pela Anvisa, que é de 50%, para aprovar o imunizante, diz reportagem publicada pelo UOL.

De acordo com o texto, duas pessoas com acesso ao estudo do Butantan afirmaram que o imunizante é eficaz para atingir a imunidade coletiva e está dentro dos padrões da OMS (Organização Mundial da Saúde). O anúncio oficial irá acontecer nesta terça-feira (12). 

O Instituto Butantan e o governo de São Paulo anunciaram na semana passada a taxa de eficácia clínica da vacina, que ficou em 78%. O dado se refere a casos mais leves da doença. Em casos graves, a eficiência foi de 100%.

O índice de eficácia geral é calculado levando-se em consideração o grupo que tomou o imunizante e o grupo que tomou o placebo. Os pesquisadores acompanham quantos participantes, ao todo, desenvolveram a doença, seja de forma leve, moderada ou grave. Se no grupo que tomou a vacina, mais de 50% dos participantes não apresentarem a doença, o imunizante é considerado eficaz.

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade