Clique e assine por apenas 6,90/mês

Onde comer boas versões do bife à milanesa

Com diferentes guarnições, os estabelecimentos prezam pelo filé crocante

Por Redação VEJA São Paulo - 10 Maio 2019, 06h00

Um simples filé à milanesa pode agradar muita gente. Principalmente se o bife estiver fininho, com interior úmido, e crosta sequinha. Selecionamos quatro endereços onde a pedida é certeira.

Chez Oscar. A animação dá o tom da refeição. Garçons com jeitão descolado levam às mesas os preparos da equipe do chef Raphael Cesana. Um simples flé à milanesa (R$ 67,00) agrada por ser fninho, de crosta seca e interior úmido. Vem acompanhado de rúcula e purê de batata com toque de mostarda de Dijon.

Martín Fierro. Na casa de grelhados da restauratrice Ana Maria Massochi, sócia também do La Frontera, em Higienópolis, há cortes como o assado de tira (R$ 84,00) e o bife noix (R$ 103,00), sempre na companhia de salada verde. À moda argentina, a milanesa frita feita com filé-mignon é servida com purê de batata.

Ritz. Depois de cruzar a porta giratória vermelha, o cliente depara com garçons muito jovens, que oferecem alguns dos clássicos do cardápio. O bife à milanesa, bem sequinho, é servido na companhia de batatas fritas crocantes e creme de espinafre enfeitado com gema de ovo ralada. Custa R$ 62,00.

Seen. Lugar para quem gosta de agito, sempre com um DJ, fica na cobertura do Hotel Tivoli Mofarrej e oferece vistas de tirar o fôlego. Na cozinha, o chef William Ribeiro expede pratos como a barriga de leitão à pururuca com maionese de batata-doce, cebola-roxa e cheiro-verde (R$ 72,00) e a boa milanesa de cordeiro com salsa criolla (R$ 79,00).

Continua após a publicidade
Publicidade