Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 29 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Cozinha do Lorençato convida Henrique Fogaça

O titular do restaurante Sal Gastronomia e jurado do 'MasterChef' fala sobre o sucesso e que sentou muitas vezes na graxa, seu bordão no reality culinário

Por Arnaldo Lorençato Atualizado em 20 jan 2022, 14h11 - Publicado em 20 dez 2019, 09h12

Talvez o episódio de número 28 seja o mais divertido do Cozinha do Lorençato, um pocast de gastronomia. O convidado Henrique Fogaça, reconhecido até fora do Brasil por sua participação no reality culinário MasterChef Brasil, responde a todas as perguntas de nossa agradável conversa sem nunca perder o bom humor. E olha que gravamos esse papo num dia que o trânsito amarrou em São Paulo por causa da chuva torrencial e tivemos um probleminha técnico no estúdio.

Fogaça relembra como deu início ao Sal Gastronomia, em Higienópolis, onde tinha apenas a área externa para o atendimento dos clientes, com duas mesas sob um toldo e um mesão coletivo. Ele, que foi um dos precursores das feiras gastronômicas em 2012 ao lançar o evento O Mercado junto com Checho Gonzales e Lira Yuri, hoje, está à frente de cinco estabelecimentos, dois deles no Rio de Janeiro. Agora, faz planos para levar sua marca a Portugal. “Os portugueses assistem a muitas novelas brasileiras e programas de gastronomia”, explica o chef-empresário, que pensava originalmente em ter uma filial do Sal nos Estados Unidos.

Fogaça: a cozinha profissional entrou na vida dele por incentivo da mãe Arnaldo Lorençato/Veja SP

Minha mãe me disse: ‘Você não é feliz no banco. Por que não faz gastronomia?’ Imagina que vou ser cozinheiro, respondi. Mordi a língua

Henrique Fogaça

O mais curioso é pensar que a gastronomia entrou por acaso na vida do cozinheiro. “Foi do dia para a noite. Até aquele momento eu não tinha me encontrado profissionalmente”, diz ele que tinha cursado e não concluído arquitetura e comércio exterior. “Minha mãe me disse: ‘Você não é feliz no banco. Por que não faz gastronomia?’ Imagina que vou ser cozinheiro, respondi. Mordi a língua”, reconhece o cozinheiro.

Continua após a publicidade

É pouco? Fogaça fala ainda sobre a fama conquistada depois do MasterChef Brasil, como lida com os haters das redes digitais e, com muito carinho, da filha, Olívia, portadora de uma síndrome rara. Não dá para perder esse papo pra lá de bom. Dá o play no YouTube, no Spotify, no Deezer ou aqui:

 

 

Continua após a publicidade

  • Leia mais
    Publicidade