Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 29 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Memória: Ático Alves de Souza (1926-2022), o maître mais antigo da cidade

Durante a carreira, o mestre de serviço que morreu aos 95 anos já serviu presidentes e reis

Por Saulo Yassuda, Arnaldo Lorençato Atualizado em 18 jan 2022, 16h04 - Publicado em 18 jan 2022, 14h29

Por Saulo Yassuda

Mestre de serviço por 55 anos, o baiano Ático Alves de Souza morreu na segunda (17). Ele tinha 95 anos e era o maître mais antigo da cidade.

Após uma queda, Ático fraturou o fêmur e passou por uma cirurgia na última sexta (14). Infelizmente, ao voltar para casa, teve uma parada respiratória.

Durante quase 30 anos, trabalhou no Grupo Fasano, a maior parte do tempo no Parigi. Estava afastado do serviço desde 2019.  Costumava servir no almoço, vestido em seu smoking, o bollito misto, o famoso cozido italiano.

Em 2017, o profissional foi homenageado por VEJA SÃO PAULO COMER & BEBER com o título de Personalidade Gastronômica daquele ano.

Continua após a publicidade

Durante a carreira, Ático já serviu reis, como Juan Carlos, da Espanha, e o presidente Getúlio Vargas.

Homem idoso segura placa. À direita dele, homem de grava borboleta. À esquerda dele, mulher e homem.
Ático, na premiação do COMER & BEBER, com a placa Reinaldo Canato/Veja SP

O maître nasceu em Monte Santo, no sertão baiano. Mudou-se para São Paulo em 1949, cidade onde trabalhou como auxiliar de pedreiro e faxineiro, antes de começar a carreira em restaurantes.

Foi mensageiro na antiga Confeitaria e Restaurante Fasano, no centro, e se mudou para o velho Ca’d’Oro, onde virou garçom. Em 1966, tornou-se maître da casa, quando o restaurante se transformou em hotel na Rua Basílio da Gama. Teve longa trajetória ali, antes de se transferir para o Grupo Fasano. No Parigi, trabalhou quase 30 anos.

Confira, abaixo, o texto publicado no guia COMER & BEBER de 2017 sobre Ático Alves de Souza escrito por Arnaldo Lorençato:

Três vezes por semana, ele caminha entre os carros último tipo que costumam congestionar a Rua Amauri e a entrada do Parigi, onde dá expediente no almoço de quartas, sextas e domingos. Isso depois de passar cerca de uma hora e meia em coletivos no trajeto que liga sua casa, em Guarulhos, ao Itaim. Ático Alves de Souza, de 90 anos, é maître desde 1966. “Não conheço ninguém mais antigo do que eu em atividade na mesma função por aqui”, orgu­lha-se. Vindo de Monte Santo, cidade no alto sertão baiano localizada a 365 quilômetros de Salvador, chegou a São Paulo em 1949. Trabalhou como auxiliar de pedreiro e faxineiro de boate antes de entrar no mundo da gastronomia. Por indicação de um conhecido, arrumou emprego na Confeitaria e Restaurante Fasano da Rua Barão de Itapetininga como mensageiro, que equivale a office-boy. Ao migrar três anos depois para o Ca”d”Oro, na mesma via, tornou-se garçom. O título de maître veio quando o restaurante se transformou em hotel na Rua Basílio da Gama, também no centro. Entre seus clientes, estão dois reis. “Servi Juan Carlos, da Espanha, e Carlos XVI Gustavo, da Sué­cia, junto com a rainha Silvia”, recorda. Outro de seus orgulhos é ter levado um prato para Getúlio Vargas, ainda como cumim do Ca”d”Oro, no início dos anos 50. Apesar de mais de cinco décadas de labuta, não planejou quando vai aposentar o impecável smoking. “Penso, sim, em descansar”, jura. “Mas acabo sempre adiando essa decisão.”

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Edições da VejaSP liberadas no App Veja de maneira imediata

a partir de R$ 12,90/mês