Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Prefeitura recebe 186 000 doses da CoronaVac para retomar vacinação

Público com 49 anos deve ser atendido na quarta-feira (23); capital precisou paralisar a campanha nesta terça (22) após falta de imunizantes

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 22 jun 2021, 12h59 - Publicado em 22 jun 2021, 11h45

A prefeitura de São Paulo deve retomar a vacinação de pessoas de 49 anos nesta quarta-feira (23). O governo do estado irá enviar 186 000 doses da vacina CoronaVac, para aplicação em primeira dose, e mais 30 000 doses do imunizante da AstraZeneca, para uso em segunda dose. 

Na capital paulista, a vacinação contra a Covid-19 foi paralisada nesta terça-feira (22) e mais de 300 postos ficaram sem imunizantes para aplicação. A prefeitura acredita que a campanha poderá retornar após um dia, recebendo assim 181 mil pessoas na quarta-feira (23), para aplicação da primeira dose, e usar as sobras para os dias seguintes. 

A secretaria municipal da Saúde precisou usar todo o estoque nesta semana para conseguir atender a alta demanda e adesão para a campanha. A antecipação também pode ter sido um fator que contribuiu para a alta procura pela vacina. Os postos devem continuar trabalhando no limite das doses que recebem. 

Ainda é previsto também a chegada de doses da vacina da Janssen. Cerca de 1,5 milhão de doses serão recebidas pelo Ministério da Saúde, mas ainda não se sabe o quanto será repassado para a capital e seus postos de saúde. 

Gestão Doria antecipa em 30 dias calendário de vacinação de SP
Gestão Doria antecipou em 30 dias calendário de vacinação de SP Governo do Estado de São Paulo/Reprodução

O calendário de vacinação sofreu alterações devido a paralisação nesta terça-feira (22). Na cidade de São Paulo, pessoas com 49 anos devem continuar sendo vacinadas contra a Covid-19 na quarta-feira. As com 48 anos mudam para o dia seguinte e sexta será a campanha para pessoas com idade entre 45 e 47 anos. No sábado acontece a repescagem para quem tem entre 45 e 49 anos de idade e não conseguiu se vacinar anteriormente.

Continua após a publicidade

LEIA TAMBÉM: CoronaVac é vacina que mais previne mortes, diz levantamento

Calendário realista

O secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, disse nesta terça-feira que é importante ter um calendário de vacinação contra a Covid-19 realista. “[É importante] que a gente tenha sempre um calendário que seja muito realista, que esteja adequado com a disponibilidade de vacina e com essa boa vontade da população que quer ser vacinada”, disse Aparecido a Globonews.

“Com o alargamento da chamada pirâmide, ou seja, a gente passa a descer nas faixas etárias onde tem o maior contingente de pessoas, é fundamental que nesse momento o abastecimento seja mais regular e, no caso da cidade de são Paulo, seja cada vez maior”, disse Aparecido.

A gestão João Doria diz que o estado foi avisado tardiamente sobre a decisão da cidade de suspender a vacinação por falta de imunizante. Jean Gorinchteyn disse que o governo estadual só foi avisado sobre a suspensão às 18h.

“Todo o operacional de cada município é de responsabilidade de suas Secretarias Municipais da Saúde. Ontem, fomos avisados por volta das 18 horas que haveria essa paralisação. Já estava no nosso radar, no nosso calendário, fazer a distribuição hoje. É óbvio que se nós tivéssemos essa informação antecipada, teria sido possível nós remanejarmos essa distribuição de forma e caráter especial para o município ainda ontem”, disse o secretário em entrevista ao Bom Dia SP, da Rede Globo.

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade