Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Quatro endereços para provar boas terrines

A terrine é um prato francês que pode combinar diferentes tipos de carne, ave ou pescado

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 11 jan 2018, 11h27 - Publicado em 8 jan 2018, 16h27

A terrine é um prato francês, em geral confundido com o patê. Mas não é. Ela pode combinar diferentes tipos de carne, ave ou pescado e vai ao forno, muitas vezes envolta em uma massa. Confira quatro lugares onde é possível provar a receita.

Chef Rouge. Neste endereço de cozinha clássica, é servida uma ótima e untuosa versão de foie gras com geleia de abacaxi (R$ 105,00, para dois). Reabre no jantar de sexta (5).

Rendez-Vous. Com jeito de brasserie, o restaurante fica em uma atraente esquina em Pinheiros. As mesinhas da calçada vivem ocupadas por uma turma jovem a fim de bebericar vinho na companhia da boa terrine de campanha (embutidos de porco). A pedida, que vem com conserva de pepino e cebola, sai por R$ 21,00.

Esther Rooftop. Com vista para a Praça da República, a casa pertence ao chef francês Olivier Anquier. Lá é servida uma saborosa terrine de carne suína (R$ 48,00), que lembra aquelas que se provam na França. A sugestão é oferecida junto de pão de fermentação natural, picles de pepino e compota de damasco.

TonTon. Uma pequena varanda com mesas antecede o aconchegante sobradinho. Quem dá as ordens é o chef Gustavo Rozzino, que tem mão boa para frutos do mar. Mas não só. A terrine feita de porco é uma ótima entrada ao lado da salada (R$ 34,00). Como prato principal, vá de espaguete com lula e lagostim (R$ 69,00) com molho de vinho branco.

Continua após a publicidade

Publicidade