Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Empresa é acusada de dar golpe em festas de casamentos no litoral

O preço dos pacotes variavam de R$ 11 mil a R$ 22 mil, firmados por meio de contratos

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 20 out 2020, 12h38 - Publicado em 20 out 2020, 12h34

Cerca de 25 casais descobriram que não poderão realizar seus casamentos pois a empresa contratada em Santos, no litoral paulista, abriu falência. Eles afirmam que caíram em um golpe, mas a proprietária diz que entrará em contato com todos os clientes para resolver os problemas.

De acordo com as vítimas, a empresa Lírio Eventos oferecia o serviço de buffet, aluguel do espaço, decoração da festa e DJ. O preço dos pacotes variavam de R$ 11 mil a R$ 22 mil, firmados por meio de contratos. 

Em entrevista ao G1, a recepcionista Rebecca da Silva Medeiros, de 22 anos, contou que pagou 50% do valor em oito cheques. Ela e o noivo combinaram o valor de R$ 21.600 com a empresa.

Desde a contatação da empresa, Rebecca contou que a proprietária nunca levou o casal para conhecer o espaço alugado. “Marcava comigo e no mesmo dia cancelava”, afirma. Ao falar com outro fornecedor, a recepcionista soube que o imóvel estava disponível para visita. Segundo ela, o tom da conversa começou a mudar a partir desse dia.

“Mandou muitos áudios, sendo grossa e falando para procurar outro fornecedor, porque ela não ia fazer o meu casamento. Perguntei como ia ficar a questão da devolução dos valores, porque foi ela quem rompeu o contrato. Então, ela me disse que, por causa da pandemia, tanto fazia quem havia cancelado, e que não sabia quando me pagaria, mas que ia se esforçar”, conta.

Continua após a publicidade

De acordo com Rebecca, a proprietária informou que teria até um ano após a pandemia para fazer a devolução do pagamento. “Descobrimos o contato de outras noivas, que no passado já foram vítimas dela. Descobrimos pelos fornecedores da Baixada Santista que eles já haviam sido orientados que ela vinha praticando golpes. Foi golpe. Durante a pandemia ela fez contratos com outros noivos. Já quebra o argumento que ela não estava firmando novos contratos e que quebrou na pandemia”, explicou. 

A recepcionista descobriu um grupo com aproximadamente 50 pessoas que passaram por situações parecidas, sendo que pelo menos dez registraram queixa de estelionato. 

O que diz a empresa

Em nota, a Lírio Evento diz não ter deixado de cumprir nenhuma festa em 20 anos de atuação e que encerrou as atividades devido à pandemia. Ela relata que está enviando um comunicado extrajudicial para os clientes com festas programadas nos próximos meses. 

A empresa também alega que, no início de 2021, irá buscar recursos para viabilizar os acordos. A Lírio também diz que a proprietária não praticou nenhum golpe contra os clientes.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

  • Continua após a publicidade
    Publicidade