Continua após publicidade

Associação de apps condena roubos cometidos por motoqueiros disfarçados

Entidade afirmou que vai cooperar com as autoridades do estado para 'buscar soluções desse grave problema de segurança pública'

Por Redação VEJA São Paulo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 27 Maio 2024, 22h04 - Publicado em 27 abr 2022, 20h22

A Associação Brasileira Online to Offline (ABO2O), que representa mais de 150 aplicativos que conectam consumidores, produtos e profissionais independentes no Brasil, condenou nesta quarta-feira (27) a onda de assaltos que vêm ocorrendo em São Paulo, promovida por motoqueiros disfarçados de entregadores. As informações são do G1.

Por meio de nota, a entidade afirmou que está à disposição da Secretaria de Segurança Pública (SSP) e do governo de São Paulo para “buscar soluções desse grave problema de segurança pública” e que as empresas que formam a entidade fazem a parte deles ao selecionar todos os entregadores que prestam serviço.

LEIA MAIS | Falso entregador mata jovem após vítima se ajoelhar e afirmar não ter nada

“O ecossistema digital é seguro. Todos os entregadores independentes que atuam nas plataformas digitais passam por sólidos controles de cadastramento. Nesse processo, são solicitadas diversas informações como fotos, documentos pessoais, reconhecimento facial e outros dados comprobatórios, além da checagem de antecedentes e confirmação de informações em bases de dados públicos”, disse a entidade.

“A ABO2O condena os criminosos que se passam por entregadores. Em regra, todos os entregadores do ecossistema agem de forma correta e ética, como estabelecem os termos e condições de uso de todas as plataformas associadas. Com relação às bags falsas, é importante frisar que os entregadores são profissionais independentes e não têm a obrigatoriedade de usar bag específica de qualquer empresa para efetuar o seu trabalho. Esses materiais podem ser adquiridos ou até falsificados pelos criminosos”, afirmou a nota.

Continua após a publicidade

O aumento dos crimes cometidos por motoqueiros disfarçados têm preocupado o governo de São Paulo, que nesta semana fez uma mudança na cúpula das polícias Civil e Militar.

+ Pavilhão Pacaembu será inaugurado com show de Gal Costa

O principal objetivo da troca nos comandos da Polícia, segundo o governador Rodrigo Garcia (PSDB), é frear o crescimento da violência no Estado de São Paulo.

Em março, o número de roubos, furtos e homicídios cresceu no estado em comparação com o mesmo período de 2021, segundo os dados mensais da própria Secretaria da Segurança Pública (SSP). Os furtos em geral tiveram aumento de 52%, de 33.237 para 50.467, e roubos em geral subiram 22%: de 16.951 para 20.719.

Continua após a publicidade

+Assine a Vejinha a partir de 12,90.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.