Clique e assine por apenas 6,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 28 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Leo Botto, ex-titular do La Frontera e do Chez Oscar, abre restaurante

Discípulo de Paola Carosella, o cozinheiro montou o próprio negócio em um casarão que foi ateliê do escultor italiano Eugenio Prati

Por Arnaldo Lorençato - Atualizado em 6 Sep 2019, 15h29 - Publicado em 30 Aug 2019, 19h39

Bem no finalzinho da Rua Cônego Eugênio Leite e colado ao Cemitério São Paulo fica o restaurante que o chef Leo Botto, discípulo de Paola Carosella e ex-titular de casas como La Frontera e o Chez Oscar, acaba de inaugurar. O Boto, assim com um “t” em homenagem ao “golfinho” amazônico, é o primeiro empreendimento-solo do cozinheiro e ocupa o casarão que por décadas abrigou o atelier do escultor italiano Eugenio Prati. Mais recentemente, foi sede do extinto vegetariano Goa, que funcionou durante 14 anos e fechou em setembro de 2018.

Para colocar de pé esse projeto em funcionamento desde 13 de agosto, Botto e outro cinco sócios calculam ter investido 650.000 reais, parte deles na reforma do imóvel que se iniciou em dezembro e durou oito meses. Com janelões de vidro, cozinha e bar se conectam ao salão. Completa o cenário um jardim de inverno.

Espaço reformado: bar aberto para rua Divulgação/Divulgação

O cozinheiro propõe um cardápio mutante que privilegia matérias-primas de pequenos produtores. “Só uso produtos frescos. Vou trabalhar com defumações e curas”, diz. Com esses ingredientes e técnicas, Botto montou um menu que começa por uma seleção de mezzés e tapas, que podem ser pedidos no bar, que é aberto tanto para a área de espera no salão quanto para a rua. Há também pratos grandes, feitos para partilhar.

“Assim que passar a etapa do soft opening em cerca de um mês, pretendo lançar uma degustação”, adianta. Ao preço de 180 reais, deve ter sete ou oito etapas e ser trocado três vezes por ano e não por estação. No futuro, o chef pretende lançar uma versão ainda maior, de onze etapas.

Continua após a publicidade
Para finalizar: torta de batata-doce roxa acompanhada de creme de nata Bruno Sotto/Divulgação

Há ainda um bar que deve ser montado onde era o antigo porão. “Mas esse demora pelo menos cinco meses para começar a funcionar”, prevê.

Estabelecimento não avaliado. A conferir.

Boto
Rua Cônego Eugênio Leite, 1152, Pinheiros, tel. 3031-0680.
Terça a sábado, das 20h à 0h.

Confira o cardápio:

Divulgação/Divulgação

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Valeu pela visita! Para me seguir nas redes sociais, é só clicar em:
Facebook: Arnaldo Lorençato
Instagram: @alorencato
Twitter: @alorencato

Para enviar um email, escreva para arnaldo.lorencato@abril.com.br

Caderno de receitas:
+ Fettuccine alfredo como se faz em Roma
+ O tiramisu original
+ O melhor petit gâteau do Brasil

E para não perder as notícias mais quentes que rolam sobre São Paulo, assine a newsletter da Vejinha

Publicidade