Clique e assine por apenas 6,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 28 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Guia Michelin terá edição São Paulo e Rio em 2015

Presente no Brasil desde 1927 com uma revenda de sua famosa fábrica de pneus, a empresa  francesa Michelin também terá sua versão editora no país. A previsão é lançar em março de 2015 a primeira edição do Guia Michelin, o antigo Guide Rouge (guia vermelho), dedicado à avaliação de restaurantes e hotéis de São Paulo e […]

Por Arnaldo Lorençato - Atualizado em 26 Feb 2017, 21h52 - Publicado em 28 May 2014, 20h06
Fac-símile da edição original de 1900: tradição centenária

Fac-símile da edição original de 1900: tradição centenária

Presente no Brasil desde 1927 com uma revenda de sua famosa fábrica de pneus, a empresa  francesa Michelin também terá sua versão editora no país.

A previsão é lançar em março de 2015 a primeira edição do Guia Michelin, o antigo Guide Rouge (guia vermelho), dedicado à avaliação de restaurantes e hotéis de São Paulo e Rio de Janeiro. É a primeira vez que uma publicação da editora é lançada na América Latina.

Para escolher os melhores da gastronomia das duas capitais e premiá-los com suas estrelas — variam de uma a três –,  a editora colocou uma equipe de inspetores em visitas anônimas aos estabelecimentos. Trazidos de fora do Brasil, esses profissionais, espanhóis e franceses, já estão em campo desde o início de 2014. “Nossa intenção é trabalhar com profissionais brasileiros nas próximas edições”, adianta Carlos Eduardo Pinho, diretor de comunicação e marcas.

Continua após a publicidade

Ainda não está definido se haverá a escolha de bib gourmands, endereços considerados bons e baratos, outra marca do Michelin. Não importa a categoria, os escolhidos serão reunidos em um exemplar ilustrado com fotos, como o Michelin vem fazendo em metrópoles como Tóquio. A diferença no caso nacional é que o guia será bilíngue, em português e inglês. Haverá também a versão digital para consulta na internet.

No evento de apresentação realizado ontem pela manhã na Sala São Paulo, Pinho adiantou que devem ser visitados 600 restaurantes entre as duas capitais pelo mesmo grupo de inspetores. O americano Michael Ellis, diretor internacional dos guias, conta que São Paulo terá o maior número de estabelecimentos reunidos na publicação. “Estou impressionado com o o trabalho dos chefs. A gastronomia brasileira vive seu melhor momento”, disse na rápida conversa que tivemos pouco antes do anúncio.

Coincidência ou não, o Michelin chega um pouco depois do reconhecimento internacional de chefs como Alex Atala, do D.O.M., sétimo no ranking da eleição The World’s 50 Best, promovida anualmente pela revista inglesa Restaurant. Aliás, visibilidade gastronômica brasileira que aumentou muito neste ano com a escolha de Helena Rizzo, do Maní, como a melhor cozinheira do planeta. A cozinheira recebeu o Prêmio Veuve Clicquot de Melhor Chef Mulher do Mundo 2014 na cerimônia realizada no fim de abril em Londres.

Entre os planos da empresa para o futuro, está a reedição do Guia Verde Brasil em francês, dedicado aos pontos turísticos. Trata-se de um dos destinos que mais desperta o interesse de estrangeiros.

Publicidade