Especial

Pesquisa: melhores e piores

Chefs paulistanos apontam os restaurantes e cozinheiros com mais destaque na cidade

Por: Arnaldo Lorençato - Atualizado em

Paris 6 capa 2213
Paris 6: o pior restaurante segundo os chefs (Foto: Divulgação)

Afinal, como os chefs olham para a sua concorrência? Uma das melhores maneiras de chegar a essa resposta é perguntar diretamente a eles o nome do melhor profissional de sua categoria e o do melhor restaurante. Em ambos os casos, a resposta foi Alex Atala e o D.O.M., premiado e caríssimo endereço de cozinha contemporânea no Jardim Paulista.

+ Veja pesquisa completa

+ Pesquisa: meu menu e a panela do vizinho

+ Dê sua opinião sobre a pesquisa

Atala recebeu 25% dos votos na pesquisa, um resultado muito expressivo, se comparado ao do segundo colocado, Salvatore Loi, do Fasano, no Jardim Paulista (6%), e ao de Erick Jacquin (5%), que ficou em terceiro, dono do La Brasserie Erick Jacquin, em Higienópolis. Trata-se de dois grandes nomes da alta gastronomia, assim como Atala.

Antenado com as tendências da moderna cozinha espanhola e com uma rede de amigos-cozinheiros mundo afora, o mestre do D.O.M. é o único chef brasileiro a brilhar além das fronteiras nacionais. Seu restaurante figura entre os melhores do mundo na eleição da revista inglesa “Restaurant”, o que lhe traz uma reputação inédita.

Alex Atala Capa 2213
Alex Atala: o melhor chef e o melhor restaurante (Foto: Ligia Skowronski)

Tantos holofotes, aparentemente, provocaram um efeito colateral. Na mesma pesquisa em que aparece como o mais admirado pela categoria, Atala também surge com destaque quando os colegas elegem o chef badalado que lhes desagrada pela inconsistência no trabalho. Ele é nada menos que o segundo da lista. Nos comentários dos votos negativos, aparecem queixas como “é marqueteiro; só pensa em ganhar dinheiro” e “é exagero o que a mídia fala sobre ele”.

+ Pesquisa: nem sempre ele tem razão

+ Pesquisa: lista de compras

O título de chef mais inconsistente coube a Sergio Arno, do La Vecchia Cucina, no Itaim. De acordo com os votantes, o profissional não corresponde à fama que conquistou no passado. Uma das críticas que podem ajudar a entender o resultado: “Arno não tem controle sobre o que serve em seus restaurantes”. Talvez tenha pesado sobre ele o fato de ser dono da rede de franquias La Pasta Gialla, com sete endereços na cidade.

O título de pior restaurante, segundo os chefs, ficou com o francês Paris 6, no Jardim Paulista. Na saraivada de petardos recebidos pelo bistrô, estão comentários mais leves como “parece o Epcot Center, da Walt Disney”. E há quem não hesite em considerar “a comida ruim e o serviço pior ainda” ou apontar “a falta de cuidado com tudo no restaurante”.

O MELHOR CHEF

1º — Alex Atala (D.O.M. e Dalva e Dito)

2º — Salvatore Loi (Fasano)

3º — Erick Jacquin (La Brasserie Erick Jacquin)

"Alex Atala destaca-se pelo conhecimento de ingredientes, pela capacidade de marketing e por satisfazer os clientes"

O MELHOR RESTAURANTE

1º — D.O.M.

2º — Fasano

3º — Maní

"O D.O.M. é o restaurante mais vanguardista e influente, dentro e fora do Brasil, e está nas mãos do badalado Alex Atala. Além, é claro, de ter uma comida deliciosa"

O CHEF BADALADO QUE LHE DESAGRADA PELA INCONSISTÊNCIA NO TRABALHO

1º — Sergio Arno

2º — Alex Atala

3º — Alessandro Segato e Bel Coelho

Sergio Arno Capa 2213
'Hoje, Sergio Arno não tem um restaurante à altura de sua fama' (Foto: José Amaral)

"Alex Atala é mitomaníaco, egocêntrico e antipático"

O PIOR RESTAURANTE

1º — Paris 6

2º — O Pote do Rei

3º — Serafina

"O Paris 6 é o pior porque a comida é ruim e porque tem um prato chamado crevettes à bruno gagliasso"

Fonte: VEJA SÃO PAULO