Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Índia anuncia exportação de vacina para seis países, mas não cita o Brasil

Exportação começa já nesta quarta (20) para o Butão; Eduardo Pazuello disse que o fuso horário indiano atrapalha as tratativas

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 19 jan 2021, 16h36 - Publicado em 19 jan 2021, 16h35

A Índia anunciou nesta terça-feira (19) que vai começar a exportar doses de vacina contra a Covid-19 já nesta quarta. O Brasil, no entanto, não está na lista. Os seis países selecionados são: Butão, Ilhas Maldivas, Bangladesh, Nepal, Mianmar e Ilhas Seychelles.

Na nota, a Índia não especifica qual vacina irá exportar, mas, de acordo com a agência de noticias Reuters, as doses são fabricadas pelo Serum Institute of India (SII), que manufatura os imunizantes de Oxford/AstraZeneca.

O governo de Jair Bolsonaro já tentou enviar um avião para buscar 2 milhões de doses no país asiático, mas teve os planos frustrados. Segundo autoridades indianas, era preciso iniciar a própria campanha de vacinação antes de iniciar a exportação.

Na segunda (18), o ministro da Saúde Eduardo Pazuello disse que o fuso horário indiano atrapalha as tratativas. “Todos os dias nós temos tido reuniões diplomáticas com a Índia. O fuso horário é muito complicado. Não há uma resposta positiva de saída até agora. Está sinalizado para os próximos dias desta semana o embarque da carga para cá”, disse o ministro.

Em nota, a Índia ainda cita três outros países para enviar a vacina, mas ainda aguarda documentos. São eles Sri Lanka, Afeganistão e Ilhas Maurício.

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade