Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Coronavírus: Doria anuncia reabertura gradual a partir de 11 de maio

Governo afirma que irá definir medidas de contenção de acordo com a necessidade de cada região do estado

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 22 abr 2020, 15h29 - Publicado em 22 abr 2020, 15h16

O governo de São Paulo anunciou uma estratégia para a reabertura gradual das atividades econômicas no estado após a quarentena imposta com a pandemia da Covid-19. João Doria (PSDB) deu detalhes sobre as medidas, que serão adotadas a partir de 11 de maio em etapas, com normas específicas para cada região do estado de acordo com a avanço da doença.

“Vamos levar em conta situações locais, regionais e setores que possam retornar a economia com as devidas medidas de proteção”, afirmou o tucano, durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira (22). Os detalhes sobre os tipos de estabelecimentos que poderão funcionar serão divulgados somente em 8 de maio.

Assine a Vejinha a partir de 6,90 mensais.

 

“Não estamos anunciando que no dia 11 não teremos nenhuma quarentena. Teremos o Plano São Paulo, amparado na ciência, questões regionais e dados analíticos e também na economia”, afirmou Doria, anunciando o nome dado para a iniciativa. De acordo com o governo, cada cidade terá classificações de acordo com a situação em relação a pandemia, em níveis de risco: zona vermelha, amarela e verde, variando conforme a gravidade.

A gestão afirmou também que os leitos disponíveis em cada região serão monitorados diariamente, para a definição das medidas restritivas de circulação de pessoas que serão adotadas. “Hoje nós temos todas as regiões entre a vermelha e a amarela. Para estar na verde precisamos alcançar número baixo de casos, ocupação de leitos…”, afirmou Patrícia Ellen, secretária do Desenvolvimento Econômico.

“A regionalização é extremamente importante porque o país já é heterogêneo, o estado também, a gente precisa ter essa regionalização devido aos fatores críticos em cada uma delas”, afirmou José Henrique Germann, o secretário estadual da Saúde.

Continua após a publicidade

Publicidade