Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

COMER & BEBER 2016/2017: rodízios de carne

Confira a seleção dos melhores endereços dessa categoria

Por Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda Atualizado em 27 dez 2016, 15h09 - Publicado em 21 out 2016, 23h00

A edição especial VEJA COMER & BEBER São Paulo reúne 400 restaurantes. Abaixo, a seleção de rodízios.

+ Confira o melhor restaurante na categoria Carnes

Barbacoa: a decoração é de um lugar clássico no estilo inglês. Colaboram para essa atmosfera detalhes em madeira escura que revestem paredes e colunas. O serviço, porém, deixa claro que se trata de um rodízio. Basta sentar-se à mesa para que cheguem sem parar petiscos e guarnições seguidos de boas carnes grelhadas: bife ancho, costeleta de cordeiro, fraldinha… Preferência nacional, a picanha nem sempre está de entusiasmar. Custa R$ 119,00. Quem opta só pelo bufê de antepastos e saladas paga R$ 62,30.

Boizão Grill: em plena Marginal Tietê, a casa se mostra um dos rodízios de sucesso naquele pedaço. O preço é dos mais altos do gênero, R$ 119,90 por pessoa, mas vira e mexe promoções derrubam esse valor. A refeição pode ter alguns dissabores, como os risotos enjoativos ou a desfalcada seleção de aperitivos, que pode ser servida em algumas mesas sem itens como o camarão empanado. Foque o que há de melhor, as carnes, quase sempre úmidas, como a picanha, a fraldinha e o carré de cordeiro.

Fogo de Chão: a casa segue a clássica cartilha do rodízio (R$ 125,00): as carnes rodopiam pelo salão, trazidas por garçons de bombacha como manda a tradição gaúcha. Os cortes incluem a fraldinha, o bife ancho e a picanha, eterna preferência nacional. Completam a refeição itens levados à mesa, como os palitos de polenta e os pães de queijo, além do bem-composto bufê de saladas e antepastos. Se sobrar espaço no final, peça a sobremesa preparada em homenagem ao Porto (R$ 28,00), uma musse de chocolate recheada de geleia de vinho da cidade portuguesa.

NB Steak: você é fã dos tradicionais rodízios de carne? Aqui, esqueça ovelho modelo em que espetos rodopiam pelo salão sem parar. Nas três unidades desta rede, criada pelo empresário gaúcho Arri Coser, somente a picanha e a fraldinha circulam nesse antigo sistema. Os outros dez cortes são servidos em pratos de louça por atenciosos garçons, que os entregam no ponto desejado. Come-se à vontade. As ofertas variam do nb steak extraído do dianteiro bovino a peças em estilo argentino, como o chorizo e o ancho. Não faltam macias costelinhas de porco descolando do osso e ótimas costeletas de cordeiro. Complementam a refeição carnívora saladas e guarnições que vão à mesa empratadas. Só as sobremesas não fazem parte do preço de R$ 133,00.

Vento Haragano: com jeitão de sede de fazenda do interiordo Rio Grande do Sul, a Vento Haragano não poderia ter ambiente mais típico para o rodízio (R$ 125,00). No salão com vigas aparentes de madeira, basta dar o sinal verde para que a brigada hospitaleira inicie o serviço. Num piscar de olhos, a mesa fica repleta de petiscos e guarnições, como bolinho de mandioca e banana frita. Há ainda o bufê com tenros palmitos, presunto cru nacional, entre outros itens. Em vez de dispersar o apetite em meio a essas opções, é melhor se concentrar nas boas carnes, como o carré de cordeiro, a fraldinha, a costela premium e a picanha.

Continua após a publicidade
Publicidade