Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

COMER & BEBER 2016/2017: chineses

Confira a seleção dos melhores endereços dessa categoria

Por Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda Atualizado em 27 dez 2016, 15h06 - Publicado em 21 out 2016, 23h00

A edição especial VEJA COMER & BEBER São Paulo reúne 400 restaurantes. Abaixo, a seleção de chineses.

China Lake: entre os chineses da cidade, este é o que tem o maior salão. Durante a semana, no almoço, um bufê de saladas é montado no piso superior para acompanhar as pedidas do cardápio executivo. São opções fartas e de bom custo/benefício a carne com broto de feijão e o lombo agridoce (R$ 33,90 cada prato). Também estão inclusos nesses valores um rolinho primavera (numa fritura mais oleosa e saborosa, como de costume nos endereços da categoria), uma porção de arroz chop suey e a banana caramelada, de sobremesa.

Golden Plaza: é fácil identificar o imóvel graças à chamativa decoração oriental, com direito a um laguinho rodeado de plantas — já foi mais bem cuidado. Em porções para dois, os pratos aparecem na forma do vegetariano tofu com brócolis, broto de bambu, cogumelos e pimentão (R$ 32,80) e do lombo empanado ao molho doce e azedo (R$ 48,80), que vez ou outra “pega” na garganta pelo excesso de acidez. Nada que uma porção de arroz chop suey (R$ 19,90) não ajude a amenizar. De quebra, dá para relaxar no andar de cima, com pufes e sofás dispostos de segunda a sexta para a siesta.

Rong He: expansão é a palavra de ordem — mesmo que nenhuma das três lojas tenha semelhança no visual. A mais recente, em Moema, por exemplo, está atrás de uma fachada azul espelhada de escritório. O menu e os preços são os mesmos. Sempre de massa fininha e tostada na matriz (na Liberdade), a porção de guioza de vegetais (R$ 28,00) não se sai tão bem nesta filial. Vale mais a pescada ao molho agridoce (R$ 38,00) para acompanhar a porção de brócolis ao alho (com muitos talos e folhas; R$ 26,00) e o yakissoba misto (R$ 37,00). Fartos, os pratos servem duas ou mais pessoas.

Taizan: no começo do ano, fechou alguns dias para uma reforma que em nada alterou o salão com a parede de fundo de vidro, com vista para uma fileira de bambus. Para variar nos peixes, o cardápio sugere um linguado ao molho apimentado (R$ 108,00), mas os garçons prontamente aconselham a trocar esse molho pelo de legumes (R$ 120,00). A mudança compensa. Farto, o prato precisa apenas de uma porção de arroz branco bem grudadinho, servido numa panela à parte (R$ 18,00), para satisfazer duas pessoas. De entrada, há rolinho primavera de massa mais pesadona (R$ 7,00) ou guioza (R$ 16,50, com seis unidades).

Ton Hoi: como muitos dos endereços da categoria, está sempre cheio. Ao contrário da concorrência, porém, o atrativo aqui não é o preço camarada. Um pouco mais caras, as porções seduzem mesmo pela dose certa de tempero, sem excesso de gordura. Além do rolinho primavera de carne de porco magra e repolho (R$ 7,40), há a opção de uma entrada no vapor, o palza vegetariano (R$ 10,00), pãozinho recheado de acelga, tofu, shiitake e orelha‑de‑pau. As calorias economizadas são bem investidas no robalo inteiro frito ao molho de gengibre, alho, cebolinha e um pouco (bem pouco) de coentro. O preço é por quilo (R$ 101,00), e uma unidade média satisfaz até três pessoas.

Continua após a publicidade
Publicidade