Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Mãe de Faustão, Cordélia Silva morre aos 95 anos

Em novembro, o apresentador fez uma homenagem a ela no Domingão

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 24 jun 2021, 16h12 - Publicado em 24 jun 2021, 10h44

A mãe de Faustão, Cordélia Moraes Correia Silva, morreu na madrugada desta quinta-feira (24) aos 95 anos. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do apresentador. A causa da morte não foi divulgada.

Fausto chegou a homenagear a mãe em edição de novembro do Domingão. Na ocasião, ele, que é discreto sobre a vida pessoal, falou sobre a história dela e comemorou a vitória contra a Covid-19.

LEIA TAMBÉM:  O que levou Faustão e Globo a romperem de forma tão repentina?

“Eu raramente falo da minha vida pessoal nesse programa, não comemoro aniversário, um jeito meu. Mas hoje é um dia especial, então vou pedir licença aos meus colegas e amigos aqui, e vou explicar para vocês o porquê. Imagina uma menina nascida em uma família abastada, nos anos 20 e 30, e que repente aos 12 anos de idade, com o pai engenheiro e fazendeiro em ótima situação econômica, ele morre aos 40 anos” disse.

“Essa menina, com mais três irmãs, fica órfã de pai. Ainda assim, ela, a mãe e as três irmãs foram à luta com todas as dificuldades. (…) Conseguiu ao longo da vida falar 4,5 idiomas e levou a questão da educação, de ser professora, como uma missão de vida. Mais do que isso, casou com um economista, teve 6 filhos e durante a vida, mostrou o que é ser mãe em todos os sentidos”, continuou.

+ Após saída de Faustão, Globo muda nome do ‘Domingão’

“Hoje esta mulher está completando 95 anos de idade. Estou falando da minha mãe, a professora Cordélia Moraes Correia Silva, que voltou a pintar há 8 anos e mostrou que a vida é isso. Você toma as rasteiras, mas encara os altos e baixos, sempre com muita fé, com aguerrimento, serenidade, lucidez, e mais ainda: esta mulher aos 95 anos, que está comemorando hoje, foi testada positiva para o coronavírus e superou o Covid. Vê se não é poderosa e abençoada a dona Cordélia. A homenagem tinha que ser feita”.

  •  

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade