Clique e assine por apenas 6,90/mês

Câmara de São Paulo aprova fim do salário-esposa para servidores públicos

Benefício custa cerca de 500 000 reais ao ano aos cofres públicos

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 13 ago 2020, 12h11 - Publicado em 13 ago 2020, 12h05

A Câmara de São Paulo aprovou o projeto de lei 563/2018 que acaba com o salário-esposa, benefício pago a servidores homens que são casados ou vivem com mulheres que não trabalham. A decisão é de quarta-feira (12) e o projeto agora vai para a sanção do prefeito Bruno Covas (PSDB).

O benefício existe desde 1979 e está previsto no estatuto do servidor público municipal. O PL foi apresentado pela vereadora Soninha Francine (Cidadania). Embora o valor para cada funcionário seja baixo (3,39 reais ao mês), ele acaba gerando gastos anuais de R$ 500 000 aos cofres públicos. 

Publicidade