Cartas da edição 2567

A opinião do leitor

Menor preço 

Vocês podiam fazer essa pesquisa mensal ou trimestralmente (“A rota das ofertas”, 31 de janeiro). Isso incentivaria os supermercados a melhorar os preços para aparecerem na lista. Eduardo Bravo, via Facebook

Não vale a pena ter preço baixo e falhar no atendimento. Satisfação não é só preço. Silvana Fróis, via Facebook

O Zaffari não é nem o mais caro nem o mais barato. Está na média. Mas, pelo ambiente e pelo fato de raramente estar lotado, creio que ainda vale a pena fazer compras nele. Kalil Imeme, via Facebook

Saúde

Estou fora! Não vou a Mairiporã nem que me paguem um resort seis-estrelas (“No centro da crise”, 31 de janeiro). A febre amarela mata rapidinho. Francisco Alvarez, via Facebook

Terraço Paulistano

Ellen Rocche merece tudo de ótimo que está acontecendo na vida dela (“Enfermeira de sucesso”, 31 de janeiro). Adoro vê-la atuar. E, em comédia, está arrasando! Soninha Marçal, via Facebook

O brasileiro ainda não entendeu que país sem lei é o nosso (“A foto que rendeu prisão”, 31 de janeiro). Os outros cuidam de seus cidadãos, e suas leis são rígidas. Maurizio Mazzari, via Facebook

Ivan Angelo

Apaixonada pelo gênero, ouso dizer que a crônica da semana passada foi a melhor de todos os tempos (“Um amor assim”, 31 de janeiro). Uma epifania! Adriana Ustulim

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Carlos Andrés J. Ganzelevitch Vargas

    Ugues Bar e Lanches completa 50 anos. Banal? Talvez, afinal há outras casas com essa idade ou mais na cidade de São Paulo. Porém, o Ugues tem alguns diferenciais que merecem destaque:
    1) Desde a fundação, pelo finado Hugo em 1968 produz coxinhas, quibes e bolinhos de bacalhau com um nível de qualidade pouco frequente e fritos na hora do pedido.
    2) O beirute Ugues é um dos melhores da cidade e mata uma fome pantagruélica ou, de duas pessoas menos vorazes.
    3) Os pratos comerciais do almoço são de um frescor de ingredientes a prova dos mais exigentes. Nada é reaproveitado para o dia seguinte.
    4) A feijoada é famosa na região e não é por acaso. Mas nem vale a pena elogiar. Vá lá, prove e conclua.
    O melhor, entretanto, é que a equipe de atendimento é tão acolhedora que, com facilidade, você acaba fazendo dessa casa uma extensão da sua. Parabéns aos 50 anos do Ugues. Merecida fama.