Dono da barbearia Corleone foi preso em Paris por pilotar drone

O empresário Bruno van Enck foi levado de camburão até uma delegacia

Dono da barbearia Corleone, o empresário Bruno van Enck (à esq.) foi à Europa há dez dias para uma viagem a trabalho e contratou o fotógrafo Lucas Pinhel a fim de fazer alguns registros. Tudo perfeito — até decidirem pilotar um drone na Avenida Champs-Élysées, em Paris. “Quatro carros da polícia nos fecharam com sirenes ligadas”, lembra Van Enck. “Fomos muito ingênuos, isso não dá para negar.”

A dupla foi levada de camburão a uma delegacia, onde deu explicações sobre o uso do aparelho, proibido em certas regiões da França devido ao risco de ataque terrorista. Van Enck foi solto uma hora depois; já Pinhel dormiu em uma penitenciária dentro do Palácio da Justiça, ao lado de um paquistanês e de um russo. Foi liberado no dia seguinte.

Uma das fotos clicadas pela dupla com o drone

Uma das fotos clicadas pela dupla com o drone (Lucas Pinhel/Veja SP)

O drone modelo DJI Mavic foi destruído, mas o cartão de memória permaneceu. Eles vão vender uma série de oito fotos de Paris, como esta acima, a partir de 2 500 reais.

Veja também
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Lilianne Ekeland

    Brasileiro como sempre fazendo bobagens, achando que nenhum pais tem lei. Pena que foi na Franca e eles sao brandos nas leis, se fosse nos EUA iam pagar uma baita multa.