Clique e assine por apenas 6,90/mês
Terraço Paulistano Notas exclusivas sobre artistas, políticos, atletas, modelos, empresários e pessoas de outras áreas que são destaque na cidade. Por Humberto Abdo.

Dono da barbearia Corleone foi preso em Paris por pilotar drone

O empresário Bruno van Enck foi levado de camburão até uma delegacia

Por João Batista Jr. - 25 Jan 2018, 06h00

Dono da barbearia Corleone, o empresário Bruno van Enck (à esq.) foi à Europa há dez dias para uma viagem a trabalho e contratou o fotógrafo Lucas Pinhel a fim de fazer alguns registros. Tudo perfeito — até decidirem pilotar um drone na Avenida Champs-Élysées, em Paris. “Quatro carros da polícia nos fecharam com sirenes ligadas”, lembra Van Enck. “Fomos muito ingênuos, isso não dá para negar.”

A dupla foi levada de camburão a uma delegacia, onde deu explicações sobre o uso do aparelho, proibido em certas regiões da França devido ao risco de ataque terrorista. Van Enck foi solto uma hora depois; já Pinhel dormiu em uma penitenciária dentro do Palácio da Justiça, ao lado de um paquistanês e de um russo. Foi liberado no dia seguinte.

Uma das fotos clicadas pela dupla com o drone Lucas Pinhel/Veja SP

O drone modelo DJI Mavic foi destruído, mas o cartão de memória permaneceu. Eles vão vender uma série de oito fotos de Paris, como esta acima, a partir de 2 500 reais.

Publicidade