Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Após muro de vidro, raia olímpica da USP terá corredor verde

Placas instaladas pelo então prefeito João Doria (PSDB) a partir de 2018 apresentam problemas há anos; novo projeto está sob a gestão da universidade

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 22 mar 2022, 16h39 - Publicado em 22 mar 2022, 15h03

A Universidade de São Paulo (USP) decidiu implementar no muro de vidro da raia olímpica, na Marginal Pinheiros, um “corredor verde”. A decisão foi anunciada na segunda-feira (21) pelo reitor Carlos Gilberto Carlotti Junior em entrevista à CBN.

“O projeto que me foi apresentado, e que eu achei bastante interessante, foi a mudança de conceito. Ou seja, nós saímos de um conceito de muro, seja ele de tijolo, seja de vidro, para o conceito de um corredor verde, um corredor ecológico que muda as características daquela região, daquele limite entre a universidade e a Marginal Pinheiros”, declarou Carlotti Junior à emissora.

+ “Chegará o dia em que 50% dos alunos serão de escola pública”, diz novo reitor da USP

O muro de vidro foi instalado em 2018 na gestão de João Doria (PSDB) como prefeito de São Paulo. Ao longo dos anos, foram constantes os problemas de vidros quebrados.

“O projeto envolve a permanência de tudo o que foi feito. Será aproveitado tudo o que já foi realizado. Naquele espaço vazio onde os vidros estão quebrados ou aqueles ainda que não foram instalados, nós vamos colocar gradis e com bastante verde nesses gradis. Aumentar a quantidade de verde tanto do lado da Marginal, quanto do lado da raia olímpica”, completou o reitor.

Continua após a publicidade

Com custo de aproximadamente 20 milhões de reais, o muro de vidro foi bancado em forma de doação por 55 empresas privadas, que responderam a um chamamento publicado no Diário Oficial para a realização de um projeto de revitalização da Raia Olímpica.

Segundo o reitor Carlotti Junior, há atualmente 45 vidros quebrados. “A velocidade de quebra desses vidros, desses 45 vidros, não é muito grande, eles demoraram mais de anos, nós já temos mais de 500 vidros instalados. Então aqueles vidros que não quebraram, nós não vamos tirar pra mudar o sistema. Só vamos fazer se for necessário. Isso fala muito à favor da economia também, quer dizer, não vamos mudar uma coisa que não há necessidade, se precisar, aí nós vamos fazer essa troca”, informou.

+ Idosos acima de 70 anos começam a receber 4ª dose em 29 de março

O projeto do novo corredor foi apresentado pela arquiteta e urbanista Raquel Rolnik, nova prefeita do campus da USP. “Para a raia olímpica, o corredor verde será multifuncional, com funções de estética, de drenagem de contenção de encostas da raia e de minimização da poluição acústica e atmosférica”, disse ela em entrevista ao jornal da USP. O projeto está sob a gestão da universidade.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês