Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Após crimes, sindicato dos motoboys quer fim da mochila bag para entregas

Categoria afirma estar sendo criminalizada e sugere que sejam usados apenas baús, entre outras medidas

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 29 abr 2022, 17h49 - Publicado em 29 abr 2022, 17h04

O Sindicato dos Motoboys de São Paulo sugere o fim do uso das mochilas bags como forma de tentar evitar a escalada de crimes praticados por falsos entregadores na cidade de São Paulo. Em vez desses recipientes térmicos usados pelos motociclistas, que inclusive já são proibidos por lei municipal, eles reivindicam que seja usado o baú.

+Polícia prende suspeito de matar jovem no Jabaquara

Essa é uma das propostas que constam em uma carta aberta endereçada às principais autoridades do estado e da capital. Segundo a carta, a categoria está sendo alvo criminalizada por esses falsos profissionais.

Apesar de ser proibido por lei municipal, a mochila bag é a mais usada por motociclistas para entregas. Isso porque ela permite que mais de uma pessoa possa usar a moto. No caso do baú, o banco do carona é praticamente inutilizado, já que o dispositivo de armazenamento térmico deixa espaço apenas para o piloto da moto.

+Diretora de escolinha na zona leste investigada por maus-tratos se entrega

A carta assinada pelo presidente do SindimotoSP, Gilberto Almeida dos Santos, o Gil, sugere ainda que as empresas de entregas contratem apenas entregadores regularizados.

Continua após a publicidade

Ele afirma ainda que as empresas fornecer as mochilas com o objetivo de fazerem propaganda para as suas marcas.

A cidade de São Paulo vive uma escalada de crimes envolvendo falsos entregadores. Um dos motivos pode estar ligado a alta expressiva de roubo de motos registrada na cidade, segundo revelou reportagem da Vejinha no início deste mês.

Outro dado que chama a atenção é que os furtos de veículos, o que inclui motos, explodiram na cidade de São Paulo nos primeiros três meses deste ano, segundo dados da própria Secretaria de Segurança Pública e divulgados na última terça-feira (26).

Foi um falso entregador o responsável por atirar e matar a tiros o jovem Renan Silva Loureiro, de 20 anos, no Jabaquara, na Zona Sul da capital.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Edições da VejaSP liberadas no App Veja de maneira imediata

a partir de R$ 12,90/mês