Clique e assine por apenas 6,90/mês
Poder SP Por Sérgio Quintella Sérgio Quintella é repórter de cidades e trabalha na Vejinha desde 2015

Caso Neymar movimenta rua de família de mulher que denunciou estupro

Até em grupo de WhatsApp de moradores da favela na Zona Sul de São Paulo, o tema domina as conversas

Por Sérgio Quintella - Atualizado em 4 Jun 2019, 16h08 - Publicado em 4 Jun 2019, 16h04

A casa de quatro andares pintada de verde, em uma favela próxima ao Capão Redondo, na Zona Sul, nunca chamou tanto a atenção da vizinhança como nos últimos dias. Ali vivem a mãe e um irmão da modelo de 26 anos que acusou o jogador Neymar, do Paris Saint-Germain e da Seleção Brasileira, de cometer estupro na França. Até no grupo de WhatsApp da rua o tema domina as conversas.

VEJA SÃO PAULO estava no local nesta terça-feira (4) quando a mãe da jovem chegou, carregando duas sacolas, já dizendo que não concederia entrevista. “Sumam daqui e parem de fofoca”, bradou a senhora que, segundo um vizinho, trabalha como empregada doméstica e às vezes dorme na casa dos patrões. Ao todo, ela tem seis filhos.

No pedaço, a jovem loira, magra e de olhos azuis não é mais vista com tanta frequência. Nascida e criada por ali, deixou a região há cerca de quatro anos para se casar. Da união, surgiram, além de um filho de 4 anos, que costuma visitar a avó com frequência, alguns trabalhos como modelo em conjunto com o parceiro. A moça acabou se separando e, no último dia 30, por determinação judicial, foi despejada de seu apartamento em Santo Amaro por falta de pagamento de aluguel.

“Ela foi criada com minhas filhas. Era uma menina doce, que gostava de se arrumar bem, mesmo que fosse para andar no chão de terra”, diz um homem que pediu para não ser identificado. “Tenho certeza que ela é vítima nessa história.”

Continua após a publicidade

Outro vizinho que pede anonimato descreve um perfil um pouco mais agressivo da garota. “Uma vez ela reclamou do barulho e eu a vi jogar um balde de água numa moradora próxima que fazia uma festa.” Outra afirma que um parente a viu chegando em casa, na madrugada de sábado (1º), mesmo dia em que o assunto ganhou as manchetes. “Aqui ninguém mais fala de outra coisa. O principal mistério é: como o Neymar foi achar aquela menina no meio da favela?”

Em entrevista ao jornal carioca Extra, o ex-marido da denunciante, Estivens Alves, afirma que o jogador expôs indevidamente seu filho pequeno. “O Neymar fez isso, colocou o nome do meu filho lá. Ele não está indo na escola por causa disso, está uma doideira.” Procurado, o bancário não retornou às ligações e mensagens de VEJA SÃO PAULO.

Em dezembro de 2016, ele respondeu a um processo na Justiça por atrasar a pensão alimentícia de dois filhos, hoje com 8 e 12 anos. O caso foi arquivado após um acordo entre ele sua primeira ex-mulher. A mãe do rapaz, no entanto, afirma que o caso Neymar causou muitos traumas na família. “Estou muito preocupada  com a repercussão e com a segurança do meu filho e do meu neto. Não sabemos com quem estamos lidando”, disse a mulher, que não quer ser identificada.

Neymar postou um vídeo com mais de 7 minutos no Instagram para se defender Reprodução/Veja SP
Publicidade