Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Poder SP - Por Sérgio Quintella Sérgio Quintella é repórter de cidades e trabalha na Vejinha desde 2015

Chamado de “macaco de auditório”, Fernando Holiday vai processar vereador

Camilo Cristófaro (PSB) afirmou no plenário da Câmara Municipal que líder do MBL só quer aparecer

Por Sérgio Quintella Atualizado em 5 set 2019, 17h43 - Publicado em 5 set 2019, 17h37

O vereador Camilo Cristófaro (PSB) disse nesta quinta (5), durante sessão na Câmara Municipal, que seu colega Fernando Holiday (DEM) é um “macaco de auditório que só quer aparecer”. A fala foi uma resposta às declarações do dia anterior, quando o líder do MBL afirmou que “a maioria dos vereadores não trabalha”.

Incomodado com a situação, Cristófaro fez um discurso sobre a declaração de Holiday. “Ele é o grande ‘macaco de auditório’ das redes sociais dando risada dessa Casa”, disse. “Acusa seus colegas de vagabundos, que vereadores dessa Casa não trabalham.” Em tom inflamado, o parlamentar ainda chamou o vereador de “moleque”. “Se divertindo que nem um ‘macaco de auditório’, nas minhas costas ele não se diverte, não”, afirmou.

Em entrevista a VEJA SÃO PAULO, o líder do MBL relatou que tomará medidas sobre a ofensa do colega. “Farei ainda hoje uma denúncia no Ministério Público e também na Corregedoria da Câmara, por racismo. Além disso, ele me chamou de macaca, longe dos microfones, para outros vereadores ouvirem, numa clara demonstração de homofobia por causa da minha condição sexual”, afirma Fernando Holiday.

Em resposta, Cristófaro manteve sua posição, no entanto, explicou que não teve a intenção de ser racista. “É macaco de auditório, sim. Nos chamou de vagabundo, mas vagabundo é ele, que não aparece em comissões e audiências públicas. Ele só quer saber de fazer macaquices na internet. Mas não usei nenhuma conotação racista. Todo mundo sabe que macaquinho de auditório só quer aparecer”, disse.

Confira a fala de Camilo Cristófaro a partir do minuto 1’49.

 

Continua após a publicidade
Publicidade