Clique e assine por apenas 6,90/mês
Arte ao Redor Tatiane de Assis é repórter da Veja SP. Acredita que as artes visuais podem aproximar pessoas e descortinar novas facetas da vida.

Museus e teatros vão demitir e suspender contratos a partir de segunda (4)

Crise também abrange o conservatório de Tatuí, a Emesp Tom Jobim e o Projeto Guri

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 4 Maio 2020, 10h29 - Publicado em 2 Maio 2020, 17h45

O governo de São Paulo reduziu em 69 milhões o orçamento destinado a museus, teatro e orquestras. A quantia representa um corte de 14% no orçamento de 2020 e é referente aos meses de maio, junho e julho.

Com o corte, instituições culturais devem suspender contratos e reduzir de salários de trabalhadores. Ao todo, são mais de 4 400 empregos que estão em jogo. 

Alguns equipamentos, a exemplo dos museus Afro, de Arte Sacra e da Casa Brasileira já anunciaram demissões. Outros, como a Pinacoteca, o Museu da Imagem e do Som (MIS) já afirmaram que devem interromper contratos, além de fazer cortes na remuneração.

O secretário de Cultura e Economia Criativa Sérgio Sá Leitão disse que as medidas devem ser implementadas a partir de segunda (4).

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade