50 melhores da América Latina

Reserva para o D.O.M. deve ser feita com vinte dias de antecedência

Eleito o segundo melhor da América Latina pelo ranking da revista britânica Restaurant, o restaurante de Alex Atala é mais concorrido às sextas e aos sábados. Conheça também a agenda do Maní

Por: Sophia Braun - Atualizado em

D.O.M.
D.O.M.: mais concorrido às sextas e sábados (Foto: Divulgação)

Conseguir uma mesa em restaurantes paulistanos badalados ainda não é tão difícil quanto em seus correspondentes em outras capitais gastronômicas, entre elas Paris e Nova York. Mesmo assim, é preciso pelo menos vinte dias de antecedência para fazer uma reserva de jantar no D.O.M., eleito na quarta (4) o segundo melhor da América Latina pela revista inglesa Restaurant — a mesma que, em abril deste ano, colocou o brasileiro na sexta posição no ranking dos cem melhores do mundo. 

+ Conheça os melhores restaurantes da América Latina

+ Responsável pelo Oscar da gastronomia, revista Restaurant anuncia os cem melhores do mundo

As noites mais concorridas, sempre às sextas e aos sábados, estão lotadas para as próximas duas semanas. Para o dia 20 de setembro, restam poucos lugares disponíveis. No almoço, a procura é menor.

Maní - salão
Maní: reservas com antecedência de cinco dias (Foto: Mario Rodrigues)

Para quem quiser tentar a sorte, vale ligar para o restaurante por volta das 17h. Nesse horário são liberados os lugares referentes às desistências. Outra dica é fazer um jantar tardio: o D.O.M. costuma começar o serviço da noite com todas as mesas ocupadas mas, a partir das 22h, inicia-se um novo turno com disponibilidade sujeita a espera. 

No Maní, contemplado com a quinta colocação do ranking na América Latina (46º na lista mundial), casa onde Helena Rizzo foi escolhida ainda a melhor chef mulher da região, o ideal é fazer a reserva para o jantar com pelo menos cinco dias de antecedência. A próxima data disponível é a quarta (11). 

Fonte: VEJA SÃO PAULO