Retrospectiva

Radar cultural: as atrações boas, as ruins, as lotadas e as tranquilas em 2014

No retrospectiva dos programas culturais, as filas nem sempre foram sinônimo de algo imperdível

Por: Daniel Bergamasco e Meriane Morselli - Atualizado em

Castelo Rá-Tim-Bum
Um dos cenários do Castelo-Rá-Tim-Bum reproduzidos no MIS: ajustes no horário de bilheteria e no esquema de vendas (Foto: Lucas Lima)

+ Gourmetômetro: as comidas que mudaram de status em 2014

As longas filas foram um marco das atrações culturais da cidade em 2014. Seja para aproveitar o que era exibido ou apenas para garantir uma boa selfie no Instagram, o público foi atrás de Yayoi Kusama e outras tantas exposições.

+ Bala artesanal vira obra de arte para ser saboreada na Bienal

+ Selfies de 2014: o ano retratado por seus protagonistas 

Ao mesmo tempo, deixou tranquilo o espaço para quem procurou a exposição de Hans Hartung ou peças como Jesus Cristo Superstar, sem falar da Bienal de Arte, no Ibirapuera.

Abaixo, um balanço do que foi bom e ruim entre esses sucessos e títulos mais tranquilos.

Radar Cultural
Confira o que valeu a pena e o que decepcionou no cenário cultural em 2014 (Foto: Veja São Paulo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO